sábado, 13 de março de 2010

DÍZIMO E OFERTAS ALÇADAS


INTRODUÇÃO



Dízimo é a décima parte, tanto das colheitas como dos animais, e de tudo que os israelitas ofereciam a Deus (Lv 27:30-32; Hb 7:1-10; Dt 12:6, 11, 22-23). O dízimo era usado para o sustento dos LEVITAS. Os Levitas eram homens da tribo de Levi e que ajudavam os sacerdotes nos serviços do Templo (Nm 18:21-24) (Nm 3:5-13; 2Cr 8:14), dos estrangeiros, dos órfãos e das viúvas (Dt 14:28-29). Era uma obrigação a entrega do dízimo no AT, tanto que para o dizimista resgatar algum valor que havia entregado no Templo como dízimo, o mesmo tinha que acrescentar 1/5 ou seja: 20% do seu valor - Ex.: se o dízimo fosse uma ovelha de 1.000 reais. Para levá-la para seu aprisco novamente, o dizimista tinha que pagar 1.200 reais para os administradores do Templo (Lv 27:31). Além do compromisso que os israelitas tinham com a entrega do dízimo, tinha também com a oferta alçada da qual a RC faz menção cerca de trinta vezes (Êx 25:2-3; 29:27-28; 35:5, 21, 24; 36:3, 6; Lv 7:14, 32; 10:14-15; Nm 6:20; 15:19-21; 18:11, 24, 26-29; 31:41, 52; Dt 12:6, 11, 17; Ne 13:5.





A ORÍGEM DO DÍZIMO O sistema de contribuir com o dízimo teve início muito antes da promulgação da Lei (Gn 14:20; 28:22) Abrão entregou 10% dos bens que havia recobrado a Melquisedeque. Outra referência importante temos em Gêneses 28:22, nesta passagem Jacó não tenta barganhar com Deus, mas, por gratidão reconhece o benefício que Deus lhe proporcionou, bem como lhe proporcionaria para sempre, promete-lhE então dar o dízimo de tudo quanto de Deus receberia.





NO PRÍCÍPIO DA CRIAÇÃOQuando Deus criou o homem, o colocou no Jardim, juntamente com sua esposa, de cujo casamento, a cerimônia, Deus mesmo celebrou! E deixou tudo o que era SEU a disposição do primeiro casal; tudo ali lhes era favorável. Mas, Deus não abriu mão de uma coisa, que era uma árvore que ELE plantara no MEIO do Jardim. "Todas as demais árvores são tuas, mas, esta é MINHA, desta vocês não comem o fruto" (Gn 2:9, 16-17) . Nunca houve época na história da humanidade em que Deus não reservasse para si alguma coisa no reino físico, onde ganhamos a vida. Aquela árvore no meio do Jardim (Gn 2:3) representava o que pertencia a Deus, e quando Adão dela se apropriou, foi severamente punido, teve que enfrentar trabalho árduo. Em Gêneses 8:20, lemos que Noé ao sair da arca, após o dilúvio, ofereceu a Deus sacrifícios em gratidão por sua salvação, bem como da sua família. Esses fatos bíblicos comprovam que a prática de devolver o dízimo para o Senhor, bem como a das ofertas alçadas, transcendem à época da Lei de Moisés, tornando com isto um tremendo equívoco, afirmar que o dízimo fora instituído por causa da Lei. Entretanto, com o advento da Lei, na época de Moisés, o dízimo passou a ser um compromisso moral inadiável para todo o povo de Israel. Para os fins descritos na Palavra de Deus.Nos dias de Malaquias, o povo ignorava o mandamento de Deus de dar o dízimo para a manutenção do Templo. Possivelmente, temeram perder aquilo pelo que trabalharam tão arduamente, mas nisto julgaram mal a Deus. Ele diz: "Daí, e dar-se-vos-á" (Lc 6:38). Quando contribuímos e entregamos os dízimos do Senhor, devemos nos lembrar de que as promessas de Deus não são sempre materiais, e não podem ser completamente experimentadas aqui na terra, mas, certamente as receberemos em nossa vida futura, no céu. Malaquias exortou o povo a deixar de reter seus dízimos e PARAR DE ROUBAR A DEUS.O ato de dizimar foi observado a rigor também na época de Moisés (Lv 27:30-34; Dt 14:22). Nos dias de Malaquias, o povo não entregava seus dízimos e por esta razão, os servidores do Templo tiveram que trabalhar para ter o seu sustento e negligenciavam, deste modo, a responsabilidade que lhes fora dada por Deus de cuidarem do Templo e do serviço de adoração. Tudo aquilo que temos pertence ao Senhor; então, quando nos recusarmos a devolver-lhe uma parte daquilo que Ele colocou em nossas mãos, o roubamos e conseqüentemente pecamos, porque de certa forma impedimos a expansão do Reino de Deus na terra, por desonestidade com o Pai das Luzes. Será que de um modo egoísta desejamos reter 100% daquilo que Deus nos dá, ou estamos dispostos a devolver-lhe ao menos 10% para ajudar o progresso do Seu Reino? MALAQUIAS O PROFETA DO ELOVALE RESSALTAR: Malaquias foi o profeta do ELO entre o AT e NT. Preste atenção: Malaquias nos dá diretrizes práticas sobre nosso compromisso com Deus: o Senhor merece o melhor que tivermos a oferecer (1:7-10); devemos estar dispostos a mudar nosso modo errado de viver (1:2); devemos fazer de nossa família uma prioridade vitalícia (2:13-16); devemos ser sensíveis ao progresso de purificação de Deus em nossa vida (3:3); devemos dar o dízimo de nossa renda (3:8-12); e não deve haver o orgulho em nossa vida (3:13-15). Malaquias conclui suas mensagens apontando para aquele Grande Dia do Juízo Final.Para aqueles que estão comprometidos com Deus, será um momento de alegria porque os introduzirá à eternidade na presença do Senhor. Aqueles que ignoraram a Deus serão como a "palha", que será totalmente queimada (4:1). Para ajudar as pessoas a se prepararem para aquele dia do juízo, o Senhor enviaria um profeta como Elias (João Batista), que prepararia o caminho para Jesus Cristo, o Messias. Pode-se dizer que o NT tem início com este profeta que conclama as pessoas a se converterem de seus pecados e tornarem-se para Deus. Tal compromisso com o Senhor exige grande sacrifício da nossa parte, mas podemos estar certo de que no final será compensador.O DÍZIMO NOS DIAS DE JESUSNo NT, Jesus reitera a obrigação da entrega do dízimo na passagem a seguir: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas (entregar o dízimo de tudo) e não omitir aquelas" (Mt 23:23). Os fariseus legalistas se gloriavam porque davam o dízimo das mínimas coisas, como a hortelã, o endro e o cominho por estar estatuído na lei. Eles deviam sim cumprir com esta obrigação, todavia, não desprezando a justiça, a bondade e a crença. Cumprir uma lei em detrimento de outra, é negar todas.Já o escritor da carta aos hebreus nos diz assim: "A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça e depois também rei de Salém, que é rei de paz" (Hb 7:2). A alusão aqui é sobre Mequisedeque, descrito abaixo:MELQUISEDEQUE (Rei da Justiça) ...Rei de SALÉM (antigo nome de Jerusalém) e sacerdote do Deus Altíssimo. Abençoou a Abraão e recebeu dele o dízimo (Gn 14.18-20). MELQUISEDEQUE É UM TIPO DE CRISTO, o Rei-Sacerdote (Sl 110.4; Hb 5.6,10; 6.20; 7.1-28). Só que Cristo é Rei, Sacerdote e Profeta.
IMPORTANTÍSSIMOCom o raiar da Nova Aliança, as coisas mudaram, porque diante das bênçãos advindas através de Jesus, as da Velha Aliança "pouco" representava, então os crentes não se conformavam em entregar somente o DÍZIMO, mas, eles DAVAM TUDO, e com isto não havia entre eles necessitados algum e o Reino de Deus se expandia de tal forma que chegou até a nós aqui nos confins da terra (At 2:45; 2:39; 4:34). É bom notar que com todo o rigor da Lei, não me lembro de alguém que tenha morrido por reter dízimo no VT, entretanto, no alvorecer da incomensurável Dispensação da Graça, Ananias e Safira, foram mortos por negligenciar esta prática, exatamente no lugar da adoração a Deus, no Templo.A Igreja do Novo Testamento recebia dízimos dos primitivos cristãos? Ou apenas "ofertas" a critério de cada um? Hebreus 7:8 declara que é o próprio Cristo, aquele que vive para sempre, quem recebe nossos dízimos, porque o dízimo é empregado exclusivamente na Sua Obra.ESTÁ PATENTE QUE JESUS ERA DIZIMISTAEle é o nosso exemplo em tudo; nEle se cumpria em tudo a Lei. Devemos fazer o que Ele fez. Ser Seu imitador assim como foi Paulo (1Co 11:1). Sua vida foi investigada de forma minuciosa, e não tendo denúncias reais o acusaram de quebrar o sábado, de fazer-se igual a Deus, de ameaçar derrubar o templo e reedifica-lo em três dias, um processo calunioso e ridículo. Porque não o acusaram de sonegar o dízimo? Porque Jesus era dizimista. Cumpriu todos os preceitos da Lei (Mt 3:15; 5:17-20; 17:24-27; Lc 10:4).OUTRAS REFERÊNCIASZaqueu, além de indenizar a quem fraudara quadruplicadamente, ainda abriu mão da metade de seus bens, neste caso o dízimo de Zaqueu foi de 50%, considerando a manifestação da graça de Deus em sua vida - (Lc 19:1-10).A viúva observada por Jesus quando o Mestre sentou-se junto à Arca do Tesouro para algo inusitado! Veja: Lucas 21:1-4 É importante notar que nessa passagem, Jesus deixou de lado os demais trabalhos do Templo para cuidar das contribuições! Ele estava na área do Templo denominada de ÁTRIO DAS MULHERES. Neste local, havia sete caixas. Em uma delas os adoradores poderiam depositar a quantia relativa ao imposto do Templo, e as outras seis caixas eram para as ofertas voluntárias, como a da viúva que deu. Esta não era apenas pobre, ela tinha poucos meios para ganhar dinheiro. Seu pequeno presente era um sacrifício, mas ela o entregou voluntariamente. Em contraste com o modo que nós administramos nosso dinheiro, aquela mulher deu tudo o que tinha, deu o seu sustento e Jesus estava ali a observar as contribuições das pessoas e julgar-lhes as intenções. Essa pobre viúva depositou tudo que tinha 100%.O moço rico que reconheceu ser Jesus o Messias, pôs-se de joelho diante dele para adoração, (os judeus só se prostravam diante de Deus) depois de verificar que se tratava de um bom judeu, observador da Lei, nesse caso, ele era dizimista; disse-lhe Jesus: "Falta-te uma coisa: vai e vende TUDO QUE TENS, 100% (Mt 10:17-30). Jesus não ordenou que se tornasse dizimista, porque ele já era, se não fosse teria sido desmascarado. Esse moço era um forte candidato ao apostolado, mas, era pego ao dinheiro. Jesus quer TUDO de nós, espírito, alma e corpo. Assim como tudo que ELE tinha pertencia o Pai, TUDO o que temos pertence a ELE (Jo 17:1-22).Diante da multidão faminta, Jesus ordena a seus discípulos: dai-lhes vós de comer (Mc 6:37), mas eles não tinham a menor idéia de como prover meios para isto. De repente descobrem um menino que tinha 5 pães e 2 peixes, ou seja, sua pobre refeição. Mas diante daquela situação quando solicitado, o menino não questionou, entregando TODO seu almoço nas mãos do Mestre e com isto, cerca de 5.000 pessoas foram alimentadas e o menino recebeu ainda mais do que tinha.CONCLUSÃOÉ extremamente lamentável notar os culto que prestamos a Deus que deveria ser de ADORAÇÃO, por ser esta sua finalidade precípua, se tornando em culto de campanhas de prosperidades materiais, libertação dos "libertos" que nunca ficam libertos. Contribuição financeira em troca de acertos de negócios, casamentos, sair da miséria, salvar casamento com o marido ou a mulher do vizinho(a). A TV faz apologia a isto através de "pastores, missionários, bispos e apóstolos" inescrupulosos e os crentes tentam comprar de Deus as coisas, quando que Deus não tem nada para vender. Ou Ele dá de graça, ou então não dá NADA. Até o linguajar dos crentes mudam diante dos apologistas da TV, assim como seus comportamentos no CULTO QUE ERA PARA SER DE ADORAÇÃO. Já se ouve: Jesus é lindo! Entre nossos irmãos!Isto decorre da negligência até mesmo dos Obreiros na contribuição com os DÍZIMOS, sob a alegação sem fulcro de que esta é uma prática do Velho Testamento e não do Novo!!!O homem muda de conceito da noite para o dia, mas, Deus não muda. Neste caso, estaria Deus contente com a mudança de conceito dos Seus filhos, quanto a forma de ADORAR? DÍZIMOS E OFERTAS ALÇADAS FAZEM PARTE DA ADORAÇÃO.Se todos fossem pontuais na contribuição com os DÍZIMOS e OFERTAS, os versículos abaixo poderiam ser obedecidos e os Obreiros que dirigem Congregações devolveriam o DÍZIMO, do que receberiam da Igreja por seu trabalho ministerial.Dt 25:4 Não atarás a boca ao boi, quando trilhar. 1Co 9:6-8 Ou só eu e Barnabé não temos direito de deixar de trabalhar? Quem jamais milita à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta o gado e não come do leite do gado? Digo eu isso segundo os homens? Ou não diz a lei também o mesmo? Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura, tem Deus cuidado dos bois? 1Tm 5:18 Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. Lc 10:7 E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem, pois digno é o obreiro de seu salário. Não andeis de casa em casa. Destas passagens bíblicas, Paulo determina que os obreiros recebam prebendas por seus serviços ministeriais e que não tenham suas bocas atadas assim como se faziam com o boi quando trabalhava, essa prática de atar a boca do boi foi condenada na Velha Aliança e Paulo alude a isso dando ênfase a prebenda do Obreiro. Mas, como pagar o que é justo ao obreiro que trabalha se não há contribuição nem mesmo dos próprios obreiros? Neste caso o recurso é INFRINGIR a Lei e depois arcar com a INFLIGÊNCIA, ou seja, receber o justo castigo.INCOERÊNCIAAlguém procurar racionalizar a insignificância de sua contribuição menos do que o dízimo, buscando defesa na Palavra de Deus. Crentes sinceros às vezes buscam respaldo em 1Coríntios 16:2 "cada um deve dar o que puder, conforme sua prosperidade. Se um crente tivesse mais dívidas do que dinheiro, e tivesse dificuldades até para comer; estaria isento dessa contribuição, porque não teve prosperidade, mas aqui não se trata do dízimo, mas dessa oferta que seria destinada aos necessitado da Igreja em Jerusalém". Do dízimo ninguém está isento, a não ser que esse não esteja comendo e nem se vestindo. Porque ele não deve primeiro comer e vestir para depois contribuir, visto que, a recomendação é que o dízimo e as ofertas sejam tirados das primícias (Pv 3:9; Jr 2:3; Ez 20:40; 44:30; 48:14; Rm 11:16) e se ele come e veste das primícias, com certeza não terá com que contribuir. A seguir esses irmãos apontam para 2Coríntios 9:7. Nesta passagem, dá a impressão de que Paulo está ensinando que cada um decide por si mesmo a importância com que vai contribuir para o Reino de Deus. Um acha que pode dar muito, outro que deve dar menos, este conclui que deve dar tudo, e aquele, que nada deve dar! Essas instruções de Paulo dizem respeito a uma coleta especial para os pobres e necessitados da Igreja de Jerusalém, assolados pela fome. Paulo fala de levantamento de fundos para socorro, de ofertas extras, espontâneas, para beneficência. Não se trata da contribuição regular, sistemática, para o Senhor - leia (1Co 16:1-3; At 11:29; Rm 15:25-26; 2Co 9:1, 5, 9). Para essa oferta, Paulo não fala sobre porcentagem. Ainda que esses apelos do apóstolo visassem a contribuição dos crentes para a manutenção do ministério da Igreja, subsistiria a idéia de proporção. Cada um deveria contribuir "conforme a sua prosperidade", nesse caso Paulo não anula o sistema percentagem.Não se queixe da falta de "sorte" "Queixe-se cada um de seus pecados" (Lm 3:39). "Lembra-te de onde caíste! Arrepende-te" Ap 2:5).Nós não somos senhores, mas, somos escravos e escravos não tem bens, os bens pertencem ao SENHOR!Olhando para a calmaria que reina na casa de uma família extremamente dizimista e a reclamação na casa dos que não adotam esta doutrina, vemos nitidamente a coerência entre Ml 3:9 e At 5:1-10 - entendemos aí que maldição é uma questão de opção (Dt 11:26, 28. (a necessidade da quebra de maldição, da cura interior, do descarrego, das campanhas intermináveis, das andanças em busca de alguém que possa ter uma revelação, das regressões, dos processos de sacrifícios, como raspar a cabeça, deixar crescer a barba, andar descalço, vestir-se todos de uma mesma cor, decorre da ausência de Deus na vida, da inobservância a Seus preceitos, da intenção de invalidar o sacrifício vicário de Cristo no Calvário, dando ênfase ao determinismo "eu determino" "eu não aceito" "eu declaro". O Espírito de Deus não participa desses procedimentos. Esses deterministas adquirem a confiança dos incautos, que passam a ser até mais do que dizimista, na expectativa de aquisição de carros, casas, lojas, a ponto de os senhores ministros não conseguirem transportar os dízimos que recebem, no bolso, mas é necessário malas. E com esta prática abominável a Receita Federal que dá isenção de impostos para as Igrejas, mesmo sendo o estado laico, passa não a perseguir mas, a fiscalizar até as que primam pelo bom censo, e com toda a razão. É BOM RESSALTAR TAMBÉM QUE Abraão e seu neto Jacó já praticavam o dízimo centenas de anos antes da promulgação da lei. Na verdade no NT o crente pertence totalmente a Deus. Ele dá o dízimo, mas, não faz o que bem entende com os 90% que retém. Tudo é de Deus, o crente é escravo de Cristo, o escravo não tem bens, tem Senhor. É por isto que os crentes do NT são motivados a dar TUDO. Não mero 10%.A AUTO-ADMINISTRAÇÃOOutra prática abominável tem sido a auto-administração da contribuição, estive visitando um irmão em Castelo - ES, ele havia vendido uma fazenda por 80 milhões de cruzeiros, cujo dízimo ele emprestou a juros até que aparecesse um pastor de sua confiança para ele entregar o dízimo que no caso seria de 8 milhões, e dois pastores já haviam passado por lá, finamente ele ficou doente, exatamente quando eu o visitei, então ele falou comigo sobre o dízimo e o cuidado que ele tinha em entregar esse dinheiro, e o pastor nessa época era meu sogro. Finalmente ele partiu para a eternidade e o dízimo ficou na mão de quem tomara emprestado.Em outra ocasião, uma irmã ficou viúva de um obreiro que trabalha com trator, também para o ES, cujo trator virou em cima dele, conseqüentemente, matando-o e ao receber a indenização a viúva foi instruída a comprar com o dízimo, pedras marroada, para a fundação da Igreja em Condurú-ES, onde nem o terreno a Igreja possuía e comprou, colocando-as na porta da Congregação que era alugada. Quando que a Bíblia recomenda a honrar os que administram e ministram ( Rm 13:7; 1Tm 5:17; Hb 13:7, 17).MORDOMIA DO TEMPOComo bons mordomos de Deus, devemos considerar também o tempo que ELE nos concede: 24 horas por dia, dessas 24 horas é normal que tiremos 8 para o trabalho; 1 e 36 minutos para o percurso entre a residência e o trabalho; 8 para dormir; 4 para as refeições; 2 horas e 24 minutos é o dízimo do tempo para ocuparmos na promoção do Reino de Deus. Quantos minutos por dia você tem tirado para a promoção do Reino de Deus na terra. Fazendo uma visita a um necessitado, evangelizando outro. Ou você não tem tempo para isto porque você vive correndo em busca de alguém que te determine uma vitória ou quem sabe até alguém que vaticine o seu futuro?! Ou você pensa que gastando o "seu" tempo assim você está servindo a Deus? Com certeza não! Você é servo; não é místico, você não pode ser egoísta, Deus te dá de graça para você promover o SEU Reino entre os pecadores. Faça isto (Mt 6:33). Entre os necessitados.Você não é um mero seguidor, você um despenseiro da graça de Deu? Ou não? Se não, pelo menos devia.Nestes 49 anos tenho experiências, as mais diversas, uma é sobre o pastor José Paes Martins, o conheci em 1965, seu salário nunca ultrapassou ao mínimo e sua casa sempre teve de TUDO, nunca morou em casa pequena, sempre teve dinheiro em quantidade expressiva para emprestar. Sua casa em Castelo - ES, era a hospedaria das famílias quando vinham à cidade para tratamento de alguém, ficavam semanas em sua casa, comendo e bebendo e ele com sua esposa davam assistência em TUDO, em troca de nada material, até que um dia internado em um hospital, já muito idoso, com toda serenidade me disse: Jorge, daqui não saio vivo, abaixei a cabeça, fiquei sem palavras, e no dia seguinte, Deus o recolheu às Régias Mansões Celestiais, foi para a glória, mas sua casa continuou com a mesma fartura. Deus o honrou.Pastor Jorge Albertacci - Janeiro de 2007


http://www.adretiro.com.br/


















O Batismo Com o Espírito Santo(Joel 2:28-32 - Atos 2:1-4, 14-21, 37-39)
Introdução:
Entre as grandes doutrinas das Sagradas Escrituras, encontramos a do Batismo com o Espírito Santo. Predita por Deus através do Profeta Joel, um dos Profetas Menores, que por muitos é chamado de "Profeta do Pentecostes" por causa de sua profecia correspondente ao derramamento do Espírito Santo. (Jl 2:28-32) "E há de ser que, depois, derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas, naqueles dias, derramarei o meu Espírito. E mostrarei prodígios no céu e na terra, sangue, e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como o SENHOR tem dito, e nos restantes que o SENHOR chamar". Reiterada pelo profeta Isaias, um dos Profetas Maiores, que profetizou cerca de aproximadamente cem anos depois do Profeta Joel. (Is 44:3) "Porque derramarei água sobre o sedento e rios, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes". No Novo Testamento, João Batista, o precursor do Senhor Jesus, reafirma em Mateus 3:11: "E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo". Inteligível, tanto que a palavra grega usada por João Batista tenha sido "baptizein", que significa "imergir em água" indicando que os crentes seriam imersos, mergulhados no Espírito Santo. A alusão ao fogo, é por ser esse elemento (o fogo) símbolo do Espírito Santo, e que no coração do crente seria para purificar ou destruir todos os sentimentos incompatíveis com a Terceira Pessoa da Augusta Trindade de Deus, que é o Espírito Santo. (Mais detalhes abaixo no item "Algumas Interpretações sobre o Batismo com fogo").O próprio Senhor Jesus, predisse e prometeu que enviaria da parte do Pai outro Consolador: (Jo 14:16-17) "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco e estará em vós". Após Sua ressurreição, Jesus reafirma em Lucas 24:49: "E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder". E Lucas, o médico amado reporta sobre o que Jesus dissera, em Atos 1:5: "Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias". Tudo isso, foi finalmente ratificado pelo próprio Senhor, momentos antes de subir para o Céu: (Atos 1:8) "Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra".
O CUMPRIMENTO DA PROMESSA
Como não podia ser diferente, tudo veio a se cumprir no dia de Pentecostes, aos aproximadamente cento e vinte, homens e mulheres, que esperavam no Cenáculo. Veio uma experiência que resultou em completa mudança de suas vidas. Agora eles já não eram mais aqueles discípulos de outrora. Agora eles estavam Batizados com o Espírito Santo, conforme as profecias acima mencionadas.(Atos 2:1-4) "E, Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem".
VISITAÇÃO INICIAL DO ESPÍRITO SANTOAPÓS O DIA DE PENTECOSTESNA CASA DE CORNÉLIOVale ressaltar, que nem sempre há demora entre a conversão e o Batismo com o Espírito Santo, especialmente se a pessoa já estiver instruída, discipulada, segundo as doutrinas Bíblicas, e crê que Jesus Cristo salva, cura e batiza com o Espírito Santo. Quando a pessoa está faminta das bênçãos de Deus e se entrega para Jesus de coração, o Céu poderá se abrir para essa pessoa de uma forma maravilhosa. Um bom exemplo disso, temos no episódio da casa de Cornélio, conforme (Atos 10:44-48) " E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouviam falar em línguas e magnificar a Deus. Respondeu, então, Pedro: Pode alguém, porventura, recusar a água, para que não sejam batizados estes que também receberam, como nós, o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor. Então, rogaram-lhe que ficasse com eles por alguns dias". Mediante a pregação de Pedro, o Espírito Santo realizou o ministério da regeneração na vida deles e no mesmo momento foram batizados com o Espírito Santo, com a evidência de falar em línguas estranhas.
EM ÉFESOÉ comum também haver um intervalo de tempo entre o dia da conversão e o batismo com o Espírito Santo. O fato de o Senhor Jesus, haver instruído aos Seus discípulos, já salvos, que esperassem a promessa do Pai, o Poder do Alto, indica que em alguns casos o batismo com o Espírito Santo pode acontecer algum tempo depois da conversão. Conforme aconteceu na passagem do Apóstolo Paulo em Éfeso, ali havia alguns crentes que nem sequer sabiam que havia Espírito Santo, veja o que nos diz a Palavra de Deus em (Atos 19:1-6) "E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado por todas as regiões superiores, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo. Perguntou-lhes, então: Em que sois batizados, então? E eles disseram: No batismo de João. Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam". Face ao exposto, fica claro que é possível ser crente, e não ser batizado com o Espírito Santo, enquanto não se dispor a buscar em oração a promessa do Pai. O fato de os crentes em Éfeso desconhecerem o Espírito Santo, está claro que foi por falta de ensino. É o que acontece hoje, há muitas igrejas que não dão este ensinamento, e quando o fazem, ainda ensinam contra.
EM SAMARIAOs Samaritanos deram crédito à pregação de Filipe que por força da providência, desce à cidade deles (Atos 8:5-6) " E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia".Na medida em que aceitavam o Reino de Deus, eram batizados, tanto homens como mulheres, até mesmo um certo mágico por nome Simão converteu e foi batizado também, mediante a pregação de Filipe, e a regeneração operada pelo Espírito Santo de Deus, convertiam e davam testemunho de fé através de suas vidas (Atos 8:12) "Mas, como cressem em Filipe, que lhes pregava acerca do Reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres. E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou, de contínuo, com Filipe e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito". Entretanto, mais tarde, receberam o batismo com o Espírito Santo, visto que, até então, somente eram batizados nas águas (Atos 8:14-17) "Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João, os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo. (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido, mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus.) Então, lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo.A maior evidência do avivamento espiritual era a conversão dos pecadores, operada pelo Espírito (como ainda hoje é no meio Pentecostal) mas a prova dessa conversão era evidenciada pela mudança de atitude, e pela visitação do Espírito Santo, nas vidas dos conversos, que só era compreendida através do falar em línguas estranhas.
O PRÓPRIO APÓSTOLO PAULOEm suas experiências como servo de Deus, podemos aprender muito com sua conversão e vida. Na estrada de Damasco, Jesus se revelou a esse grande apóstolo (que ainda se chamava Saulo) de uma maneira maravilhosa. Paulo foi vencido pelo poder de Jesus e o reconheceu como Senhor! E a Ele se entregou, sem reservas, a sua vida. Ele mesmo ensina: "Ninguém pode dizer: Senhor Jesus! Senão pelo Espírito Santo" (1 Co 12:3). Paulo não foi um homem que simplesmente "caiu do cavalo", conforme ouvi na semana passada (primeira semana de Novembro/2002) um certo irmão ligar para uma emissora de rádio, enquanto era realizado um debate sobre este assunto; esse irmão que não crê usou esse termo que considero de pejorativo. A partir do momento da conversão, Saulo teve suas atitudes transformadas, houve uma evidência de que, o Espírito Santo havia realizado em sua vida o milagre do Novo Nascimento, quando lhe foi ordenado para entrar em Damasco! para receber "novas instruções"! (Atos 9:6) "E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer". Em seguida, providencialmente, Ananias lhe foi enviado, e dirigindo-se a ele como "Irmão Saulo", impôs-lhe as mãos e disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo. E logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista; e, levantando-se, foi batizado. (Atos 9:17-18).
OUTROS PONTOS RELEVANTESO batismo com o Espírito Santo é um ato de Deus pelo qual Seu Espírito vem sobre o crente salvo e o enche completamente. É a vinda do Espírito Santo para encher e apoderar-se do crente salvo como propriedade exclusivamente Sua.De acordo com a vontade soberana de Deus, é outorgado ao crente, através da operação milagrosa do Espírito Santo, o poder para testemunhar de Cristo e por Cristo, na propagação do Seu evangelho. Para isto, é dotado pelo Espírito, de lábios ungidos (Atos 1:8; 2:4; 8:5-8; 13:17).
O NOVO NASCIMENTO E O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTOHá uma distinção clara entre o novo nascimento e o batismo com o Espírito Santo, e isto está patente no Novo Testamento. Você poderá tomar consciência disto, atentando para o fato de que vários grupos mencionados no Novo Testamento, foram batizados com o Espírito Santo algum tempo depois de se converterem a Cristo, algum tempo após haverem nascidos de novo.Alguns exemplos: Os discípulos já haviam confessado ser Jesus Cristo o Filho do Deus vivo: (Mt. 16:16) "E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" em outra passagem: (Jo 6:68-69) "Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna, e nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho de Deus".Os discípulos já estavam limpos: pois Jesus mesmo já havia declarado isto: (Jo 13:10-11) "Disse-lhe Jesus: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora, vós estais limpos, mas não todos. Porque bem sabia ele quem o havia de trair; por isso, disse: Nem todos estais limpos" e (Jo 15:3) "Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado".O Senhor Jesus já havia afirmado estar seus nomes escritos nos Céus: (Lc 10:20) "Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estar o vosso nome escrito nos céus".Jesus já havia soprado o Seu Espírito sobre eles: (Jo 20:22) "E, havendo dito isso assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo".Os Discípulos já estavam, crentes salvos, limpos, com seus nomes escritos nos Céus, já tinham recebido o Espírito Santo através do sopro do Senhor Jesus, MAS, AINDA NÃO ESTAVAM BATIZADOS COM O ESPÍRITO SANTO!!! Inteligível!!! Eles já haviam recebido certa porção do Espírito de Deus, MAS, AINDA PRECISAVAM SER BATIZADOS COM O ESPÍRITO SANTO!!! Nada mais inteligível, não é mesmo? A Bíblia é clara. Você nem precisa estar gastando muito sua intelectualidade, seus conhecimentos em hermenêutica e semântica. O Espírito Santo te ajuda, Ele é o Mestre por excelência. (Jo 14:26; Jo 15:26).Está bem esclarecido nas Sagradas Escrituras que, o recebimento do Espírito Santo no ato da conversão, que é uma operação que somente Ele (O Espírito Santo) é capaz de fazer, é uma doutrina distinta do batismo com o Espírito Santo.Está claro que a conversão é um ato de Deus e o batismo com o Espírito Santo é outro.
O QUE EVIDENCIA O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTOÉ comum nossa convicção, com fulcro nas Sagradas Escrituras que o recebimento do Espírito Santo, através do batismo de poder, é provado pelo fato de que o crente batizado com o Espírito Santo fala em línguas desconhecidas, pelo poder sobrenatural de Deus.Há muitos que se encontram confundidos quanto ao falar em línguas estranhas, porque não distinguem entre o falar em línguas como evidência do batismo com o Espírito Santo, e o falar em línguas como um dos nove dons, destacados em 1ª Coríntios 12:10 "e a outro, a operação de maravilhas; e a outro, a profecia; e a outro, o dom de discernir os espíritos; e a outro, a variedade de línguas; e a outro, a interpretação das línguas".As línguas como evidência do batismo com o Espírito Santo, foram manifestadas em outras ocasiões, depois do dia de Pentecostes, a exemplo disto, temos o ocorrido na casa de Cornélio. Ao relatar sobre o que lá ocorrera, Pedro não considerou como um dom de línguas. Não julgou ser alguma coisa adicional, sem relação direta com o batismo com o Espírito Santo. Tanto Pedro, quanto seus companheiros entenderam que o falar em línguas na casa de Cornélio, foi um ato intrinsecamente associado ao derramamento do Espírito e era primeiramente resultado do batismo.Notemos que quando os gentios foram tomados por um arrebatamento e extasiados adoravam a Deus em línguas estranhas, Pedro entendeu que, o que estava acontecendo era simplesmente o batismo com o Espírito Santo. "Pode alguém recusar a água para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo?" (Atos 10:47).Com os crentes em Éfeso, conforme Atos 19, não foi diferente, simplesmente, outra vez o impacto característico do batismo com o Espírito Santo, evidenciado pelas línguas. Assim, em qualquer lugar no Livro de Atos, o falar em línguas está sempre associado ao enchimento do Espírito. E a única confirmação encontrada no Novo Testamento de que uma pessoa foi batizada com o Espírito Santo, está no falar em línguas estranhas. Não há outra evidência. Nesse caso a Bíblia não menciona sobre a necessidade da interpretação.Há os que perguntam: porque o povo Pentecostal admite o falar em línguas como evidência individual do batismo com o Espírito Santo, quando também houve fogo e vento impetuoso no dia de Pentecostes? É verdade que as três coisas se manifestaram na mesma ocasião, mas conforme registra o livro de Atos, somente o falar em outras línguas ocorreu outras vezes quando os primitivos cristãos receberam o batismo com o Espírito Santo, em diferentes ocasiões e lugares. Podemos admitir que Deus tenha escolhido o falar em línguas como evidência inicial do batismo com o Espírito Santo.Vale considerar, que o Espírito Santo é uma Pessoa, e uma das características de uma personalidade é a habilidade de falar.O falar em línguas demonstra que o Espírito Santo tem obtido o controle do crente em todo o seu ser.Reafirmamos: Falar em línguas é a evidência do batismo com o Espírito Santo, embora, nos tempos modernos, há os que buscam cegamente a contextualização da Igreja, a qualquer custo, sobre o preço da cosmovisão (cosmo + visão), que é a concepção ou visão do mundo", e ainda "sinônimo de mundividêcia" (Dicionário Aurélio). "Descobrem-se" outros meios que não dependem do falar em outras línguas.A cosmovisão é uma teoria que prega que todas as coisas podem ser boas ou más dependendo da visão pessoal, levando o homem a viver toda a forma de sua vida enquanto na terra, sem se atrelar imediatamente à vida de fé e esperança com dependência total do Reino Celestial.O pretenso batismo sem a manifestação de línguas estranhas subestima o poder do Espírito Santo e subjuga sua ação para acomodar e legitimar uma forma meramente humana. Se o batismo nas águas (sepultamento ou imersão) é visível, porque o batismo com o Espírito Santo seria para dentro, quando seu objetivo é justamente espalhar (para fora) os crentes, cumprindo-se o "ide" de Jesus?Seria inocente pensar que o homem pode neutralizar o theopneustos (Théos = Deus + pneuma = sopro ou espírito) que no grego tem o significado de "soprado ou inspirado por Deus".Com a ausência da operação do Espírito, a igreja passa a viver sob a influência humana, absorvendo o impasse que se chama adiáforo. São práticas da igreja não exigidas e tampouco proibidas pelas Escrituras - crenças não essenciais à salvação.Aos gálatas, que viviam a indecisão entre a verdade e a pregação dos judaizantes, Paulo aconselha: "Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne", (Gl 5:16).
AS LÍNGUAS COMO EDIFICAÇÃO PARA A IGREJAOs que receberam a bênção de falar em línguas estranhas são instruídos pela Palavra de Deus a orarem afim de alcançarem também a habilitação para interpretá-las, para que o Corpo de Cristo seja edificado. (1ª Co 14:5, 12, 13) "5 E eu quero que todos vós faleis línguas estranhas; mas muito mais que profetizeis, porque o que profetiza é maior do que o que fala línguas estranhas, a não ser que também interprete, para que a igreja receba edificação. 12 Assim, também vós, como desejais dons espirituais, procurai sobejar neles, para a edificação da igreja. 13 Pelo que, o que fala língua estranha, ore para que a possa interpretar". A alusão de Paulo, no texto em apreço, diz respeito as línguas estranhas como DOM. aqui não se trata do batismo, mas, do DOM.
AS LÍNGUAS COMO EDIFICAÇÃO INDIVIDUAL
Vale ressaltar, que embora haja diferença na operação e no propósito das línguas, a finalidade, é sempre a mesma - estar cheio do Espírito Santo - com a precípua finalidade de servir de proveito para a igreja de Cristo e a glória devida à Deus.Em 1ª aos Coríntios 14:2-4, Paulo Escreve: "V. 2 - Porque o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém a entende, e em espírito fala de mistérios. Nesse caso não há interprete, até mesmo porque a língua é estranha, e uma vez sendo estranha, é porque ninguém a conhece, o próprio texto afirma: "PORQUE O QUE FALA LÍNGUA ESTRANHA NÃO FALA AOS HOMENS, SENÃO A DEUS, E EM ESPÍRITO FALA DE MISTÉRIOS PORQUE NINGUÉM O ENTENDE" "V. 3 - Mas o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação. "V.4 - O que fala língua estranha edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja"5 E eu quero que todos vós faleis línguas estranhas; mas muito mais que profetizeis, porque o que profetiza é maior do que o que fala línguas estranhas, a não ser que também interprete, para que a igreja receba edificação".As línguas estranhas, não podem faltar em detrimento de não haver quem a interprete, é dom de Deus para igreja; e é dever do crente em Cristo, viver em constante oração, para que a igreja, fale em línguas, interprete, profetize, cure os enfermos; e busque os demais dons dos Céus para que não fiquemos como que uma terra inútil que não produz nada, como uma comida sem sal, que a ninguém agrada. É uma heresia ensinar que quando o crente não tem certo dom, que em detrimento disto não deve buscar o outro. Não há quem possa administrar os Dons do Espírito Santo, a não ser o próprio Espírito Santo. Afinal, ninguém tem dom nenhum, os dons são do Espírito Santo, é Ele quem distribui, segundo lhe apraz, a cada um dos que foram lavados no precioso Sangue de Jesus 1Co 12:1-11.
HÁ ALGUMAS RESTRIÇÕES QUANTO AS LÍNGUAS ESTRANHAS?Nos casos da manifestação das línguas tanto em Jerusalém, quanto em Cesaréia e Éfeso, onde todos falaram em línguas, não houve nenhuma exigência, porque o que ocorreu ali, foi o batismo com o Espírito Santo. Mas, considerando as LÍNGUAS COMO DOM DE ELOCUÇÃO, há sim, restrições. Nesse caso nem todos falam em línguas (1ª Co 12:30) "Têm todos o dom de curar? Falam todos diversas línguas? Interpretam todos? Há necessidade de que haja interpretação: (1ª Co 14:13-26; 28), estão sujeitas à limitações (1ª Co 14:27-28) "E, se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois ou, quando muito, três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja e fale consigo mesmo e com Deus". Estas considerações, que regulamentam o dom de línguas estranhas, visa um fim proveitoso para a igreja do Senhor, sem contudo reduzir a importância das línguas estranhas em qualquer das formas que o Espírito Santo nos concede que falemos (Atos 2:4). "E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem".
ALGUMAS INTERPRETAÇÕES SOBRE O BATISMO COM FOGOA declaração de João Batista em Mateus 3:11 "e com fogo" tem dado motivo para várias interpretações aos estudiosos das Sagradas Escrituras. Alguns acham que aqui temos dois batismos, um do Espírito e outro do Fogo, e que este último fala de juízo, provavelmente até do inferno. Assim interpretaram Orígenes e outros pais da Igreja: Neander, Meyer, de Wette, Lange, entre outros. Outros acham que o fogo, neste caso, significa o fogo que destruirá o mundo no último dia. Outros há que relacionam esse fogo com o purgatório. Mas, essas interpretações falham ao considerar que o fogo do versículo 11 e o fogo do versículo 12 não falam do mesmo ministério de Cristo. O ministério do Espírito, seria com fogo, assim como o ministério de João Foi com água. É bem verdade também que Cristo julgará (Mt 3:12), e que o fogo é símbolo do juízo. O Cristo tem por ministério limpar, purgar, e isto será para aqueles que aceitarem o ministério do Espírito Santo. Mas, a interpretação que aceitamos é de que o fogo do versículo 11 indica o caráter do batismo do Espírito, considerando que o modo como ele veio (no Pentecostes) tenha sido como vento, dotado de poder, força, como se fora um fogo impelido pelo vento; e quanto aos seus efeitos seria isso a purificação do povo de Deus (na qualidade de fogo produziria a purificação) e a transmissão de poder (usando a força do fogo).Temos pois, uma dupla referencia aos efeitos do fogo: a primeira de limpar, de purgar o bem; e a segunda de destruir o mal. Em Marcos 9:49-50, contém uma referência semelhante, e pode ser usada como ilustração "porque cada um será salgado com fogo, e cada sacrifício será salgado com sal. Bom é o sal, mas, se o sal se tornar insulso, com que o adubareis? Tende sal em vós mesmo, e paz uns com os outros". O símbolo do batismo no o Espírito (fogo) e o caráter e os resultados desse último batismo mostram a superioridade do ministério de Jesus, em contraste com o de João. Entendemos que, o batismo com fogo, é a provação do crente ("Importa, porém, que seja batizado com um certo batismo: e como me angustio até que venha cumprir-se" , Lc 12:50).No contexto desta passagem, o Senhor fala das provas pelas quais o crente passa em função da dissensão causada por sua conversão a Ele (Lc 12:51-53).Já em Apocalipse 4:5, há uma referência ao fogo espiritual, causado pelo batismo com o Espírito Santo, apresentado como "lâmpadas de fogo".
AÇÃO DO ESPÍRITOCom o advento do Espírito Santo, a igreja passou a contar com os dons espirituais. A igreja adotou em sua caminhada a presença dos dons, cumprindo-se as profecias, especialmente a de Joel, que diz respeito aos sinais e maravilhas. Passou a presenciar curas milagrosas; e libertação (Mc 16:17-18); efetivando com poder e anunciação do evangelho de Cristo (Mc 16:15-16), além de evidenciar a fé (Rm 1:17), preservando ainda o ensino da Palavra (Mt 26:20 e 1Co 4:17).
Dons do EspíritoTodo esse dinamismo se vê na igreja do Senhor por meio dos dons ( phanerosis, no grego) espirituais descritos em 1Co 12:29-31.1 - Dom da Palavra da Sabedoria;2 - Dom da Palavra do Conhecimento;3 - Dom de Discernimento de Espírito;4 - Dom da Fé;5 - Dom de Curas;6 - Dom de Operação de Milagres;7 - Dom de Profecia;8 - Dom de Variedade de Línguas;9 - Dom de Interpretação de Línguas;Eles são divididos em três grupos distintos, a saber:1 - Ciência - Sabedoria, Conhecimento e Discernimento;2 - Poder - Fé, Curas e Operação de Maravilhas;3 - Palavra - Profecia, Variedade de Línguas e Interpretação de Línguas.Bem depois do Pentecostes, a Bíblia continua exortando o crente a se empenhar na busca pelos melhores dons, dizendo: "Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente", (1 Co 12:31).FéA fé é um equipamento indispensável à vida do cristão. A Bíblia diz que aquilo que não é realizado por meio da fé não tem valor, e que sem fé é impossível agradar a Deus, pois "o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele". (Hb 10:38).Por intermédio dela tudo é possível, pois ela é o firme fundamento, das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem", (Hb 11:1).O teólogo medieval Ancelmo da Cantuária, que viveu entre 1033 à 1109, e que formulou o Argumento Ontológico da existência de Deus, dizia que a tarefa da Teologia era a fé em busca de entendimento (fides quaerens intellectum).
REFUTANDO AS DIVERGÊNCIAS DOUTRINÁRIAS1 - Pregam os contrários a estes princípios, que o pentecostalismo clássico defende a doutrina do batismo com o Espírito Santo como uma segunda, subseqüente e definitiva experiência. Quer dizer que a primeira experiência é a conversão, não suficiente, por isso exige-se uma segunda experiência, afirmam, deve ser buscada intensamente através de oração, vigílias, jejuns e clamores.
Refutação:Estou há 45 anos na Assembléia de Deus, e nunca ouvi alguém pregar nesses termos. Cremos sim, que o Batismo com o Espírito Santo, é o cumprimento da promessa nas vidas daqueles que já estão salvos e tiveram pela misericórdia de Deus fé para crer na promessa. Na verdade essa promessa é para os que crêem. A pessoa pode ser salva, e não ser batizada com o Espírito Santo. Mas, os salvos precisam entender que as bênçãos de Deus é algo infinito, imensurável, e também indiscutível. Discutir para confirmar a veracidade dos fatos é ser coerente, mas para negar, é incoerência.2 - Afirmam que a evidência clássica de que alguém foi batizado seria então uma experiência de profunda comoção emocional, seguida de falar em línguas estranhas ininteligíveis. A idéia de experiência definitiva advém da linguagem pentecostal de tratar esta experiência como um divisor de águas, assim com a conversão. Alguém é ou não convertido. Assim, alguém é ou não batizado com o Espírito Santo.Refutação:Na verdade, o crente ao ser batizado com o Espírito Santo passa pela experiência de um profundo envolvimento com o Espírito de Deus. Classificar de comoção, só não insere o individuo em Mc 3:29, porque a misericórdia de Deus não tem limite. Mas, veja o contraste: Sl 19:1 - Rm 1:18. Então é melhor atender Hb 3:7-8 - porque a misericórdia de Deus não excede a Sua justiça! A recomendação de Paulo é para que haja interprete, não havendo, há necessidade de buscar o dom de interpretar. O desprezar um dom em detrimento da falta de outro, é falta de fé. É ignorar a fé e os méritos divinos.Mas quanto o alguém estar convertido, é sinal que o Espírito Santo tenha operado em sua vida, mas essa operação da conversão ainda não é o batismo propriamente dito, este assunto está bem discriminado acima. Os discípulos já estavam, salvos, limpos, já haviam até recebido o sopro do Espírito do próprio Senhor Jesus, e ainda mais, com os nomes escritos nos Céus, mas ainda não estavam batizados.3 - Os não pentecostais defendem que o batismo com o Espírito Santo sempre ocorre quando os pecadores se convertem a Jesus Cristo, que os integra regenerados pelo Espírito Santo, à igreja.
Refutação:É bem verdade que o milagre da conversão é uma operação do Espírito Santo, mas, isto está patente nas Sagradas Escrituras, que o indivíduo estando convertido (convencido pelo Espírito e regenerado) não quer dizer que ele já esteja batizado com o Espírito Santo. O que está bem claro em Atos 19, bem como nas demais passagens atinentes.4 - Afirmam ainda os contrários a essa doutrina que, ser batizado no Espírito Santo é símbolo de ser convertido.Refutação:Em nem uma passagem Bíblica aprendemos assim, não há na Bíblia sequer uma referencia de alguém que tenha sido batizado com o Espírito Santo, sem a evidência de falar em línguas. E a Bíblia em parte alguma mistura esses dois atos do Espírito Santo. Na Bíblia não há amparo para essa confusão.
5 - Que o Espírito Santo não é uma força ou substância, mas, um ser, e por isso alguém tem ou não o Espírito Santo, mas não é possível ter um pouco mais ou um pouco menos do dEle.
Refutação:O Espírito Santo é a terceira PESSOA da Trindade, ter um pouco mais ou um pouco menos dEle como "substância" é realmente impossível, mas a medida da fé, a medida da não rejeição aos méritos divinos, o crente pode até ser batizado conforme a promessa. E em seguida receber dons. Há crentes que nunca serão batizados com o Espírito Santo, pois não acreditam. Não haver recebido ainda, mas, crendo e buscando em oração é uma coisa, mas, não receber por não crer na promessa é outra. É incredulidade.6 - Se alguém não tem o Espírito esse não é dEle, que assim a prova da conversão é ter o Espírito, que Ele é o penhor, a garantia, da nossa herança, que Ele nos foi outorgado no dia em que convertemos.
Refutação:Ter o Espírito Santo não quer dizer que o crente já está batizado, se fosse assim, os discípulos que até já haviam recebido o sopro de Jesus, lhes dizendo: recebei o Espírito Santo, já estavam então batizados também. Ter o Espírito e ser dEle é uma coisa, mas ter o Espírito, sendo dEle e não haver sido batizado com o Espírito Santo é outra. 7 - Que a expressão batismo no Espírito Santo é exclusiva do Novo Testamento onde aparece por sete vezes, a apresentam as seguintes passagens Bíblicas (Mt. 3:11; Mc 1:8; Lc 3:16; Jo 1:33; At 1:5; At 11:16; 1 Co 12:13), e é o cumprimento da expectativa do derramamento do Espírito Santo anunciado no Antigo Testamento. Que Pedro no dia de Pentecostes igualou o derramamento, conforme Joel ao batismo; pois que as duas expressões são idênticas, e apresenta (At 1:4-5; 2:17-33).
Refutação:Realmente esta expressão é do Novo Testamento, até porque o Batismo com o Espírito Santo foi uma promessa para os crentes da Nova Aliança, para os da dispensação da graça, para o povo hodierno (nós) e a pregação de Pedro não podia ser diferente, pois um ato era cumprimento do outro. Seria incompreensível se em seu sermão Pedro enfatizasse sobre a Festa dos Tabernáculos, ou da Páscoa, ou sobre a profecia de Jeremias a respeito do cativeiro na Babilônia. Mas as alusões ao derramamento do Espírito no Velho Testamento, não faltaram. 8 - Que o batismo é uma cerimônia "iniciática" e nunca subseqüente, e que o dom do Espírito Santo é uma experiência cristã inicial.
Refutação:Digamos que o batismo nas águas, seja uma cerimônia iniciática, para o indivíduo ingressar no cristianismo. Quanto aos dons do Espírito, tudo começa com o batismo com o Espírito Santo que pode acontecer até mesmo antes do batismo nas águas.9 - Que a vida e ministério de Jesus foram entendidos como "ministério do Espírito" e apresentam (2 Co 3:8). Que João resumiu essa perspectiva falando acerca do Batismo com o Espírito Santo que seria dado por Jesus, e apresentam (Mc 1:8; Jo 1:33).Refutação:João não batizava ninguém com o Espírito Santo, então nada mais correto do que desempenhar seu ministério, ministrar o que era de sua competência, e o demais deixar por conta daquele que viria. João ainda batizava dentro de um sistema judaico. Nada mais correto do que resumir essa perspectiva ao ministério daquele que viria, cujo ministério, seria o ministério do Espírito Santo. Porque não aceitar?10 - Que Pedro garantiu o recebimento do dom, da promessa, do batismo, enfim, do derramamento a todos que se arrependessem e cressem, e apresentam (At 2:38-39).Refutação:Se Pedro garantiu, pela autoridade que lhe foi delegada, porque não aceitar? Se é para todos!11 - Afirmam que em Gálatas 3:2-14 se mostra que o Espírito Santo foi recebido pelos que creram, como fruto da fé que responde.
Refutação:O Batismo com o Espírito Santo, vem pela fé adquirida através da pregação, e a operação do Espírito Santo, com o milagre da conversão, aí o a pessoa é alcançada pela graça salvadora que há na Bendita Pessoa de Cristo Jesus, agora ela está salva. Então segundo a Bíblia seu coração passa a ser templo do Espírito Santo. Tendo agora, não para completar a salvação, porque não há nada mais completo do que a Obra Redentora no Calvário, mas, para cumprir a promessa em sua vida da maneira que foi cumprida nas vidas dos irmãos, descritos em Atos 19.12 - Afirmam os contrários a esse princípio que, o ser batizado no Espírito Santo é sinônimo de ser convertido.
Refutação:Praticamente é, mas nem sempre a promessa do batismo se cumpre como se cumpriu na casa de Cornélio. Não necessariamente. Pode que aconteça o que aconteceu com os aproximadamente cento e vinte no Cenáculo. Ali havia alguns que já estavam convertidos há mais ou menos três anos, e só foram batizados no dia de Pentecostes.Volto a mencionar o caso de Atos 19.13 - Que o Batismo com o Espírito Santo não é regeneração, porque todos os verdadeiros crentes, desde Adão até o dia de Pentecostes, eram pessoas regeneradas, pelo Espírito e salvas pela graça de Deus, mediante a fé no Messias que havia de vir.Refutação:É verdade, eram pessoas regeneradas, mas ainda não eram batizadas com o Espírito Santo, o dia de Pentecostes ainda não havia chegado. E à luz das Sagradas Escrituras o batismo com o Espírito Santo é exatamente para os regenerados. A pessoa precisa ser regenerada (gerada de novo) para receber o Batismo com o Espírito Santo. O batismo com o Espírito Santo, em nada diz respeito a Adão. Este teve o privilégio de morar no Éden, os da época de Noé de serem salvos pela Arca. Mas, a igreja é povo de Deus também, e essa, foi comprada com o precioso sangue de Jesus. Para a igreja, aprouve ao Senhor, estabelecer uma Nova Aliança!!! A igreja é privilegiada com o batismo com o Espírito Santo.14 - Que o Batismo com o Espírito Santo não é repetição do dia de Pentecostes. Porque houve um só dia de Pentecostes, e esse dia jamais poderá repetir-se. Já passou. Já se cumpriu. E assim como Jamais se repetirá o dia do nascimento de Jesus da virgem Maria, e como jamais também se repetirá a morte de Cristo na calvário.Refutação:De um lado, a expressão da mais pura verdade, há até um ditado antigo que diz: (nada como Deus no Céu, e um dia após o outro). Essa declaração parece proceder de quem o bom senso fugiu. O dia na verdade não volta mais, Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje, e eternamente (Hb 13:8) e sua promessa e extensiva à todos quanto Deus nosso Senhor chamar (At 2:39).15 - Que o batismo com o Espírito Santo não é a repetição dos fenômenos do Pentecostes.Refutação:O batismo com o Espírito Santo nada mais é do que o fiel cumprimento da Palavra de Deus, de Sua promessa feita através de Joel 2:28-32. É uma promessa somente para os que crêem.16 - Que não é também propriamente dito, abundância de poder do Espírito Santo no crente em íntima comunhão com Cristo e com o Espírito nem é uma segunda bênção ou uma segunda experiência a ser recebida pelo crente que ora intensamente e constantemente, ou pelos jejuns; e, também o Batismo com o Espírito Santo não é o mesmo que dom do Espírito e cheio do Espírito. São frases e em diferentes sentidos.
Refutação:Esta incoerência, tem feito com que muitos crentes saem de suas igrejas tradicionais ou históricas, em busca da promessa do Batismo com o Espírito Santo, e acabam até se envolvendo com doutrinas escusas, porque a promessa é para todos! Não é nada exíguo como é a mentalidade de muitos, e a alma do crente tem sede desta bênção. Não há teólogo algum que possa deter a atuação do Espírito de Deus.É sim abundância do poder do Espírito Santo. Onde abundou o pecado, a graça superabundou!Se é a segunda, terceira ou quarta, não sabemos, pois as bênçãos advinda de Jesus através do Seu Espírito não dão para enumera-las.É sim uma bênção recebida pelo crente que ora constantemente, no caso do jejum, também não está excluído, mas não especificamente para receber o batismo, Jesus batiza com Seu Espírito pessoa que nunca tenha jejuado.Segundo a Bíblia o crente é salvo, em seguida o batismo com o Espírito Santo, e em seguida os dons. O batismo com o Espírito Santo é um, e os dons são nove. O fruto do Espírito é um, mas, nônuplo em seus aspectos.O crente batizado com o Espírito Santo, certamente está cheio dEle, mas nem sempre o estar cheio dEle significa estar batizado nEle. A Bíblia é clara. Até mesmo porque foi o Espírito quem inspirou seus cerca de quarenta escritores.17 - Ensinam ainda os contrários ao batismo com o Espírito Santo nos dias atuais que a alusão ao fogo, feita pelo precursor de Jesus conforme, Mateus 3:11, que ele estava se referindo ao Juízo sobre os pecadores impenitentes. Afirmam que na figura, o trigo são os pecadores que pela graça de Deus, se arrependem de seus pecados e dão frutos dignos de arrependimento, por serem regenerados e novas criaturas, mediante a fé em Cristo como seu Salvador. A palha são os pecadores que, não querendo arrepender-se, morrem em seus pecados e são lançados no fogo inextinguível do inferno. E a pá ou forquilha é o juízo justo de Cristo sobre os homens, crentes e não crentes. Foi Jesus quem batizou no Espírito Santo seus apóstolos, <>, no glorioso dia do Pentecostes, dando testemunho das grandezas de Deus e da salvação que há em Cristo crucificado e ressuscitado. E é também Cristo quem batiza no fogo eterno do inferno. <> Nesta figura, temos, pois, evidentemente, a doutrina do inferno e a doutrina do juízo eterno de Cristo sobre os iníquos.Refutação:Entre as mais duvidosas interpretações do versículo em apreço, a mais improvável e esta. Esta foi a interpretação de Orígenes, Neander, Meyer, de Wette, e outros modernos, e que atualmente é aceita por igrejas, que desprezam o dom de línguas, e não aceitam o batismo com o Espírito Santo, para a Igreja hodierna. Haja vista, que, quando a bíblia se refere ao fogo, ela está falando de juízo também, mas nesse caso, a interpretação mais aceita é de que o fogo de Mateus 3:11, indica que o caráter do batismo com fogo, é a provação do crente ("Importa, porém, que seja batizado com um certo batismo: e como me angustio até que venha cumprir-se" Lc 12:50). No contexto desta passagem, o Senhor fala das provas pelas quais o crente passa em função da dissensão causada por sua conversão a Ele (Lc 12:51-53).Já em Apocalipse 4:5, há uma referência ao fogo espiritual, causado pelo Batismo com o Espírito Santo, apresentado como "lâmpadas de fogo".18 - Que no dia de Pentecostes, em cumprimento "final" da profecia e das promessas quanto à descida do Espírito Santo, ele se manifestou de maneira singular e "irrepetível" (Manual da Igreja e do Obreiro - 8ª Edição - JUERP)
Refutação:Se for o caso de anular as demais passagem do Novo Testamento, onde o assunto é sobre o batismo com o Espírito Santo, até que dá para aceitar essa idéia, mas, como a Bíblia é enfática em afirmar que se alguém lhe acrescentar alguma coisa Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão escritas neste livro (Ap 22:18-19).
O AVIVAMENTO DA RUA AZUSA EM LOS ANGELESNão sei se com o propósito de mandar uma segunda, ou terceira bênção, como dizem as denominações históricas, Deus levanta, William J. Seymour que foi evangelista no Mississipi e pastoreou uma Congregação da Santidade em Houston, Texas, antes de chegar a Los Angeles, em princípio de 1906, para dirigir uma Congregação afro-americana liderada por Julia W. Hutchins.Durante o tempo em que Seymour esteve no Mississipi, foi influenciado por pessoas que haviam estado sob o ministério de Charles Parham, ministro branco em Topeka, Kansas. Parham começou a Escola Bíblica onde ele e seus alunos, começando por Agnes M. Ozman, foram batizados com o Espírito Santo e falaram em outras línguas.Por aceitar o batismo com o Espírito Santo com a evidência de falar em outras línguas e por ensinar a doutrina Pentecostal, Seymour provocou a ira de alguns membros da Congregação. Expulso da igreja numa noite de Abril, foi muito bem recebido na casa de alguns crentes, onde começou fazer reuniões. Em 9 de Abril Seymour orou pela cura do Irmão Eduard Lee, que além de ser curado, Lee também falou em outras línguas, e passou a testemunhar aos outros a experiência. Mais tarde, naquele mesmo dia, outras 7 pessoas foram batizadas com o Espírito Santo e igualmente falaram em outras línguas. Em 12 de Abril de 1906, o próprio Seymour experimentou o batismo que pregava.As reuniões cresceram tanto na casa do senhor Lee, que no fim do mês de Abril, o edifício que podia acomodar cerca de 750 pessoas já se encontrava pronto para as reuniões!Em questão de dias, o mover do Espírito atraiu pessoas do mundo inteiro. Em 18 de Abril de 1906 o Daily Times, Jornal de Los Angeles, publicou uma reportagem de primeira página sobre o avivamento. Durante quase mil dias, dezenas de milhares de pessoas de todas as partes do globo visitaram a Rua Asuza e foram tocadas pelo derramamento abrasador do Espírito Santo. Esse movimento é considerado por muitos como a tocha que acendeu a fogueira mundial do Pentecostes no século XX. Vale ressaltar que todo esse movimento em Los Angeles, aconteceu dentro de um mês. Prosseguindo nos anos subseqüentes com o mesmo entusiasmo.A teologia Pentecostal teve grande ênfase no século XIX, com líderes tão importantes como Charles Finney, R. A. Torrey, A. J. Gordon, e muitos outros que apregoavam a capacitação de poder pelo Espírito, a cura divina e a iminente volta de Cristo, para arrebatar a Sua Igreja.Esses fluxos de santidade levaram a uma "ênfase quadrangular":Cristo, o que salva;Cristo, o que cura;Cristo, o que batiza com o Espírito Santo;Cristo, o Rei que vem.Esses temas bíblicos foram desenvolvidos no boletim Fé Apostólica, e publicado por W. J. Seymour. Esses extraordinários periódicos cobriram os dois primeiros anos do avivamento, de Setembro de 1906 a maio de 1908, e são encontrados na íntegra, (90 devocionais) no Livro O Avivamento da Rua Azusa - da CPAD - Casa Publicadora das Assembléias de Deus. O REAVIVAMENTO NO BRASIL COMEÇOU COM AS ASSEMBLÉIAS DE DEUSNo início do século XX, apesar da presença de imigrantes alemães e suíços de origem protestante e do valoroso trabalho de missionários de igrejas evangélicas tradicionais, nosso país era quase que totalmente católico.A origem das Assembléias de Deus no Brasil está no fogo do reavivamento que varreu o mundo por volta de 1900, início do século 20, especialmente na América do Norte.Os participantes desse reavivamento ficaram cheios do Espírito Santo da mesma forma que os discípulos e os seguidores de Jesus durante a Festa Judaica do Pentecostes, no início da Igreja Primitiva (Atos 2). Assim eles foram chamados de "pentecostais".Exatamente como os crentes que estavam no Cenáculo, os precursores do reavivamento do século 20 falaram em línguas quando receberam o batismo no Espírito Santo. Outras manifestações sobrenaturais tais como profecia, interpretação de línguas, conversões e curas também aconteceram (Atos 2).Quando Daniel Berg e Gunnar Vingren chegaram a Belém do Pará, em 19 de novembro de 1910, ninguém poderia imaginar que aqueles dois jovens suecos estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social do Brasil por meio da pregação de Jesus Cristo como o único e suficiente Salvador da humanidade e a atualidade do Batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais. As igrejas existentes na época - Batista de Belém, Presbiteriana, Anglicana e Metodista, ficaram bastante incomodadas com a nova doutrina dos missionários, principalmente por causa de alguns irmãos que se mostravam abertos ao ensino pentecostal. A irmã Celina de Albuquerque, na madrugada do dia 18 de junho de 1911 foi a primeira crente a receber o batismo no Espírito Santo, o que não demorou a ocorrer também com outros irmãos. O clima ficou tenso naquela comunidade, pois um número cada vez maior de membros curiosos visitava a residência de Berg e Vingren, onde realizavam reuniões de oração. Resultado: eles e mais dezenove irmãos acabaram sendo expulsos da Igreja Batista. Convictos e resolvidos a se organizar, fundaram a Missão de Fé Apostólica em 18 de junho de 1911, que mais tarde, em 1918, ficou conhecida como Assembléia de Deus.Em poucas décadas, a Assembléia de Deus, a partir de Belém do Pará, onde nasceu, começou a penetrar em todas as vilas e cidades até alcançar os grandes centros urbanos como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre.Em virtude de seu fenomenal crescimento, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro. De repente, o clero católico despertou para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante.DEFINIÇÃO DA PALAVRA PENTECOSTES
O termo Pentecostes, vem dos "cinqüenta dias" a partir da oferta do feixe de cevada no início da páscoa; o qüinquagésimo dia era a Festa de Pentecostes (Levítico 23:16). Uma vez que o tempo decorrido era de sete semanas, 7 X 7 = 49 + 1 = 50, era também chamada de Festa das Semanas (Deuteronômio 16:10). Marcava o final da colheita da cevada. Tinha de ser um dia santo, em que se faziam ofertas de pão e sacrifícios de animais (Levítico 23:17-25), um dia de alegria e Ação de Graças que lembrava o livramento do Egito (Deuteronômio 16:12). Pentecostes, do original grego define: "Qüinquagésimo" ou "Cinqüenta" A segunda das três grandes festas anuais, essas festas estão assim descriminadas: (1ª Festa da Páscoa, 2ª Festa das Primícias ou Pentecostes e 3ª Festa dos Tabernáculos) a que devia comparecer todo o povo de Deus.Chamada de Pentecostes porque era observada no qüinquagésimo dia depois do segundo dia de Páscoa. Como já mencionei, conhecida também como festa das semanas, porque observada sete semanas depois da Páscoa, (Deuteronômio 16:9). Também se denomina a festa das primícias ( Êxodo 23:16; Números 28:26). Na festa do Pentecostes toda a colheita foi dedicada a Deus, quem a dera. Durou somente um dia e foi observada no dia 6 do mês de sivã, na última parte de Maio. Menciona-se em Atos 2:1; Atos 20:16; I Coríntios 16:8.A promessa do derramamento do Espírito Santo prometida por Deus em Joel 2:28-32; Mateus 3:11; Marcos 1:8; Marcos 16:17; Lucas 3:16; Lucas 24:49; João 1:33; João 16:7-14; João 7:37-39; Atos 1:5, e bem como em outras passagens bíblicas, veio cumprir exatamente no dia da Festa de PENTECOSTES, Atos 2:1-4, e confirmado em Atos 19:1-6. Partindo do acima exposto, todos os crentes que aceitam a doutrina do derramamento do Espírito Santo (batismo com o Espírito Santo) que é uma promessa para todos quantos crêem conforme atos 2:39; Atos 19:1-6 e que crê nos DONS ESPIRITUAIS, conforme exarado em 1ª aos Coríntios capítulos 12, 13 e 14, são chamados de CRENTES PENTENCOSTAIS. Aí está a definição da palavra PENTECOSTAL.
BIBLIOGRAFIABíblia Sagrada - Revista e Corrigida - IBBBíblia de Estudo Genebra - Editora Cultura Cristã - SBBBíblia Shedd - SBBBíblia OnLine - Corrigida - 2.01 - SBB Compromisso - Revista de Adulto Cristão - 1º Trimestre 2001 - JUERP Notas e Comentários à Harmonia dos Evangelhos - Egidio Gioia - JUERP Doutrina Bíblica da Igreja - Glendon Grober - JUERPPontos Salientes - 1988 - JUERPManual da Igreja e do Obreiro - Ebenézer Soares Ferreira - JUERPObreiro - Pr. Antonio Gilberto - CPADNos Domínios do Espírito - Estêvao Ângelo de Souza - CPADPequena Enciclopédia Bíblica - O. S. Boyer - CPADAs Assembléias de Deus no Brasil - CPADO Avivamento da Rua Azusa Devocional - Seymour - CPADEnciclopédia de Bíblia - Teologia e Filosofia - R. N. Champlim, Ph, D. J. M. Bentes - Vl. I - Candeia O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo - Vl. IV Milenium
Por: Pastor Jorge Albertacci




OS 5 DONS MINISTERIAISO que é , e o que não é Ministério Evangélico?
Leitura bíblica: Ef. 4:11-14 I - Introdução II - O que é e o que não é Ministério EvangélicoIII - Apóstolo IV - Profeta V- Evangelista VI- Pastor VII-Doutor VIII- Diáconos pertencem ao mínistério? IX- A denominação dos obreiros à luz da Palavra de Deus X- O valor autêntico do obreiro XI- As melhores e a mais valiosas credenciais segundo a Bíblia são...
I - INTRODUÇÃO A necessidade dos ministérios.Enquanto o Novo Testamento estava em processo de formação, em certos lugares e tempos, Deus concedeu manifestações especiais do Espírito Santo para ajudar as Igrejas a orientarem-se na verdade.Era isto necessário porque os apóstolos eram poucos, as Igrejas distantes umas das outras, os meios de comunicação e transportes vagarosos; sem estradas de ferro, nem telégrafos e sem rádio as idéias se propagavam nos passos das pessoas. As igrejas em toda as partes infestadas de falsos mestres a afirmarem toda espécie de coisas a respeito de Cristo, não tendo e registro escrito dos verdadeiros fatos. Como os irmãos sabem, a Bíblia era em forma de rolo e estes eram poucos. Dai, a necessidade da formação dos ministérios nas Igreja. Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, para que não sejamos meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente. ( Ef. 4.11e14 )Vamos citar aqui quatro pontos sobre o que não é ministério evangélico: 1-Não é profissão. Médico, advogado, engenheiro e outros profissionais exercem suas atividades mesmo sem ser vocacionados. Mas, no autêntico ministério evangélico é desastroso se o obreiro não for vocacionado.Infelizmente existem obreiros que se desabafam, dizendo: "Até hoje eu não sei o que Deus quer comigo". Isto é errado, pois dificilmente acredita-se, que tal obreiro tenha sido chamado; porque quando Deus chama, Ele mesmo determina o trabalho que seu servo irá realizar. Exemplos: Jonas sendo enviado à Ninive (Jn 3:1 e 2); Jesus enviando seus discípulos (Lc. 21:15; Mt. 610; Mt. 10:19 e 20); e Deus enviando Moisés (Êx. 4:15 e 16). Todos estes foram enviados já sabendo o que fazer! O obreiro precisa saber que: O que faz um obreiro ser obreiro é a sua chamada divina recebida de Deus, e não seu estudo, sua preparação, sua cultura ou seu prestigio. Um obreiro deve preparar-se por ser obreiro, e não para ser obreiro! 2- Ministério não é emprego. O ministério é dom de Deus; ministro significa "servo" e "servidor" que Deus deu a Igreja (Ef. 4:11). Ministério é um cargo que o obreiro exerce de livre e espontânea vontade, impulsionado pela virtude do Espírito Santo nele existente, sem interesse financeiro (At. 1:8; 1 Co. 9:16 e 17). Em 1 Co. 9:16 e 17 diz:"Porque se anuncio o Evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciá-lo! E por isso se o faço de boa mente, terei prêmio, mas se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada".
3- O ministério não é hereditário, nem transferível. Se um pai nota que seu filho tem vocação para o ministério, deve ter a necessária prudência de esperar até que outros obreiros vejam a mesma coisa. 4- Não é um passa tempo para distração de desocupados. Deus sempre chama para o ministério, gente que trabalha. Ociosos só fazem atrapalhar a obra.
Exemplos de algumas chamadas de Deus a seus servos:a) Deus chamou a Davi quando trabalhava com ovelhas (1Sm. 16:10-13). b) Saul, quando cumpria uma ordem de seu pai sobre umas jumentas extraviadas ( leia o título de 1 Sm. 9) c) Gideão, quando malhava o trigo (.Jz. 6:11-16) d) Eliseu, quando arava o campo (1 Rs. 19:19-21). e) Mateus, quando trabalhava na coletoria (Mt. 9:9) f) Moisés, quando trabalhava no deserto (Êx. 3:1). g) Os primeiros apóstolos, quando pescavam e consertavam redes (Mt. 4:18 22). O escritor de Ef. 4:11-13 esclarece a necessidade e a utilidade dos dons ministeriais querendo o aperfeiçoamento dos santos; para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos a unidade da fé e ao conhecimento do filho de Deus, a varão perfeito, a medida da estatura completa de Cristo (Ef. 4:12 e 13). No verso 14 diz: "Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulentamente".
III - APÓSTOLO (o primeiro dos cinco ministérios). Significa embaixador, mensageiro ou enviado, que representa a pessoa que o enviou. A obra do apóstolo é colocar o fundamento da doutrina nos estabelecimento do trabalho do Senhor (1 Co. 3:10 e 11; Ef. 2:20-22). Cristo é o verdadeiro modelo do apostolado, fiel e dedicado, pois ao ser enviado da parte do pai, nada fez segundo a sua própria vontade (Leia-se Jo. 4:34; 5:30; 6:38). Cristo portanto é o modelo em tudo no ministério. Ele é o apóstolo de Deus; Na Igreja Ele é a cabeça; Como enviado, trouxe recado direto sem introduzir qualquer alteração, tudo segundo a vontade do Pai (Hb. 1:1; 5:1-8; 8:1-6). O apóstolo tem uma chamada especial e bem assim, uma revelação toda especial do próprio Cristo (Gl. 1:11-1 6; 1 Co. 11:23). Sempre surgem perguntas se ainda existem apóstolos em nossos dias. Não é fácil responder a essa pergunta; contudo, podemos dizer que existem; ainda que em ordem diferente dos doze que conviveram com Jesus: como no caso de Matias que foi escolhido por sorte e direção do Espírito Santo (At. 1:21-26). Também como Paulo, que muito embora não tenha seguido a Jesus pessoalmente em Seu ministério terreno, todavia, teve com Ele um encontro especial (At. 9:5 e 6). Portanto, a Paulo e a Barnabé foram dadas as destras do apostolado. Eles foram especialmente enviados aos gentios (Gl. 2:8-10). E claro que não devemos esperar uma chamada hoje igual as que foram citadas; a chamada de Paulo é como um tipo de encontro dos filhos de Israel com o seu Messias (1 Co. 15:8-11). Encontramos sinais do apostolado em muitos servos de Deus. A Bíblia nos mostra que além dos doze, muitos que se assinalaram como apóstolos, isto é, apresentaram as marcas entre os apóstolos, até mesmo mulheres (Rm. 16:7; At. 14:14; Gl1:19). Contudo, desejo deixar bem claro que esses últimos não eram apóstolos no sentido dos doze, mas atuavam como enviados ou embaixadores na obra de Cristo (At. 15:22; IICo. 8:22:24). Ninguém poderá arrogar-se possuidor de um título de apóstolo (enviado de Deus). A verdade é que muitos, infelizmente, chegaram a dizer serem apóstolos, mas depois de provados foram achados mentirosos (II Co. 11:13-15; Ap. 2:2). Verificamos através da história que muitos homens de Deus exerceram o verdadeiro ministério apostólico. Embora, não haja esse titulo, ainda existe hoje nas igrejas esse importante ministério. IV-PROFETA
Esse significa: Porta-voz de Deus. É aquele que movido pelo Espírito Santo, transmite mensagens da parte do Senhor. Há realmente muita confusão a respeito do dom de profecia e o ministério profético; muitos acham que o ministério de profecia é o mesmo ministério de pregação, porém, entre eles há uma grande diferença. É certo que um pregador pode profetizar durante sua pregação, mas a pregação é diferente de uma mensagem profética. O pregador fala a mensagem iluminada, segundo a graça de Deus, de acordo com Sua palavra e "ninguém pode resistir" (At. 4:13; 6:9 e 10). A profecia, porém, é uma mensagem inspirada da parte de Deus; O profeta fica constrangido sob a mensagem, controlado pelo Espírito Santo (1 Co. 14:6, 31-33). O ministério profético no Novo Testamento é inteiramente diferente do ministério dos profetas do Velho Testamento. Porque no Velho testamento a mensagem vinha a eles como está escrito: "Veio a mim a palavra do Senhor" (Jr.2:1). Enquanto que nos profetas do Novo Testamento, a palavra ou a mensagem são anunciadas inspiradamente pelo poder do Espírito Santo (1 Co. 14:3, 6, 26). Os profetas, tanto do Antigo como do Novo Testamento não são infalíveis visto estarem sujeito a serem julgados pela Palavra de Deus (1 Co. 14:29; 1 Ts. 5:20,21; Jr. 23:28-30).O ministério profético foi como um esteio na Igreja cristã primitiva (Ef. 2:20). Contudo os dons proféticos não foram reconhecidos como regra guiadora para orientar ou dirigir a igreja ou ao seu pastor (At. 21:10-14; Dt. 13:1-5). Quem guiava era a palavra de Deus, a única regra para orientar e guiar a igreja (At. 6:1-4). Infelizmente, muitos não sabem guiar-se pela palavra de Deus, e por essa razão aparecem tantos absurdos doutrinários Toda e qualquer revelação ou profeta devem ser submetida à prova junto ao ministério da Palavra de Deus (1 Co. 14:29-31).
Existem três fontes das quais podem surgir as mensagens proféticas: 1-A fonte divina (Jr. 23:28 e 29) 2-Fonte humana; mensagem do coração do próprio profeta (Jr. 23:1 6). 3-A fonte demoníaca; mensagem que vem através de um demônio ou de um crente desobediente (1 Tm. 4:1-3).Daí, pode surgir muita perturbação, dada a maioria dos crentes mais simples acreditarem mais no profeta do que no pastor, ou no dirigente da igreja. Na edificação da igreja há necessidade dos dons proféticos, pois eles são como andaimes" na construção. Mas esses "andaimes", devem estar bem firmados pelas armas e pregos da doutrina dos mestres da congregação (Ec. 12:11). Portanto, não devemos consultar profetas como se fazia no tempo do Velho Testamento, porquanto a lei e os profetas duraram até João Batista (Lc. 16:16). O caminho seguro é orar a Deus e Ele revelará o que for necessário. A lei e os profetas duraram até João, significando que até então o povo era guiado pela lei e pelos profetas (conferir na resposta de Abraão ao rico da parábola do rico e Lázaro - Lc. 16:29). V- EVANGELISTA Mensageiro de boas novas, O evangelista desempenha a obra de um missionário, levando o Evangelho a lugares onde ainda é lugar desconhecido. Ninguém portanto, pode consagrar evangelistas, pois esse é também um dom ministerial sob a direção do Senhor (Ef. 4:11).Naturalmente, separando-se evangelistas para o ministério, mas é o Senhor quem concede o dom de Sua graça a cada um para o ministério que for útil (1 Co. 12:7; Rm. 12:5-8). Paulo falando ao evangelista Timóteo, disse: "Faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério" (II Tm. 4:5).
Qual será então a obra de um evangelista? Segundo a palavra de Deus é: a) Despertar o ânimo ou acordar as almas dormentes, através da mensagem da fé (At. 8:6-8). b) Fazer a obra de pioneiro em campos virgens, colocando o marco da fé cristã, promover o trabalho de avivamento espiritual nas igrejas a convite do pastor local; Filipe em suas viagens missionárias, evangelizou todas as cidades até chegar a Cesaréia, em todas as cidades deixou a semente plantada (At. 8:39-40). Portanto, a credencial mais bonita de um evangelista é a operação da graça, na conversão das almas como fruto da sua pregação (At. 8:4-8, 32-38). Filipe deu prova de um bom evangelista e seu ministério; estava sob o controle divino (At. 8:39 e 40). Depois de um grande avivamento e despertamento partiu e deixou a cidade de Sarnaria e seguiu a direção que o Senhor lhe rnostrou; Creio que para o deserto (At. 8:26).Acredita-se que nunca mais voltou ali a não ser em visita. É lamentável dizer que muitos evangelistas abrem as portas a pregação e eles mesmos as fecham, dificultando o trabalho para outros que venham depois deles. Infelizmente há uma grande "onda de evangelistas" que tem sido consagrados ou fabricados pelos homens em nossos dias, dos quais podemos dizer sem medo de errar) são perturbadores do ministério,mas é o Senhor que concede o dom de Sus graça a cada um para o ministério em que for útil ( I Co.12.7; Rm.12.5-8 ), quantos sofrimentos tem causado esses obreiros na seara do Senhor. Somente no dia de Cristo é que tudo será revelado (Mt. 7:22; Fl. 1:5, 17; 3:2; II Co. 5:10). VI - PASTOR
Homem que apascenta as ovelhas O ministério pastoral é o mais conhecido e o mais necessário entre todos os ministérios. Nosso Senhor Jesus Cristo é o perfeito exemplo, pois Ele disse: "Eu sou o bom pastor" e acrescentou: "O bom pastor dá as sua vida pelas ovelhas" (Jo. 10:11 e 14). No SI. 23 encontramos o verdadeiro modelo para o ministério pastoral, cujas qualidades são: 1 - Apascentador, isto é, levar as ovelhas aos pastos verdejantes e saudáveis (SI. 23:2; 1 Pe. 5:2; Jr. 3:1 5). 2 - Suavizador, isto é, levar as ovelhas ao refrigério espiritual e refrescar, aplicando o bálsamo divino; Infelizmente, muitos ministram soda cáustica ao invés de aplicar o bálsamo da doutrina bíblica. Nesse sentido Paulo disse: "Não espancador" (1 Tm. 3:3; Ez. 34:21; Jr. 23:1 e 2). 3 - Disciplinador, isto é, cortar a lã sem ferir as ovelhas; Quando as ovelhas não são tosqueadas, sentem-se mal, ficam com demasiada lá e feias. Neste estado ficam geralmente enfastiadas, não vão aos cultos, perdem o desejo de contribuir e tornam-se queixosas (II Co. 8:9; Jd. 16). No Velho Testamento era considerado pastor o guia espiritual do povo: Tanto podia ser um profeta como Samuel, um rei como Davi ou um sacerdote como Josué (Jr. 23; Zc. 3). As igrejas primitivas tiveram em suas congregações presbíteros, que juntamente com os apóstolos e pastores, os quais foram designados para pastorearem, isto é, cuidarem do rebanho; Alguns funcionaram como pastores, segundo a chamada direta do Senhor (At. 20:1 7-28). Na palavra de Deus, encontramos pastores e presbíteros muito entrelaçados na apascentação, assim Pedro testifica (1 Pe. 5:1-4). Só há uma diferença; e que o pastor além de responsável pelo rebanho é o anjo da igreja, colocado pelo Senhor, onde deve permanecer fiel, para não perder a linha espiritual de seu ministério (Ap. 2:1 ; Hb. 13:7-17; Ef. 4:11). Já os presbíteros eram eleitos ou designados pelos pastores ou pelos apóstolos (At. 14:23; Tt. 1:5-8). A Palavra de Deus nos fala de presbíteros com honra dobrada; eram os que presidiam uma comunidade; esses eram naturalmente considerados pastores juntamente no ministério (1 Tm. 5:1 7-29 ). Deve e precisa ser muito respeitado, com a mesma honra que se dá a um pastor. O pastor está velando por uma obra que não é sua, da qual, um dia dará contas ao legítimo dono (1 Pe. 5:3 e 4; Hb. 13:17 ). O pastor tem que ser: a) Bom crente e andar com verdadeiro exemplo de sinceridade ( Tt. 1: 5-8 ). b) Ser bom esposo ( 1 Pe. 3:7; 1 Is. 3:2-4 ). c) Ser bom pai (1 Tm. 3:5; Cl. 3:21). d) Ser bom companheiro ( Fl. 2:3; 1 Jo. 3:1 8 ). e) Ser bom cidadão, obediente às autoridades ( Rm 13:1-10 ). f) Ser também um bom irmão (1 Is 3:2 ) Alguém escrevendo sobre o pastor disse: 1 - O pastor precisa ter a força de um boi; 2 - A tenacidade de um cão; 3 - A paciência de um asno; 4 - A indústria de um castor; 5 - A veracidade de um camaleão 6- A visão de uma águia; 7 - As melodias de um rouxinol; 8 - A pele de um rinoceronte; 9 - A disposição de um incurável: 10- A lealdade de um apóstolo; 11- A fé de um profeta; 12 - A ternura de um pastor de ovelhas; 13 - O fervor de um evangelista; 14 - A devoção de uma mãe. As atividades do pastor englobam as funções de: a) De pastor b) De pregador c) De administrador d) De educador e) De conselheiro. Existem três coisas que elevam o pastor no desempenho das suas funçães: 1- A experiência necessária 2- O conhecimento geral daquilo que ele desempenha 3- Maturidade: Ser longânimo; nunca precipitado em assuntos que envolvam o seu ministério. VI - DOUTOR
Homem sábio ou mestre; pode ser chamado de homem que tem habilidade para o ensino. O ministério de mestre é realmente muito valioso no ensino da Palavra de Deus, enquanto se conservar aos pés do Senhor Jesus, o divino Mestre. Paulo disse: "Aquele que está entre vós, não pense em si mesmo mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um ( Rm. 12:3-7 ). Todo o ministério é como um corpo, direta ou indiretamente estão ligados ao ensino. Quando o Senhor disse: "Ide porto do o mundo e pregai; disse também "ensinai" ( Mt 28:19 ).Alguém que com esse extraordinário dom ministerial de ensinar, mas por causa da exaltação perder a graça e continuar a ensinar, o fará, porém, sem autoridade na Palavra, dando alimentação não substancial. O ministério de ensino ou de mestre, funciona como ajudador na obra do Senhor, podendo por meio do ensino, edificar a obra do Senhor ( II Tm. 3:16 e 17; 1 Co. 3:6-10 ). Quando Jesus censurava os escribas e fariseus, deu uma palavra de advertência aos seus discípulos, dizendo: "Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é Cristo" ( Mt 23.1 0 ). Ninguém deve querer ou ambicionar o cargo de ser mestre (doutor); é bom que outros vejam e glorifiquem a Deus.VIII- DIÁCONOS PERTENCEM AO MINISTÉRIO? Não! Diácono é um outro tipo de ministério que é o de servir no cotidiano da igreja; servir mesas, ver a necessidade das viúvas e membros em geral. Em 1 Tm. 3.13, Paulo diz: "Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus". Leia em At. 6:2-4 que eles são serventes na Igreja local, a "Casa de Deus". Muitos daqueles que começaram servindo como diáconos, face a dedicação, habilidade, idoneidade e amor demonstrados, galgaram posição de dignidade ministerial, vindo a se tornar valorosos ministros do Evangelho.Entre eles, destaca-se Estevão, que teve a honra de ser o primeiro mártir entre os cristãos ( At. 6:8-10; 55:60 ). Em At. 8 encontramos Felipe levando o Evangelho à Samaria e cheio do Espírito Santo, revolucionando todas as cidades e curando todo tipo de enfermidades entre o povo ( At. 8:6-8, 36-40 ). Com isto, dando prova do que Paulo dizem Tm. 3:10, falando das qualidades do candidato ao diaconato, acrescentou: "Estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis . Segundo o que consta em At. 6:3 e 1 Tm. 3:8-13, teriam que ser homens honestos e que tivessem boa reputação, cheios do Espírito Santo e sabedoria, não de língua dobre, não cobiçosos de torpe ganância, etc. Portanto o diaconato é um ministério à parte, com diferentes funções. Porque permite-se diáconos nas reuniões do ministério? Por deliberação do ministério da igreja loca!, para que aprendam. Em 1 Tm. 3:10 diz:"Estes sejam primeiro provados e depois sirvam, se forem irrepreensíveis. Paulo cumprimentando os santos da igreja de Filipos se lembra dos bispos e dos diáconos, demonstrando assim a igreja, os dirigentes ( bispos ) e os diáconos (serventes ). IX- A DENOMINAÇÃO DOS OBREIROS À LUZ DA PALAVRA DE DEUS1- Pescadores de homens ( Mt. 4:19 ) 2- Servos ( Mt. 23:11) 3- Ceifeiros ( Mt. 9:36-38 ) 4- Apascentador (1 Pe. 5:1 e 2) 5-Diáconos (At. 6:1-6; I Tm. 3:8-1 3). 6-Presbíteros ( Tt. 1:5; I Pe.5:1-3) 7- Santos, servos, bispos e diáconos ( Fl. 1:1; At. 20:28 ) 8- Ministros de Deus (1 Is. 3:2 ) 9- Apóstolos e anciãos ( At. 15:23 ) 10- Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores ( Ef. 4:11 ). Estes são os que compõem o ministério legal da igreja em todo o mundo. Os bispos de Fl. 1:1 e At. 20:28, segundo a Bíblia Vida Nova Explicativa, são os supervisores. Havia vários na igreja de Filipos. Em Fl 1:1 diz: Bispos". Seus atributos vem alistados em At. 20:28 e são os mesmos chamados de presbíteros e anciãos de At. 20:17, 28. A maioria das igrejas evangélicas não concede esse cargo aos seus obreiros. Bispo: (grego: superintendente) sinônimo de presbítero e ancião. É exibido em algumas igrejas evangélicas como superintendente. Do mesmo modo, na igreja católica é pessoa de cargo superior ao padre, etc. X- A DENOMINAÇÃO DOS OBREIROS E A HIERARQUIA NAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS E OUTRAS IGREJAS
1 -Auxiliar de trabalhos 2 - Trabalhador 3 - Diáconos 4 - Presbíteros 5 - Evangelistas 6 - Pastores 7 - Missionários Estes e as famílias junto a igreja formam uma potência na evangelização do mundo inteiro. XI- O VALOR DO OBREIROO valor do obreiro não está no grau ou no cargo que ele ocupa na igreja e no desempenho daquilo que se sabe fazer e faz.Somente isto é que caracteriza o valor do obreiro; Quantos por aí sabem fazer o serviço e não o fazem, estão sempre questionando uma maior posição na igreja e quando não as tem, ficam embirrados e até mesmo param de ir aos cultos de doutrina e escola dominical, param de contribuir e às vezes, tornam-se grandes murmuradores (Jd.16). XII- AS MELHORES E A MAIS VALIOSAS CREDENCIAIS SEGUNDO A BÍBLIA SÃO...1 - A chamada de Deus. Em Jo. 15:16, Jesus disse: "Não me escolhestes vós a mim, mas Eu vos escolhi a vós, e vos nomeei para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça; afim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai, Ele vo-lo conceda".
2 - Vocação. Paulo, em 1 Co. 7:20 disse: "Cada um fique na vocação em que foi chamado". Qualquer outra profissão ou serviço pode ser exercido sem vocação, mas na obra do Senhor tem que ter vocação.
3 - Habilidade ou capacidade. Em Mt. 25:15, na parábola dos talentos, o Senhor deu a um cinco, a outro dois e a outro um e disse o Senhor: "Cada um, segundo a sua capacidade".
Quantos são precipitados! Querem a qualquer risco uma graduação de cargos. Certa vez, um crente, auxiliar de trabalho na igreja em que congregava, chegou para mim e disse: "Ah, Pastor, eu estou saindo da Igreja onde congrego, pois eu estou escalado, mas não faço nada. Na última festa, o pastor da minha igreja consagrou vários diáconos e presbíteros e eu que já tenho dois anos de auxiliar não fui consagrado a nada. Assim não dá! O auxiliar não tem aquele "pique" que o diácono tem, por isso vou cair fora". E assim acontece. A vocação desse é o "pique" que o diácono tem. A Bíblia diz que os dons são distribuídos para o que for útil, segundo a capacidade de cada um. Veja Rm. 12:3-8; 1 Co. 12:7; Se assim é distribuído, nada tem a ver com "pique" de qualquer outro cargo na igreja! Em Rm. 12:7 diz: "Se é ministério, seja ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino". Dedicação é o mesmo que consagração. Neste sentido Paulo diz: "Porque se anuncio o Evangelho, não tenho de que me gloriar... E por isso, se o faço de boa mente terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada", diáconos (At. 6:3; 1 Tm. 3:7-10 ). É bom que tenhamos, consernente a tão grande cargo, muita seriedade e nada de vaidade para que evitemos de ouvir do rigoroso Senhor o que consta em Mt. 7:22 e 23. Se há algum irmão que tem sentido que tem sido chamado para algum cargo na obra do Senhor, tenha paciência e espere no Senhor; na ocasião certa, será colocado exatamente na posição para a qual foi chamado. Em Is. 43:13 diz: "Operando Eu quem impedirá?".
4 - A paciência. É uma virtude que faz suportar até mesmo os males com resignação. Foi no Paraná que um irmão se aproximou do seu pastor interrogando-lhe:-Pastor, que me falta para ser consagrado ao santo ministério? Eu dirijo bem os cultos e não sinto embaraço nenhum quando estou anunciando o Evangelho. Que me falta ainda? Acho que tenho todos os dons necessário.O pastor lhe disse: -Falta somente um dom.Qual? Perguntou o irmão ao pastor. Falta-te ainda o dom da paciência! Sobretudo é bom ter paciência, como também a sua parenta: a humildade".



A águia - uma lição de vida e renovação
TEXTOS: Isaías: 40.30 e 31"Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos cairão, mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão."
INTRODUÇÃO - Só se renova algo que está velho, gasto, deteriorado, necessitado. A vida e o comportamento da águia nos revela grandes lições a este respeito.
1) A ÁGUIA VOA ALTO. O caminho da águia é no céu. Ela ñ foi criada para viver arrastando-se nos vales da vida e nas depressões da terra. Deus a criou para as alturas. Ela ñ é como o inhambu, presa fácil que vive levando tiro na asa porque só voa baixo.- há pessoas que vivem num plano muito inferior - voam baixo demais - sofrem ataques por todos os lados porque ñ saem da zona de perigo - vivem pisando em terreno minado, com os pés no território do adversário - por isso estão feridas, machucadas, porque ñ voam mais para cima - estão na igreja mas ñ se libertam do mundo - coração dividido, quer servir a Deus mas ñ quer renunciar o mundo - zombando do pecado Pv 14.9. Exemplo: Sansão. Quebrou os votos, ficou fraco. Ñ foi como águia, ficou ciscando lixo e entulho, com os pés na lama como galinha. Cl 3.1,2
2) A ÁGUIA VOA CADA VEZ MAIS ALTO. O segundo vôo é mais alto do que o primeiro e o terceiro mais alto do que o segundo. O crente ñ deve viver altos e baixos. Há crentes que são instáveis, oscilam demais; como Pedro Mt 15-23. Deus ñ nos chamou para o fracasso mas para o triunfo 2 Co 2.14; vencedores Rm 8.37; a nossa dinâmica ñ é 5 passos para frente e 4 para trás mas é de força em força, sempre para frente, para o alvo que é Cristo.
3) A ÁGUIA VOA ACIMA DA TEMPESTADE. Sempre que vê a tempestade, as nuvens escuras e os relâmpagos riscando o céu, ouve o ribombar dos trovões, ela se agiganta, voa com intrepidez, ganha as alturas, paira acima da tempestade e sobrevoa em perfeita bonança.- é insensato vivermos abaixo da tempestade sofrendo os seus efeitos catastróficos se podemos voar alto e desfrutarmos do refrigério e bonança nos braços do Deus vivo. Jonas fugindo de Deus provocou um vendaval. O avestruz ao ver o perigo esconde a cabeça na areia. O segredo é voar um pouco mais alto e agasalhar-nos nas asas do Deus onipotente. Ele é a nossa torre de libertação, alto refúgio, esconderijo seguro, abrigo no temporal.
4) A ÁGUIA VOA EM LINHA RETA (é transparente). Como uma flecha, um projétil. Seu vôo ñ é em circulo e nem sinuoso.- os que esperam no senhor devem voar em linha reta, ou seja, precisam ser transparentes e íntegros. A vida do crente ñ pode ter sinuosidade, nada escondido e secreto; somos filhos da luz e devemos andar na luz, sem máscaras e disfarce; nossa palavra é sim sim , ñ ñ; temos que viver o que pregamos.- há pessoas que tratam com polidez os amigos mas a família com brutalidade - são anjos na igreja e demônios em casa - como Naamã são heróis lá fora e doentes em casa - quando tiram a máscara estão cheios de lepra - o maior obstáculo para a igreja é a pessoa que vive uma vida desordenada. O subcristianismo é pior do que o anticristianismo. Um crente sem integridade é pior do que um ateu (farisaísmo).- a igreja precisa ter a integridade de José de Daniel e Neemias. O crente ñ pode ser conivente com o erro; ñ pode ser corrupto nem corrompido; seu caminho ñ pode ser sinuoso; ele deve voar reto como a águia.
5) A ÁGUIA Ñ VOA EM CIRCULO E SIM PARA FRENTE. Ela voa reto porque tem alvo definido. Sabe de onde veio e para onde vai. Ñ vive sem rumo e sem destino. Ñ está perdida. Ñ vive estagnada. Ñ anda para trás como caranguejo. Revela no seu vôo desenvolvimento, progresso, crescimento, avanço. Há pessoas que diferente da águia são como urubu. - o urubu ñ voa em linha reta mas em circulo, para lugar nenhum, sem progredir. Há pessoas assim. Entra ano sai ano e estão dando volta em torno de si mesmas, com os mesmos problemas e pecados, ñ saem do lugar. Sansão Jz 16.21. o ramo que não produz vai para o fogo Mt 25.30.- o urubu sempre que voa em circulo, sobrevoa onde há putrefação, mal cheiro, etc. Assim é a pessoa que ñ procura crescer. Além de estagnado começa a se deter nas regiões mal cheirosas. Sente atração por tudo o que é fétido, envolvido com tudo que cheira mal. Espalham fofocas, futricam a vida alheia. Alegram-se com a ruína dos outros, a morte dos outros é a sua vida. São como o urubu. A igreja precisa acordar, trabalhar e crescer. Devemos andar para frente. Somos como águia.
6) A ÁGUIA VOA NA DEPENDÊNCIA DO VENTO. Os cientistas descobriram que suas asas são enormes, desproporcionais com relação ao tamanho do seu corpo. Por que? Em tudo Deus tem um propósito. A águia pelo fato de fazer vôos muito altos e longos, ñ poderia rufar as asas como o beija-flor, se cansaria muito e ñ poderia ficar no ar por muito tempo, por isso ela precisa de asas grandes e fortes. Assim quando ela galga as maiores alturas, simplesmente abre suas asas e planando, deixa que a força do vento a carregue.- se queremos alçar vôos altos e longos ñ podemos voar na nossa própria força. Vamos ficar fatigados, estafados, faremos muitos ruídos. Nosso trabalho será em vão e ñ obterá fruto.- se queremos atingir as alturas da comunhão com Deus, precisamos voar na força do vento do Espírito, guiados pelo vento e voar na direção do vento. Ñ é por força nem por poder que avançamos, mas pelo Espírito de Deus.- a igreja tem tudo (métodos, estrutura, organização, material humano, recursos financeiros) mas tem feito vôos muito baixos e curtos. A igreja precisa de sair da teoria e ir para a prática. Ñ ser como a tartaruga mas sim como a águia. Deve ser impulsionada pelo vento do Espírito, impetuoso que soprou no Pentecostes para sair das quatro paredes. Precisa receber aquele vento poderoso que soprou no vale de ossos secos e espalhados, onde reinava a morte, para que haja abundância de vida. - o albatroz, ao contrário da águia, tem dificuldade para voar. Seu vôo é baixo, curto e dramático. A aterrissagem é desastrosa. Ele chega até a se ferir na hora do pouso. O problema é que ele tem o papo muito grande então ñ consegue voar alto e nem pousar direito.- há crentes que ñ conseguem progresso porque estão com o papo muito grande; está sempre se elogiando; é autoconfiança demais; arrota uma santidade falsa. Esse é carnal, é um albatroz e ñ uma águia. - a Bíblia diz que Deus resiste ao soberbo Tg 4.6. O que se exalta será humilhado. Nabucodonosor, Herodes.- há um ditado que diz que lata cheia ñ faz barulho. Mas lata vazia é só encostar e já está fazendo estardalhaço. A espiga cheia, madura ñ fica empinada mas o restolho, chocho e vazio fica empinado, soberbo.- que Deus nos dê a graça de sermos como a águia que voa na força do vento e ñ como o albatroz que ñ consegue voar porque tem o papo grande.
7) A ÁGUIA TEM VISÃO INTEGRAL. Ela enxerga em todas as direções, ângulos e perspectivas. PARA frente, para os lados, e com um leve esforço da cabeça também enxerga para trás. 360 graus. Sua visão é global, ela vê tudo, percebe os detalhes e toma sempre a melhor direção. Quando a Bíblia diz que somos como a águia, ela tem algo a nos ensinar.- os que esperam no Senhor precisam ter visão dilatada. O crente ñ pode ter a mente estreita. Ñ pode enxergar apenas o seu micro universo como se estivesse olhando por um tubo. Ele deve ter uma visão integral das coisas. Ele tem a mente de Cristo e deve olhar para a vida como Deus olha. Exemplos:EM RELAÇÃO À DOUTRINA - muitos são tão zelosos da doutrina que se esquecem da prática da piedade. Brigam pela verdade mas se esquecem de vivê-la. Outros se preocupam só com experiências e ñ conhecem a Palavra. Jesus condenou esse duplo extremismo Mt 22.29. Tem muita gente perita em Bíblia mas analfabetos do poder de Deus. Tem teologia mas ñ tem vida, tem palavra mas ñ tem unção. Por outro lado há aqueles que querem ser doutores acerca do poder de Deus. Fazem barulho, prometem milagres, mas ñ conhecem nada das Escrituras, são analfabetos da Bíblia. Estes são míopes, vesgos, ñ tem a visão da águia.EM RELAÇÃO À LITURGIA - muitos defendem a tese da liturgia solene, tradicional, mas acabam caindo numa liturgia fria, gelada e morta. O culto vira cerimonialismo. Ñ há espaço para o povo de Deus abrir o coração e louvar com entusiasmo. Esse tipo de pessoa só extravasa suas emoções quando fala de dinheiro, política e futebol. Diante de Deus se fecham; ñ conhecem os vivas de júbilo; ñ se deleitam diante de Deus. Ec 9.4. Por outro lado há igrejas em que a liturgia é uma confusão, uma desordem, um emocionalismo exacerbado onde as pessoas se alienam da razão. Em vez de esclarecidas ficam mais perturbadas, em vez de curadas ficam mais doentes. Um grande problema que enfrentamos hoje é a introdução dos modelos mundanos na igreja (músicas, ritmos, moda, etc.). Precisa haver equilíbrio. A liturgia precisa ser com ordem e decência, mas também cheia de vida, entusiasmo e calor. Liberdade do Espírito ñ é sinônimo de confusão. Ordem e decência ñ são contrários à liberdade do Espírito. É preciso discernimento nessa área, nesses dias.
EM RELAÇÃO À OBRA MISSIONÁRIA - Devemos ter o discernimento de John Wesley quando disse: "A minha paróquia é o mundo". Jesus disse que o campo é o mundo. Toda visão missionária que ñ seja do mundo inteiro ñ é visão de Deus. Cristo morreu para comprar com o seu sangue os que procedem de todas as tribos, povos, línguas e nações. Ñ podemos ficar limitados entre quatro paredes; ñ podemos investir apenas na igreja local. Temos que alcançar o mundo inteiro em cada geração. É necessário uma visão abrangente da obra missionária no mundo inteiro. Somos como a águia.
EM RELAÇÃO AO AVIVAMENTO - É triste ver pessoas colocando um muro de separação dentro da igreja, rotulando os outros como tradicionais ou avivadas. A rotulação quase sempre é preconceituosa. Tradicional hoje é sinônimo de uma pessoa irredutível, conservadora, incapaz de ver qualquer coisa boa naquilo que difere de sua posição; mais agarrada aos costumes, a tradição e ao passado do que ao fluxo da vida nova em Cristo que deve brotar dentro da igreja a cada dia. Torna-se fechada à obra do Espírito. Nunca está aberta para ouvir a voz do Espírito. Se fecha, se encolhe, vive amargando uma aridez profunda na alma, uma sequidão no coração, um agreste no espírito. Têm medo do Espírito Santo, medo de perder o referencial da tradição, medo de tornar-se vivadas. Por outro lado, há aqueles que, no afã de serem avivados, ñ dão nenhum valor ao legado que receberam no passado. Ñ gostam da história, ñ têm raízes. Ñ querem compromisso com a instituição. Só querem correr atrás de sinais e prodígios. Só buscam milagres. Só estão atrás de um evangelho oba-oba, sem preço, sem custo, sem cruz, sem discipulado. A verdade não está nos extremos. Nós devemos ter uma vida aberta ao Espírito de Deus. Ortodoxia e piedade são verdades que se completam. Precisamos de teologia com piedade; de ortodoxia com unção; de doutrina com avivamento; de conhecimento com poder; Uma das coisas mais importantes que Jesus nos revelou foi o equilíbrio, quando se manifestou cheio de graça e de verdade. Devemos conhecer as Escrituras e o poder de Deus. Ñ podemos ter uma visão estreita, tacanha, bitolada e parcial. Somos como a águia.
8) A ÁGUIA TEM PLENO DISCERNIMENTO. A visão é um dos prodígios mais fantásticos e extraordinários da criação. Segundo o oftalmólogo John Wilson, temos mais de 60 milhões de fios encapados em cada olho. Nosso olho é mais sofisticado que qualquer câmara de imagens que o homem já inventou. Podemos focar um ponto específico sem perder a imagem global do cenário. Isso se deve a um dispositivo que temos em nossa rotina chamado Flórea. Os cientistas examinando a águia, e a capacidade que ela tem para enxergar, descobriram que ela tem ñ apenas uma mas três flóreas. E mais, que uma flórea está apontada para cima, outra para frente e outra para baixo, de tal maneira que ela distingue, com clareza, ao mesmo tempo, um alvo para cima, outro para frente e outro para baixo.Isto é colossal e estonteante. Este fato nos trás algumas lições.

PRECISAMOS TER UMA VISÃO CLARA DO ALTO- A águia é a única ave que pode mirar o sol de frente sem ficar deslumbrada. Deus quer que seus filhos vejam o que os outros ñ podem ver.Há pessoas que sabem de tudo; dominam a ciência, a cultura, mas ñ discernem um palmo das coisas lá do alto. São analfabetas acerca das verdades eternas. Estão em trevas espirituais. Estão cegas acerca de Deus, do céu, da eternidade e da salvação de suas almas.


Mas os que esperam no Senhor têm uma visão clara de Deus. Conhecem a Deus ñ apenas de ouvir falar mas de forma íntima, profunda e pessoal, numa relação estreita, mística e deleitosa. Têm visão clara da eternidade. Ñ vivem pensando que a vida é só aqui e agora e que a morte é o fim de tudo. Ñ vivem oprimidos pelo medo do purgatório nem na ilusão de uma reencarnação inexistente. Sabem que viverão na eternidade com Jesus desfrutando das bem-aventuranças.
PRECISAMOS TER UMA VISÃO NÍTIDA A NOSSA FRENTE - É triste ver como muitos cristãos vivem alienados do mundo. Ñ se interessam pelos problemas que atingem a humanidade. Tal como o avestruz, enterram a cabeça na areia do comodismo e da omissão. Pessoas assim ñ influenciam. São como sal insípido e luz debaixo do alqueire. Como cristãos ñ podemos ser pessoas alienadas. Somos um povo de vanguarda. A vida cristã ñ é fuga, é enfrentamento. Ñ é colônia de férias, é campo de batalha. Ñ é para covardes, mas para aquele que já renunciou à própria vida. A Bíblia fala de homens santos que influenciaram na história por que estavam envolvidos nos assuntos seculares como José do Egito, Daniel, Neemias e tantos outros.A igreja é a luz do mundo e ñ a sombra da história. Precisamos estar nas alturas sem ignorarmos os tantos problemas que temos pela frente. Jesus é o nosso exemplo. Ele ñ viveu somente dentro da sinagoga ou do templo, alienado dos problemas do mundo. Ele viveu no meio do povo. Tinha cheiro de gente. Percorria cidades e aldeias, comia com pecadores escorraçados pelo legalismo fariseu; conversava com prostitutas, abraçava as crianças, tocava os leprosos, curava os enfermos, libertava os oprimidos e possessos de espíritos malignos. Seu ministério se deu na rua, na praia, no campo, nos lares. Onde Ele estava o ambiente era profundamente impactado. As pessoas eram tocadas pela sua Palavra e pela sua ação poderosa. Assim viveram os profetas e apóstolos. Assim a igreja deve viver. No século XVII os pietistas ignoravam as coisas terrenas. Ñ podemos ser assim. Nossa visão do alto ñ tolda a nossa visão para frente. Somos como águia.
PRECISAMOS TER UMA PROFUNDA VISÃO PARA BAIXO - A águia, por mais longe que esteja, lá de cima, avista suas vítimas Jó 39.29. nossa visão de Deus ñ pode tirar nossa visão dos vales onde há pessoas enfermas, famintas, desesperadas, curtindo a dor da miséria. Às vezes choramos diante de uma situação mas somos incapazes de movermos uma palha para ajudar a aliviar a dor alheia.O cristão deve ser solidário e o seu amor, prático. Deve dar pão ao que tem fome, vestir o nu, visitar o enfermo, etc. Jó 29.15,16. Ñ basta fazer belos discursos; temos que por a mão na massa. Somos corpo de Cristo. Ele está presente no que fazemos. No Brasil a realidade é chocante. Ñ podemos fechar o nosso coração Mt 25.31-46. Devemos amar a misericórdia Mq 6.8, exercitar o amor, levantar o caído, enxugar a lágrima do aflito, ser um bálsamo para a alma do desconsolado. Como a águia ñ podemos perder a visão das regiões baixas onde há gemidos e gritos de socorro.
9) A AGUIÁ Ñ ACEITA VIVER CATIVA - Ela ama a liberdade, tem intimidade com as alturas, ñ sabe viver em cativeiro. Ñ consegue viver em gaiolas. Ela morre mas ñ fica cativa. Ela ñ aceita outra condição para sua vida que ñ a liberdade. Os que esperam no Senhor são como águia. Nós fomos chamados para a liberdade Gl 5.17; Cl 1.13; Jo 8.32,36. Vamos ver algumas lições práticas:O CRISTÃO Ñ PODE VIVER CATIVO COM MEDO DO DIABO - Há crentes roendo as unhas, tremendo, assustados, com medo do diabo. Perdem até a comunhão com Deus de tanta preocupação. Há igrejas que falam mais no diabo do que em Jesus. Tudo é culpa do diabo. Uma dor de cabeça; o pneu furou; é obra dele. As pessoas acabam superestimando o diabo e fazendo o seu jogo. Veja II Tm 1.7. a Bíblia ñ nos manda temer mas resistir ao diabo. Ele é das trevas e são suporta a luz nem a verdade. Só sobrevive com máscara. Todo o poder foi dado a Jesus no céu e na terra, então ñ sobrou poder para mais ninguém. O diabo ñ tem nem a chave da sua casa Ap. 1.17,18. Com Jesus somos vencedores I Jo 3.8. Com Jesus estamos só cumprindo tabela Cl 2.14,15; Lc 11.22. Temos autoridade sobre os demônios Lc 9.1. Devemos expulsá-lo pelo poder do nome de Jesus Mc 16.17, sabendo que ele será esmagado debaixo dos nossos pés Rm 16.20.O CRISTÃO Ñ PODE VIVER CATIVO DO PECADO - Hb 12.4 diz que o crente é aquele que resiste o pecado até o sangue. Prefere morrer a ser cativo do pecado. Prefere ir para a fogueira como os amigos de Daniel a ser infiel a Deus. Prefere mofar atrás das grades como José do Egito, mas com a consciência tranqüila, a capitular-se ao pecado. Prefere ser apedrejado até a morte como Estêvão a recuar-se no seu testemunho fiel. Prefere tombar no campo de batalha degolado como Paulo a ceder as pressões do pecado. Quem está em cristo é nova criatura ou então ñ está em Cristo. Se somos de Jesus devemos andar como Ele andou. I Jo 2.6; I Jo 3.9. O cristão ñ vive com o pé no laço, o pescoço na coleira, em cativeiro; ele é livre. É escandaloso ver como muitas pessoas que se dizem crentes ñ aparentam nenhuma diferença dos ímpios. Freqüentam a igreja mas estão cativos. Estão na jaula do adversário. O CRISTÃO Ñ VIVE CATIVO DA OMISSÃO - Há crentes que são agentes secretos de Jesus. Ñ se identificam como embaixadores do Rei. Sua vida é tão insípida que ninguém nota que eles são de Jesus, se é que são. São determinados só para falar de futebol, novela, política, moda, etc. mas ñ abrem a boca para falar de Jesus. Evangelho é proclamação de boas-novas. A fé vem é pelo ouvir. Ñ podemos ser omissos nem guardar o tesouro só para nós. Temos que gerar filhos. Temos que tirar o perdido das trevas para a Luz porque o dia do juízo se aproxima.
10) A ÁGUIA É FIEL - Ela ñ é como as outras aves na área do acasalamento. As aves domésticas ñ observam a lei da relação restrita. O comportamento da águia é diferente. Ela é fiel ao seu parceiro. A fidelidade é a base de todo casamento estável e feliz. A infidelidade destrói a confiança, sufoca o amor, mata o respeito, acaba com a transparência, suscita o ciúme, gera crises, destrói o casamento, desestabiliza os filhos, afeta pessoas envolvidas, abre feridas às vezes incuráveis, prejudica sociedade, a igreja, e desagrada a Deus. Faz com que as pessoas percam o rumo. Via de regra a infidelidade desemboca no divórcio. E aí é problema atrás de problema. O homem moderno zomba de Deus, escarnece Sua palavra, tripudia sobre os mandamentos das Escrituras. Vivem para a carne, para o prazer, presos ao cabresto do diabo. O mais triste é que essa prática atinge os arraiais evangélicos. Virgindade hoje é coisa rara. Vamos discutir o assunto infidelidade e divórcio, olhando para a vida de um homem piedoso mas que ñ vigiou e caiu, amargando terríveis conseqüências. Esse homem é Davi (II Sm 11). Ele matou um leão, derrotou um urso, venceu um gigante, conquistou terras, venceu exércitos, mas foi derrotado pelas suas próprias paixões. Vamos ver os motivos:I - SOLIDÃO v. 1 - A solidão torna a pessoa presa fácil da tentação. Se Davi tivesse ido para a guerra ñ teria sido laçado pela paixão. II - OCIOSIDADE v.2 - Os soldados estavam na guerra e Davi dormindo. Sem compromisso, sem agenda. Este foi o primeiro degrau da queda.III - ACONCUPSCIÊNCIA DOS OLHOS v. 2 - A mulher era formosa. Davi a viu. Sentiu um desejo incontrolável. A cobiça dos olhos foi o laço que o diabo usou para derrubar Davi. Eva, Siquém, Acã, e tantos outros caíram no mesmo laço. IV - PERIGO AFRENTE, Ñ AVANCE v.3 - Davi deu corda ao pecado. Caminhou na direção do perigo. Flertou com a tentação. Abriu espaço para o desejo lascivo. Agora está a um passo da queda.V - TAPANDO OS OUVIDOS PARA A ADVERTÊNCIA DE DEUS v.3 - A informação que Davi recebeu foi um aviso de Deus para ele ñ se envolver no caso. Davi ñ ouviu. Ñ honrou a Deus, nem ao seu fiel soldado, nem sua família, nem a si mesmo. Tapou os ouvidos para as trombetas de Deus.VI - CAPTULANDO-SE AO PECADO v.4 - Davi brincou com o pecado e foi vencido por ele. Brincou com fogo e se queimou. Teve tantas vitórias pelo poder de Deus e agora naufragou.VII - O PREÇO DO PECADO v.5 - A mulher mandou dizer "estou grávida". O prazer do pecado dura pouco. Davi trocou algumas horas de prazer por uma vida inteira de desgosto. O pecado ñ compensa. A traição tem um custo alto demais. Daí por diante é só problemas. VIII - ESCONDENDO DO PECADO v.6-27 - Davi tenta vários expedientes para encobrir seu pecado. Tenta enganar Urias, marido de Bate-Seba vv. 6-13. Manda matar Urias v.14-17. Tenta camuflar o pecado v. 25. Casou-se com a viúva como se fosse um gesto de grandeza v. 26-27. Deus reprovou a atitude de Davi Gl 6.7.IX - O PESO DA MÃO DE DEUS. Sl 32 - O pecado ñ fica sem julgamento. Davi escondeu seu pecado mas a sua consciência ficou pesada. Seus ossos se envelheceram v. 3. Ele gemia de angustia diariamente v.3. sentia o peso da mão de Deus v.4. perdeu o vigor e a alegria v.4. no trono, ele resolve os problemas dos outros mas sua vida é um inferno.X - AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO - A criança morreu 2 Sm 12.15-18. Davi foi desmascarado publicamente 12.7-9,12. A espada nunca mais se apartou de sua casa 12.1,11, Amnom estupra Tamar, Absalão mata Amnom, Absalão abusa das concubinas do Davi em público e tenta matá-lo, Absalão morre, mais tarde Salomão mata o irmão Adonias. Tudo isto são conseqüências de algumas horas de prazer. Temos que entender que os valores de Deus ñ mudam e por isso ñ devemos ceder as pressões da sociedade. Ñ podemos imitar o mundo. O cristão ñ deve se conformar ou acostumar com o pecado, antes deve repudiar o pecado. É tempo de a igreja levantar a sua voz profética e condenar, sem rodeios, a transgressão. Temos que ser fiéis como a águia. Fidelidade é imperativo divino.
12) A ÁGUIA BUSCA O QUEBRANTAMENTO E A RENOVAÇÃO - Sl 103.5. A águia, quando começa a sentir que as suas penas estão ficando velhas e enferrujadas; que o seu bico já ñ está tão afiado e forte; que as suas garras já estão enfraquecendo, toma uma medida drástica, quase traumática. O que ela faz?
1º - INTERROMPE SUAS ATIVIDADES - Ñ trabalha, ñ voa, ñ caça, ñ se aventura. Fecha a agenda, cancela seus compromissos. Deus ñ está interessado no nosso ativismo. Ele está mais interessado no que somos do que naquilo que fazemos. Ativismo sem santidade gera trovões mas ñ trás a chuva fresca e restauradora. Os filhos de Eli carregaram a Arca e ainda foram mortos. Trabalho sem vida ñ produz frutos que agradam a Deus Ml 1.10; Gn 4.5; Mt 5.24. precisamos aprender com a águia.
2º - ISOLA-SE NO ALTO DOS PENHASCOS - A águia ñ voa em bandos. Quando está em processo de renovação, ela alça o vôo, galga as maiores alturas e se refugia no cume dos penhascos. Ali ela fica sozinha, isolada, enfrentando sua própria realidade. Há momentos em que agente precisa sair do meio da multidão e mergulhar na nossa própria intimidade. Jesus, em meio a trabalhos intensos, jamais deixou de ter momentos a sós com o Pai. Ele se isolava do barulho das multidões e ia para os montes onde ficava face a face com o Pai, em deleitosa e solitária comunhão. Precisamos gastar tempo com Deus para termos o que dar. Temos que falar primeiro dos homens para Deus e só então poderemos falar de Deus para os homens.
3º - ARRANCA SUAS PENAS - Quando chega no cume dos penhascos, ela começa a arrancar com o bico uma a uma suas penas. Ñ poupa a si mesma da dor intensa. Seu corpo vai ficando desfigurado. Se quisermos ter uma vida nova com Deus, abundante e cheia de vigor e poder, precisamos descartar muito peso e muita bagagem inútil que carregamos. Se queremos subir à presença de Deus como Jacó, precisamos lançar fora os ídolos, as vestes sujas do pecado Gn 35.1-3. É preciso ter coragem para arrancar as penas velhas que nos cobrem. Ñ há restauração sem reforma. Antes do avivamento vem o quebrantamento. A águia, depois que acaba de arrancar as penas, fica desfigurada. Contudo, depois de alguns dias, nascem penas novas, lindas e fortes. Tudo se faz novo. Ela ganha nova aparência, fica encantadora, deslumbrante. Os que esperam no Senhor se humilham e depois são exaltados. Tiram as vestes sujas e trocam por vestes alvas. Se despojam do velho homem e são renovados para uma vida nova cheia de vigor e poder.
4º - ESFREGA O SEU BICO NA ROCHA - A águia, quando percebe que o seu bico já está ficando fraco, ela o esfrega fortemente na rocha até ele ficar em sangue vivo. Após este processo, ela fica totalmente desfigurada, mas depois cresce um bico novo e forte como o aço. Nós também precisamos passar por esta experiência. Precisamos colocar a nossa boca no pó. Remover as coisas velhas dos nossos lábios. Nossa língua deve ser uma fonte a jorrar palavras de vida e ñ um canal do veneno ou arma da morte. Devemos ser verdadeiros atalaias. Precisamos pedir a Deus que toque nos nossos lábios com brasas vivas do altar. Devemos ser a boca de Deus Jr 15.19 e a Voz de Deus Lc 3.4. mas para isso temos que esfregar o bico na rocha.
5º BATE AS SUAS GARRA NA ROCHA - Quando percebe que as suas garras estão impotentes, a águia bate as garras com força sobre a rocha várias vezes até que a camada envelhecida seja arrancada, ficando em carne viva. Ela fica toda ensangüentada sob o flagelo de dores terríveis. Após este processo, as garras começam a brotar com toda pujança e vigor, fortes como ferro, e ela fica completamente renovada. Agora, remoçada e revitalizada, ela desce das alturas para continuar sua vida e suas atividades. Devemos afiar nossas garras. Com elas a águia captura suas presas; são suas armas de combate. Nós também precisamos estar afiados para encarar o combate. Nossa vida é um campo de guerra e nessa guerra ñ há trégua, nem cessar fogo, ñ existe folga. A diferença é que nossas armas ñ são carnais e sim espirituais. Temos armas de defesa Ef 6.14-16 e armas de ataque Ef 6. 17-18. PARA usá-las com destreza, precisamos estar na presença de Deus, nas alturas, porque d'Éle vem a nossa restauração e a nossa força. É preciso subir às alturas com humildade, com arrependimento, com disposição de mudança, porque a transformação vem de Deus. Só o Espírito Santo pode refazer-nos. Só de Deus vem a nossa cura. Só do Altíssimo brota a nossa restauração.
13) CONCLUSÃO - Depois desta palavra você está melhor ou pior? Neutro você ñ pode estar. É impossível. Sempre que ouvimos a Palavra de Deus nos tornamos melhores ou piores. A Palavra é espada de dois gumes. Talvez você esteja vivendo escondido atrás das bagagens do complexo como Saul I Sm 10.22, ou fugindo, com a consciência cheia de culpa pelos erros cometidos, como Caim Gn 4.14. Quem sabe tomando um navio para Társis como Jonas Jn 1.3, ou caiu na rede como Davi II Sm 11.1-25. Quem sabe você tem negado a Jesus como Pedro Lc 22.54-62. Quem sabe você tem sido como o filho pródigo, cuspindo no prato que come Lc 15.11-24. Quem sabe você está como o jovem rico, perdido dentro da igreja Lc 18.18-23. Quem sabe você tem sido como Demas que põe a mão no arado e olha para trás II Tm 4.10. mesmo que você esteja nessa condição, ainda há esperança para você.
Não procure a renovação em movimentos religiosos mas no seu intimo. Voe para cima como a águia. Habite nas alturas com o Senhor. Você foi criado para vencer.

Assembléia de Deus do Retiro - Volta Redonda - RJ

O Batismo com o Espírito Santo
Joel 2:28-32 - Atos 2:1-4, 14-21, 37-39
O batismo com o Espírito Santo, não é para salvação e nem algo para completar a salvação, mas, é uma promessa de Deus para os salvos em Cristo. 1. A diferença entre o ser cheio do Espírito Santo e o ser batizado com o Espírito Santo... estão explícitas nas exposições abaixo.
2. Os profetas no Velho Testamento já eram cheios do Espírito Santo, mas não alcançaram o batismo com o Espírito Santo, essa promessa foi para àquela que já estava na presciência de Deus, desde antes da fundação do mundo, a Igreja.
3. O testemunho de João Batista: Mt.3:11 - Mc. 1:8 -Lc. 3:16 - Jo. 1:33. Doutrinas antibíblicas afirmam que o termo batizará com o Espírito Santo usado pelo precursor, João Batista, é algo que acontece quando o pecador aceita o Senhor Jesus; e que o termo batizará com fogo, refere-se a imputação da justiça de Deus ao pecador impenitente, nesse caso, afirmam ser o fogo do inferno. (sem respaldo algum na Palavra de Deus).
4. Estes sinais seguirão aos que crer: falarão novas línguas...: Mc. 16:17. Afirmam os que esposam doutrinas antibíblicas, que o falar novas línguas, quer dizer que após a conversão, o novo convertido não fala mais palavrões, xinga e outros, (até que há sentido, mas, não é o tudo).
5. Os discípulos já estavam limpos - Jo. 15:3.Isto quer dizer que: Os discípulos já estavam limpos, já eram discípulos, já haviam se convertido, já estavam salvos, mas não estavam batizados com o Espírito Santo. Não havia se manifestado neles a evidência de falar em línguas. (Mas já estavam limpos, cheios do Espírito Santo).
6. O Espírito Santo ainda não havia sido dado. Jo. 7:37-39. (vide Bíblia). No ítem acima Jesus alude sobre o Espírito Santo. (sobre a promessa de Joel 2:28-36).
7. Se eu não for, o Consolador não virá. Jo. 16:7-14. Fazia-se necessário que Jesus voltasse à direita de Deus, para que a promessa de Joel 2:28-36 se cumprisse. (facílimo de entender).
8. Eis que sobre vós envio a promessa, ficai pois em Jerusalém... Lc. 24:49. Nesse caso O Senhor já havia morrido na cruz e até ressuscitado, estavam todos cheios do Espírito, já haviam se convertido e vivido literalmente com o Mestre por um período de aproximadamente três anos, mas ainda não estavam batizados com o Espírito Santo. (nem mesmo os apóstolos).
9. Após a ressurreição, Jesus assopra o Espírito Santo sobre eles. Jo.20:19-22. Jesus assoprou sobre eles que já estavam todos: Convertidos, salvos, batizados nas águas, por imersão. Más que ainda não estavam batizados com o Espírito Santo.
10. Após a ressurreição Jesus reitera a promessa e o médico amado, Lucas escreve: At. 1:5. Agora o dia de Pentecostes estava se aproximando, dentro de poucos dias eles seriam, efim, batizados com o Espírito Santo.
11. O cumprimento da promessa: At. 2:1-4.
12. O batismo na casa de Cornélio: At. 10:42-48. O apóstolo Pedro estava exatamente onde não devia, na casa de um incircunciso, e fica entendido que a evidência do batismo com o Espírito Santo é o falar em línguas.
13. O batismo em Éfeso: At. 19:1-6. Já havia se passado vários anos, mesmo assim ainda havia crentes que nem sequer sabia de tal promessa. Nesse caso a evidência do batismo foi o falar em línguas.
14. As desordens encontradas por Paulo na Igreja de Corinto, as quais ele as combateu veementemente, em sua 1ª carta à aludida Igreja, nos capítulos 12, 13 e14, jamais serão capaz de anular tão valiosa promessa de Deus. Sua repreensão à Igreja de Corinto, sempre foi com o intuito de pôr ordem na casa, nunca Paulo em suas palavras refutou uma doutrina Bíblica.
15. A promessa, diz respeito a vós, vossos filho e a todos... Atos 2:39. O apóstolo Pedro, usado por Deus, já rebatia aos que diriam que a promessa foi somente para os dias apostólicos. Ainda hoje há os que combatem comtra a promessa de Joel 2:28-36, mas tem uma coisa: - a promessa é para todos.
16. Vale ressaltar, que a promessa foi e é, para todos que crê; e que a alma do crente tem sede do Espírito Santo de Deus e que essa sede; nada é capaz de saciar, somente uma visitação do Espírito Santo; e que alguns incautos, neófitos, estribados em raciocínios tradicionais, acabam se envolvendo com algo que tem um nome tão bonito, que é "Uma Nova Unção" mas que no fundo mesmo, são práticas abomináveis aos olhos do Senhor Jesus.
Por Pr. Jorge Albertacci
ORIGEM DO DIA DAS MÃES
Miss Anna M. Jarvis
A idealizadora do "Dia das Mães", Miss Anna M. Jarvis, nasceu em Webster, West Virginia, nos E.U.A., A 1º de Maio de 1864, filha de Anna Reeves Jarvis e Granville E. Jarvis. Recebeu educação primária em Gafton, West Virgínia e completou seus estudos secundários e superiores na Faculdade Feminina de Augusta, no estado de Virginia, em 1881. Fez, a seguir, uma série de estudos especiais que incluíram Literatura inglesa, Psicologia, Filosofia, Latim, Alemão, Matemática e Música. Após estes estudos, regressou a Grafton, onde foi nomeada professora da Escola Estadual, Lecionando por sete anos seguidos. William Tapp, superintendente escolar, disse dela o seguinte: "Em toda minha larga experiência de professor e como superintendente escolar, não conheci professora tão capaz, eficiente e culta. Mulher de visão, espírito combativo, idealista, foi uma oradora fluente, lógica e convincente.

O nascimento e concretização da idéia

Em princípios de 1900, Anna Jarvis e sua família transferem residência para Filadélfia, onde sua mãe falece a 09 de maio de 1905 e seu pai a 31 de dezembro de 1905. Com a morte de sua mãe, tão próxima a do seu progenitor, Anna Jarvis sofreu muitíssimo, pois desde menina era conhecida como raro exemplo de amor filial. Foi no segundo Domingo de maio de 1907 que se realizou a primeira celebração de "Dia das Mães", em uma reunião privada, em homenagem à progenitora de Anna Jarvis. Entretanto, a primeira celebração pública deu-se a 10 de maio de 1908, conforme consta da placa comemorativa que se encontra na Igreja Metodista de Grafton, West Virgínia. Eis a inscrição alí existente: "IGREJA METODISTA EPISCOPAL DE ANDREWS - IGREJA MÃE DO "DIA DAS MÃES" - PRIMEIRA CELEBRAÇÃO DO "DIA DAS MÃES", 10 DE MAIO DE 1908 - FUNDADORA: ANNA JARVIS - MINISTRO: DR. H. C. HOWARD - SUPTE. DA ESCOLA DA IGREJA: L. L. LOAR." Até há bem pouco tempo tinha-se como certo o segundo Domingo de 1912, como a data da primeira comemoração do "Dia das Mães", entretanto, através de verificações recentes e do testemunho da placa citada, 10 de maio de 1908 é a data correta. Oficialização Em maio de 1910, o Governador do estado de West Virgínia, William E. Glasscock, decretou a primeira comemoração oficial do "Dia das Mães" e em maio de 1914, por proposta do deputado Heflin, de Alabama e do senador Sheppard, de Texas, o "Dia das Mães" foi incluído no calendário federal dos Estados Unidos. O decreto foi assinado pelo Presidente Woodrow Wilson na presença de Anna Jarvis, do Secretário de Estado William Jennings Bryan e daqueles parlamentares. Entre outras resoluções, diz o decreto: "No segundo Domingo do mês de maio, o pavilhão nacional deverá flutuar em todos os edifícios governamentais dos Estados Unidos e suas possessões". O deputado Heflin disse, no ato: "Nunca uma bandeira nacional foi usada para festejar tão bela quanto sagrada comemoração, Mães da América." Não passou muito tempo e a data foi aceita pela maioria dos povos cristãos, vindo a cumprir-se dessa forma, o sonho de Anna Jarvis. No Brasil e em São Paulo No Brasil coube à Associação Cristã de Moços introduzir a comemoração do "Dia das Mães". Em recentes pesquisas, feitas pela A.C.M. paulista, verificou-se que o "Dia das Mães" foi introduzido pela sua congênere de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no dia 12 de maio de 1918, em solenidade presidida pelo escritor Álvaro Moreira, sendo oficial a poetisa Júlia Lopes de Almeida. No ano seguinte, a associação Cristã de Moços do Rio de Janeiro, até então considerada a introdutora do "Dia das Mães" no Brasil, realizou a primeira festividade na capital federal, também com a colaboração de Júlia Lopes de Almeida. Em São Paulo a efeméride foi celebrada, também, por iniciativa da A.C.M. em maio de 1921. A oficialização no Brasil A oficialização do "Dia das Mães", no Brasil, partiu da iniciativa da Sra. Alice de Toledo Tibiriçá, que na qualidade de presidente do 2º congresso internacional Feminista, em junho de 1931, se dirigiu ao, então chefe do Governo Provisório, Sr. Getúlio Vargas, nos seguintes termos: "As mulheres do Brasil, reunidas por um alto ideal de confraternização feminina, para trabalhar pelo progresso do país e da sociedade, desejam homenagear as mães brasileiras - o maior fator de nosso aperfeiçoamento moral - pedindo através desta mensagem a oficialização do "Dia das Mães", no segundo Domingo mês de maio, a exemplo do que já se fez nos Estados Unidos da América do Norte." Mais tarde, uma comissão do Congresso Feminista, composta das Sras. Berta Lutz, Carmem Velasco Portinho, Maria Eugênia Cellso Carneiro de Mendonça, Stela Guerra Duval, Alice Pinheiro Coimbra, Inês Mattihiesen, Marina Bandeira de Oliveira, Georgina Barbosa Viana, Edith Fraenkel, Orminda Bastos e Adelaide Cortes, visitaram o chefe do Governo Provisório, reforçando a pedido feito através da mensagem transcrita. Atendendo àquela solicitação, o Governo Provisório promulgou o decreto n.º 21366, de 5 maio de 1932, instituindo oficialmente o "Dia das Mães", no segundo Domingo de maio. Ampliam-se as comemorações Em 1947, por determinação do Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Jaime Câmara, o "Dia das Mães", no segundo Domingo do mês de maio, foi incluído no calendário oficial da igreja Católica. O gesto do Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro foi recebido com viva simpatia pelos círculos religiosos e sociais do país. Daí para cá, vem intensificando-se as comemorações em torno do "Dia das Mães", destacando-se entre elas as organizadas pela confederação das famílias Cristãs, Rótari Clube, SESI, SESC e outros. Pouco a pouco foi germinando a semente lançada entre nós pela Associação Cristã de Moços. Hoje, graças à compreensão de todos os cristãos, acima de credos e divisões eclesiásticas, o "Dia das Mães" é uma realidade no Brasil. A Tradição do Cravos Partiu de Anna Jarvis, também, a delicada idéia dos dois cravos: vermelho e branco. Ficou estabelecido que os filhos cujas mães estivessem vivas deveriam apresentar-se com um cravo vermelho na lapela e aqueles que fossem órfãos, um cravo branco. A sugestão foi bem acolhida e generalizou-se imediatamente. Nota da Redação Os dados constantes desta nota são o resumo de um trabalho de investigações feito pala Associação Cristã de Moços de São Paulo, de Porto Alegre, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, em combinação com o "National Council of the young Men's Christian Associations of U.S.A.". "The Philadelphia Inquirere", de Philadelphia e "Adrews Methodist Church" de Grafton, West Virgínia, E.U.A.. Neste local, Grafton, foi onde se celebrou o primeiro "Dia das Mães". VOZ MISSIONÁRIA, 195 Fonte de pesquisa: Visão Missionária - UFMB - Ano 72 - N.º 2 - 2T94 Órgão da Convenção Batista Brasileira - impressão e distribuída pela JUERP.
MÃE Mãe é aquela sublime criatura que, percebendo que há 4 fatias de torta na mesa, para 5 familiares, apressa-se logo a declarar que nunca gostou de torta. Herbert V. Prochnow Há muitas maravilhas no Universo, mas a obra-prima da criação é, ainda, o coração de uma mãe. Bersot O colar mais precioso com que se orna uma mãe, são os braços de seu filho. G. C. Matos Se você deseja reformar o mundo dos seus erros e vícios, comece engajando as mães nesta luta.C. Simmons
ESPERAREI POR ELEQuem pode entender a profundidade do amor de Deus? E quem pode compreender a extensão do amor materno? Um pastor relatou recentemente, em uma reunião que se promovia em sua igreja no Dias das Mães, uma experiência enternecedora: Ele vira uma rústica casinha construída nos arredores das muralhas da penitenciária Fortmadison (EUA). Era ocupada por uma modesta mulher cujo filho cumpriria a pena de prisão perpétua naquela instituição. Ela procurava ficar tão próxima quanto possível do seu desventurado filho, afirmando sempre com amargura e doce esperança: "Esperarei pelo meu querido filho até que ele seja liberto!" Walter B. Knight
MÃE EXEMPLAR"Sou missionária de Deus entre meus filhos", afirmou uma mãe crente."Seis pares de olhos pequenos e vivos me vigiam, constantemente, e seis pares de ouvidos escutam atentamente, as minhas palavras; e desejo que meus filhos jamais vejam em mim qualquer má ação ou conduta duvidosa, que lhes possa influenciar de maneira negativa!!!" Lembramos, na oportunidade, os episódios dramáticos ocorridos durante a II Guerra Mundial, quando as mães se recusam a abandonar os filhinhos, e eram atiradas juntamente com eles nas câmaras de gás dos horripilantes campos de concentração. O eminente autor que descreveu quadros tão lacinantes, ressaltando o heroísmo dessas mães anônimas, lembra as emocionantes palavras de Cantares de Salomão (8:7): "As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios afoga-lo!" M.M.O
"DEUS É AMOR". Esta expressão é o resultado da experiência pessoal de João. Como os primeiros dos mártires do Cristianismo ele aprendeu que a coragem não ser frustrada. O segredo do destemor em face da perseguição e da morte era seu sincero amor pelo salvador. Um dia uma casa incendiou. Muitas pessoas acorreram para ver o fogo. Sabiam que havia umas crianças presas no interior da casa em chamas, mas ninguém se animava a entrar na casa para salva-las.Chegou, pois, a mãe das crianças e, sem detença penetrou no meio das chamas, buscando salvar seus filhos. Era uma mulher tímida, mais no momento em que soube que seus filhos periclitavam, o amor materno lançou fora o temos instantaneamente, perdeu o medo de todo o perigo e salvou os seus filhos.Estamos vivendo numa época de grandes perigos. É só o amor por nosso Salvador que pode lançar fora todo o nosso temor. Somos nós destemidas testemunhas de Cristo, num mundo cheio de pecados e injustiças?Chew Hock Hin (Malaísia)
BIBLIOGRAFIA Sete Mil IlustraçõesMoysés Marinho de Oliveira - JUERPIlustrações para todas as horasMoysés Marinho de Oliveira - JUERPColetânia de Ilustrações Natanael de Barros Almeida - Edição Vida Nova Fonte de pesquisa:Visão Missionária - UFMB - Ano 72 - N.º 2 - 2T94 Órgão da Convenção Batista Brasileira - impressão e distribuída pela JUERP
Por Pr. Jorge Altartacci

Trinta e oito profecias Messianicas
1. Seria a Semente de Uma MulherProfecia: Gn. 3:15 - Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Cumprimento: Gl. 4:4 - vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, Lc. 2:7 - e ela deu à luz o seu filho primogênito, enfaixou-o e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria. Ap. 12:5 - Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus até ao seu trono. 2. Seria Descendente de AbraãoProfecia: Gn. 18:18 - visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra? Cumprimento: At. 3:25 - Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência, serão abençoadas todas as nações da terra. 3. Seria Descendente de IsaqueProfecia: Gn. 17:19 - Deus lhe respondeu: De fato, Sara, tua mulher, te dará um filho, e lhe chamarás Isaque; estabelecerei com ele a minha aliança, aliança perpétua para a sua descendência. Cumprimento: Mt. 1:2 - Abraão gerou a Isaque; Isaque, a Jacó; Jacó, a Judá e a seus irmãos; 4. Seria Descendente de JacóProfecia: Nm. 24:17 - Vê-lo-ei, mas não agora; contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó, de Israel subirá um cetro que ferirá as têmporas de Moabe e destruirá todos os filhos de Sete. Cumprimento: Lc. 3:34 - Judá, filho de Jacó, Jacó, filho de Isaque, Isaque, filho de Abraão, este, filho de Tera, filho de Naor; 5. Descenderia da Tribo de JudáProfecia: Gn. 49:10 - O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de entre seus pés, até que venha Siló; e a ele obedecerão os povos. Cumprimento: Lc. 3:33 - Naassom, filho de Aminadabe, Aminadabe, filho de Admim, Admim, filho de Arni, Arni, filho de Esrom, este, filho de Perez, filho de Judá; 6. Seria Herdeiro do Trono de DaviProfecia: Is. 9:7 - para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto. Resposta: Mt. 1:1 - Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.7. Seu Lugar de NascimentoProfecia: Mq. 5:2 - E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade. Cumprimento: Mt. 2:1 - Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. 8. A Época de Seu NascimentoProfecia: Dn. 9:25 - Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos. Cumprimento: Lc. 2:1 - Naqueles dias, foi publicado um decreto de César Augusto, convocando toda a população do império para recensear-se. Lc. 2:2 - Este, o primeiro recenseamento, foi feito quando Quirino era governador da Síria.9. Nasceria de Uma VirgemProfecia: Is. 7:14 - Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel. Cumprimento: Mt. 1:18 - Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo. 10. A Matança dos MeninosProfecia: Jr. 31:15 - Assim diz o SENHOR: Ouviu-se um clamor em Ramá, pranto e grande lamento; era Raquel chorando por seus filhos e inconsolável por causa deles, porque já não existem. Resposta: Mt. 2:16 - Vendo-se iludido pelos magos, enfureceu-se Herodes grandemente e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme o tempo do qual com precisão se informara dos magos. 11. A Fuga Para o EgitoProfecia: Os. 11:1 - Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei o meu filho. Cumprimento: Mt. 2:14 - Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito; 12. Seu Ministério na GaliléiaProfecia: Is. 9:1 - Mas para a terra que estava aflita não continuará a obscuridade. Deus, nos primeiros tempos, tornou desprezível a terra de Zebulom e a terra de Naftali; mas, nos últimos, tornará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, Galiléia dos gentios.IS 9:2 - O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz. Cumprimento: Mt. 4:12 - Ouvindo, porém, Jesus que João fora preso, retirou-se para a Galiléia; Mt. 4:16 - O povo que jazia em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região e sombra da morte resplandeceu-lhes a luz. 13. Como ProfetaProfecia: Dt. 18:15 - O SENHOR, teu Deus, te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, semelhante a mim; a ele ouvirás, Cumprimento: Jo. 6:14 - Vendo, pois, os homens o sinal que Jesus fizera, disseram: Este é, verdadeiramente, o profeta que devia vir ao mundo. 14. Seria Sacerdote com MelquisedequeProfecia: Sl. 110:4 - O SENHOR jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. Cumprimento: Hb. 6:20 - onde Jesus, como precursor, entrou por nós, tendo-se tornado sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. 15. Despreso por Parte do JudeusProfecia: Is. 53:3 - Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Cumprimento: Jo. 1:11 - Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Jo. 5:43 - Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, certamente, o recebereis. 16. Algumas de Suas CaracterísticasProfecia: Is. 11:2 - Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR. Cumprimento:Lc. 2:52 - E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens. LC 4:18 - O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, 17. Sua Entrada TriunfalProfecia: Zc. 9:9 - Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta. Cumprimento: Jo. 12:13 - tomou ramos de palmeiras e saiu ao seu encontro, clamando: Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor e que é Rei de Israel! Jo. 12:14 - E Jesus, tendo conseguido um jumentinho, montou-o, segundo está escrito: 18. Seria Traído por Um AmigoProfecia: Sl. 41:9 - Até o meu amigo íntimo, em quem eu confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o calcanhar. Cumprimento: Mc. 14:10 - E Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter com os principais sacerdotes, para lhes entregar Jesus. 19. Seria Vendido Por Trinta Moedas de PrataProfecia: Zc. 11:12 - Eu lhes disse: se vos parece bem, dai-me o meu salário; e, se não, deixai-o. Pesaram, pois, por meu salário trinta moedas de prata. Cumprimento: Mt. 26:15 - Que me quereis dar, e eu vo-lo entregarei? E pagaram-lhe trinta moedas de prata. Mt. 27:3 - Então, Judas, o que o traiu, vendo que Jesus fora condenado, tocado de remorso, devolveu as trinta moedas de prata aos principais sacerdotes e aos anciãos, dizendo:20. Dinheiro Seria Devolvido Para Comprar um Campo de um OleiroProfecia: Zc. 11:13 - Então, o SENHOR me disse: Arroja isso ao oleiro, esse magnífico preço em que fui avaliado por eles. Tomei as trinta moedas de prata e as arrojei ao oleiro, na Casa do SENHOR. Cumprimento: Mt. 27:6 - E os principais sacerdotes, tomando as moedas, disseram: Não é lícito deitá-las no cofre das ofertas, porque é preço de sangue. Mt. 27:7 - E, tendo deliberado, compraram com elas o campo do oleiro, para cemitério de forasteiros. 21.Lugar de Judas Deveria Ser Ocupado Por OutroProfecia: Sl. 109:7 - Quando o julgarem, seja condenado; e, tida como pecado, a sua oração. Sl. 109:8 - Os seus dias sejam poucos, e tome outro o seu encargo. Cumprimento: At. 1:18 - (Ora, este homem adquiriu um campo com o preço da iniqüidade; e, precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram; At. 1:19 - e isto chegou ao conhecimento de todos os habitantes de Jerusalém, de maneira que em sua própria língua esse campo era chamado Aceldama, isto é, Campo de Sangue.)At. 1:20 - Porque está escrito no Livro dos Salmos: Fique deserta a sua morada; e não haja quem nela habite; e: Tome outro o seu encargo. 22. Testemunhas Falsas o AcusariamProfecia: Sl. 27:12 - Não me deixes à vontade dos meus adversários; pois contra mim se levantam falsas testemunhas e os que só respiram crueldade. Cumprimento: Mt. 26:60 - E não acharam, apesar de se terem apresentado muitas testemunhas falsas. Mas, afinal, compareceram duas, afirmando: Mt. 26:61 - Este disse: Posso destruir o santuário de Deus e reedificá-lo em três dias. 23. Permaneceria em Silêncio Quando AcusadoProfecia: Is. 53:7 - Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Cumprimento: Mt. 26:62 - E, levantando-se o sumo sacerdote, perguntou a Jesus: Nada respondes ao que estes depõem contra ti? Mt. 26:63 - Jesus, porém, guardou silêncio. E o sumo sacerdote lhe disse: Eu te conjuro pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus. 24. Seria Golpeado e CuspidoProfecia: Is. 50:6 - Ofereci as costas aos que me feriam e as faces, aos que me arrancavam os cabelos; não escondi o rosto aos que me afrontavam e me cuspiam. Cumprimento: Mc. 14:65 - Puseram-se alguns a cuspir nele, a cobrir-lhe o rosto, a dar-lhe murros e a dizer-lhe: Profetiza! E os guardas o tomaram a bofetadas. 25. Seria Odiado Sem MotivoProfecia: Sl. 69:4 - São mais que os cabelos de minha cabeça os que, sem razão, me odeiam; são poderosos os meus destruidores, os que com falsos motivos são meus inimigos; por isso, tenho de restituir o que não furtei. Cumprimento: Jo. 15:23 - Quem me odeia odeia também a meu Pai. Jo. 15:24 - Se eu não tivesse feito entre eles tais obras, quais nenhum outro fez, pecado não teriam; mas, agora, não somente têm eles visto, mas também odiado, tanto a mim como a meu Pai. Jo. 15:25 - Isto, porém, é para que se cumpra a palavra escrita na sua lei: Odiaram-me sem motivo. Jo. 15:23 - Quem me odeia, odeia também a meu Pai. Jo. 15:24 - Se eu não tivesse feito entre eles tais obras, quais nenhum outro fez, pecado não teriam; mas, agora, não somente têm eles visto, mas também odiado, tanto a mim como a meu Pai. Jo. 15:25 - Isto, porém, é para que se cumpra a palavra escrita na sua lei: Odiaram-me sem motivo. 26. Sofreria em Substituição a NósProfecia: Is. 53:4 - Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Is. 53:5 - Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Cumprimento: Mt. 8:16 - Chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos e curou todos os que estavam doentes; Mt. 8:17 - para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças. 27. Seria Crucificado Com PecadoresProfecia: Is. 53:12 - Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu. Cumprimento: Mt. 27:38 - E foram crucificados com ele dois ladrões, um à sua direita, e outro à sua esquerda. Lc. 23:33 - Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como aos malfeitores, um à direita, outro à esquerda. 28. Sua Mãos e Pés Seriam TraspassadosProfecia: Sl. 22:16 - Cães me cercam; uma súcia de malfeitores me rodeia; traspassaram-me as mãos e os pés. Zc. 12:10 - E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por ele como se chora amargamente pelo primogênito. Cumprimento: Jo. 20:27 - E logo disse a Tomé: Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Jo. 19:37 - E outra vez diz a Escritura: Eles verão aquele a quem traspassaram. Jo. 20:25 - Disseram-lhe, então, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele respondeu: Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei. 29. Seria Escarnecido e InsultadoProfecia: Sl. 22:6 - Mas eu sou verme e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo. Cumprimento: Mt. 27:39 - Os que iam passando blasfemavam dele, meneando a cabeça e dizendo: 30. Dariam a Ele Fel e VinagreProfecia: Sl. 69:21 - Por alimento me deram fel e na minha sede me deram a beber vinagre. Cumprimento: Jo. 19:29 - Estava ali um vaso cheio de vinagre. Embeberam de vinagre uma esponja e, fixando-a num caniço de hissopo, lha chegaram à boca. 31. Ouviria Palavras Proféticas Com ZombariaProfecia: Sl. 22:8 - Confiou no SENHOR! Livre-o ele; salve-o, pois nele tem prazer. Cumprimento: Mt. 27:43 - Confiou em Deus; pois venha livrá-lo agora, se, de fato, lhe quer bem; porque disse: Sou Filho de Deus. 32. Oraria Por Seus InimigosProfecia: Sl. 109:4 - Em paga do meu amor, me hostilizam; eu, porém, oro. Cumprimento: Lc. 23:34 - Contudo, Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então, repartindo as vestes dele, lançaram sortes.33. Seu Lado Seria TraspassadoProfecia: Zc. 12:10 - E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por ele como se chora amargamente pelo primogênito. Cumprimento: Jo. 19:34 - Mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. 34. Os Soldados Lançariam Sorte Sobre Suas RoupasProfecia: Sl. 22:18 - Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes. Cumprimento: Mc. 15:24 - Então, o crucificaram e repartiram entre si as vestes dele, lançando-lhes sorte, para ver o que levaria cada um. 35. Seus Ossos Não Seriam QuebradosProfecia: SL 34:20 - Preserva-lhe todos os ossos, nem um deles sequer será quebrado. Cumprimento: Jo. 19:33 - chegando-se, porém, a Jesus, como vissem que já estava morto, não lhe quebraram as pernas. 36. Seria Sepultado Com os RicosProfecia: Is. 53:9 - Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca.
Cumprimento:Mt. 27:57 - Caindo a tarde, veio um homem rico de Arimatéia, chamado José, que era também discípulo de Jesus. Mt. 27:58 - Este foi ter com Pilatos e lhe pediu o corpo de Jesus. Então, Pilatos mandou que lho fosse entregue. Mt. 27:59 - E José, tomando o corpo, envolveu-o num pano limpo de linho Mt. 27:60 - e o depositou no seu túmulo novo, que fizera abrir na rocha; e, rolando uma grande pedra para a entrada do sepulcro, se retirou. Mt. 27:57 - Caindo a tarde, veio um homem rico de Arimatéia, chamado José, que era também discípulo de Jesus. Mt. 27:58 - Este foi ter com Pilatos e lhe pediu o corpo de Jesus. Então, Pilatos mandou que lho fosse entregue. Mt. 27:59 - E José, tomando o corpo, envolveu-o num pano limpo de linho Mt. 27:60 - e o depositou no seu túmulo novo, que fizera abrir na rocha; e, rolando uma grande pedra para a entrada do sepulcro, se retirou. 37. Sua RessurreiçãoProfecia: Sl. 16:10 - Pois não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Cumprimento: Mt. 28:9 - E eis que Jesus veio ao encontro delas e disse: Salve! E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés e o adoraram. Lc. 24:36 - Falavam ainda estas coisas quando Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: Paz seja convosco! (Lc. 24:37-48) 38. Sua AscensãoProfecia: Sl. 68:18 - Subiste às alturas, levaste cativo o cativeiro; recebeste homens por dádivas, até mesmo rebeldes, para que o SENHOR Deus habite no meio deles. Cumprimento: Lc. 24:50 - Então, os levou para Betânia e, erguendo as mãos, os abençoou. Lc. 24:51 - Aconteceu que, enquanto os abençoava, ia-se retirando deles, sendo elevado para o céu. At. 1:9 - Ditas estas palavras, foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos.
Por Pr.Jorge Albertacci
O carnaval e a Igreja de Deus
Sua História: Mesmo sendo um tanto obscura, é sabido que o carnaval é a época dos divertimentos que abrange os dias próximos e anteriores à quaresma, particularmente os três dias que precedem a chamada quarta-feira de cinzas, no mês de fevereiro ou março de cada ano.
Vago também, é a etimologia do vocábulo "carnaval" "primitivamente designativo da terça-feira gorda, tempo a partir do qual a igreja romana suprime (levare) o uso da carne. Petrocchi dá como étimo o baixo latim (carnelevare), modificado depois em carne, vale! Adeus, carne! O velho pisano tinha carnelevare, o napolitano, kalnolevare; é possível, que tenha havido simples dissimilação. Stappers interpreta o baixo latim canelevamem como carnis levamem, prazer da carne, antes das tristezas e continências da quaresma, (doutrinas esposadas por seitas pagãs). Na verdade o termo que define o carnaval é carne levare; termo este que começou a circular por volta dos séculos XI e XII, para designar a véspera da quarta-feira de cinzas, em que se inicia a exigência da abstinência de carne, ou jejum quaresmal. Há os que afirmam que o carnaval teve sua origem entre os gregos e romanos, onde se costumava exibir um préstito em forma de nave dedicada ao deus Dionísio ou Baco, préstito ao qual em latim se dava o nome de curros navalis: de onde vem a forma carnavale.
No Brasil:
O primeiro baile de carnaval foi realizado no dia 22 de Janeiro de 1841, na cidade do Rio de Janeiro, no Hotel Itália, localizado no antigo Largo do Rócio, atual Praça Tiradentes, por iniciativa dos proprietários do aludido Hotel, italianos empolgados com o sucesso dos grandes bailes mascarados da Europa, dos quais tinham conhecimento, o que agradou em cheio também aos brasileiros, agradou tanto que muitos bailes se seguiram; mesmo porque em 1834 o gosto pelas mascarás já era acentuado no Brasil por causa da influência francesa. No Brasil o carnaval se originou exclusivamente da Europa, sendo uma herança do entrudo português e das máscaras italianas, sendo que no início do século, foram acrescentados os elementos africanos, que contribuíram de forma definitiva para o seu desenvolvimento e originalidade. Nessa época o carnaval apesar de não ser praticado como é hoje, já era uma festa extremamente violenta, era conhecido com entrudo, nessas festas as pessoas guerreavam nas ruas, atirando água uma nas outras, através de bisnagas, farinha, pós de todos os tipos, cal, limões, laranjas podres e até mesmo urina. Em meio a tantas orgias, paganismo e obscenidade, houve uma não concordância entre a igreja romana e o carnaval, mas o que prevaleceu foi uma atitude de tolerância por parte da Igreja romana quanto ao carnaval, até porque a liderança da igreja romana não conseguiu elimino-la do calendário, a solução então foi: Se não pode vence-los, junte-se a eles. Com isso, no século XV, a festa da carne, por assim dizer, foi inserida no calendário da igreja católica, sendo oficializado como a festa que antecede a abstinência da carne, requerida pela quaresma. Ainda no mesmo século XV, provavelmente movido pelo sucesso popular da festa, o papa Paulo II a incorporou no calendário cristão, passando a partir de então a patrocinar toda uma rica celebração antes do advento da quaresma. Ainda numa atitude de coerência ao carnaval e em uma atitude de benevolência a esta nefanda orgia, o papa Paulo II, no século XV, permitiu para maior animação na Via Lata, rua fronterícia a seu palácio e silenciosa durante o ano inteiro, que ali se realizasse o carnaval romano, com suas corridas de cavalos, carros alegóricos, batalhas de confetes, e uma animada luminária de tocos de vela, além da corrida de corcundas, do lançamento de ovos e de outras manifestações populares. Não apenas o carnaval popular foi organizado pelos papas. Paulo XIV promoveu uma terça-feira gorda, um lauto jantar onde compareceu o sacro colégio romano, e o festim regado a vinho pôde ser considerado uma das primitivas celebrações em salão fechado.A Santa Bíblia:
As Escrituras Sagradas não dão amparo algum para a inconseqüente iniciativa da igreja católica na tentativa de cristianizar o carnaval, justificativas foram apresentadas pela igreja, as mais inconseqüentes e infelizes. O Carnaval é um exemplo real da sobrevivência do paganismo, com todos os seus elementos presentes. É a explícita manifestação das obras da carne: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, glutonarias e coisas semelhantes. O apóstolo São Paulo em sua carta aos Gálatas 5:19-20 declara inequivocamente que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.A Santidade:Em Ezequiel 44:23 está escrito: "E a meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano e o farão discernir entre o impuro e o puro." - Sendo o carnaval a expressão máxima daquilo que é profano, daquilo que é abominável aos olhos do Senhor, não é então prática para os santos que já foram alcançados pela maravilhosa salvação do nosso Deus participar. É claro que temos que ensinar o povo não alcançados a distinguir entre o santo e o profano, mas fora da lama, sem participar da profanação, sem fazer quorum com essa orgia depravada, há muitos lugares, onde durante o ano, que os servos do Senhor Jesus podem ensinar para os que ainda estão debaixo dessas avalanches. Há quem justifique como estratégia evangelística a participação efetiva na nefanda festa do carnaval, desfilando com carros alegóricos e blocos "evangélicos" o que não deixa de ser uma tremenda associação com a profanação, é a mistura do santo com o profano sob pretexto de evangelização. Pergunta-se então: será que deveríamos freqüentar a boates gays, sessões espíritas e casas de massagem, a fim de conhecer melhor a ação do diabo e investir contra elas?
Do outro lado, no outro extremo, está a corrente dos que preferem ficar enclausurados, nos retiros espirituais, deixam as igrejas vazias e às vezes até mesmo fechadas, a cidade vazia, parece que por conta do rei momo. Respeitando as opiniões dos que adotam tais idéias, devo dizer, que nos dias de carnaval, a Igreja do Senhor Jesus precisa estar acesa, viva como ela é viva, ativa, Obreiros, músicos, corais, orquestras, todos na cidade, pregando, cantando, T E S T E M U N H A N D O, que Jesus Vive, que Ele está às portas para arrebatar a sua Igreja, investir em folhetos, Evangelhos, Novos Testamentos, Bíblias, e todo o tipo de literatura que testemunha de Jesus, promover reuniões evangelísticas nas residências dos irmãos, tirar a luz que está embaixo do alqueire e coloca-la sobre o velador, desenclausurar-se. (Jr 15:19) - Portanto, assim diz o SENHOR: Se tu voltares, então, te trarei, e estarás diante da minha face; e, se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca; tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles. O crente é a boca de Deus! Sim o crente é a boca de Deus, ou então ele não é nada, mas como pode o crente ser a boca de Deus? A resposta está no versículo acima: separando o precioso do vil, apresentando seu corpo ao Senhor em sacrifício vivo, santo e A G R A D Á V E L a Deus - (Rm 12: 1-2) - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. O Sal da Terra:Os salvos são o sal da terra, a Igreja do Senhor Jesus é o sal da terra - (Mt 5: 13) Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. Em meio a tanta carne, se faltar o sal a deterioração será total. Que função tem o sal!!! - a) preserva, não deixando apodrecer - b) tempera, equilibrando o sabor - c) provoca a sede: "E, no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, que venha a mim e beba". (Jo:7:37). O carnaval, não pode alterar a rotina da Igreja, só se for no sentido de a Igreja intensificar ainda mais a sua ação. O carnaval não pode influenciar a Igreja, a Igreja não é do mundo; a Igreja não é dirigida pelo deus deste presente século, a Igreja e norteada em todas as coisas pelo Espírito Santo de Deus - (1ª Co 4:3-4): "Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus". A Luz do Mundo:Os dias de carnaval, não são tão diferentes dos outros dias para os salvos, mas os dias de carnaval são dias de trevas mais densas, porque todas as atenções do mundo estão voltadas para aplaudir a essas aberrações, há um grande alarido no arraial pela chegada do rei momo, e se os Pastores não estiverem vigilantes, até mesmo as Igrejas ficam com suas atenções voltadas para o carnaval. Mas a Igreja do Senhor Jesus é a luz do mundo: (Mt 5:14) "Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte". Que exemplo nos dá o sol!!! Nasce pela manhã, alumia os monturos, os lixões atômicos, os lugares de podridões, os blocos carnavalescos; alumia a Igreja do Senhor Jesus, e à tarde se põe em tacto como nasceu, sem se contaminar.Ultraje ao que é Santo:Como se já não bastasse a forma com que satanás com seus adeptos, procurassem ultrajar, vilipendiar o ano inteiro, àquEle que sem reclamar deu Sua vida para salvação do mais vil pecador, parece que nos dias de carnaval esse astuto usurpador, como se estivesse fechando o balanço do inferno, procurasse arregimentar todos os demônios do inferno, a juntar-se com todos os oprimidos da terra, para uma blasfêmia sem precedentes e sem medidas, contra tudo que é de Deus, contra tudo o que é Santo. Procurando sem sucesso a denegrir a Igreja de Deus. Atentando contra a Célula Mater da sociedade que é a família, essa instituição Divina, instituída ainda no Éden, pelo próprio Deus e sem o auxilio de oprimido nenhum, e que Deus tem primado por sua preservação em todas as dispensações, e hoje esse inimigo audaz tem tentado por todos os meios a acabar com ela; durante o ano, as pessoas que mais se projetam na sociedade através da Televisão, parece não ter mais nada a apresentar a não ser vilipendiar a família, culminando, fazendo um fechamento infeliz no carnaval. Mulheres que se desnudam em plena via pública, diante das câmeras para o mundo inteiro, induzindo as crianças à sexualidade precoce, e promíscua, às drogas, à falta de respeito, à violência e enfim à morte precoce. Resultados do Carnaval: Só no ano de 1999 foram registrados, pela Polícia Rodoviária Federal, 2468 acidentes nas estradas do país, com 150 mortos e mais de 550 feridos. Bibliografia: Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa Enciclopédia Britânica - 1978 - Vol. 04 Defesa da Fé - ICP - Vol. 31 O Santo e o Profano: Pastor Jorge LinharesAs citações bíblicas foram da Edição Revista e Corrigida - IBB Em 07 de Fevereiro de 2002
Pr. Jorge Albertacci

Acaz, o rei que agiu mal
II Reis 16:1-20
1. O perigo de mudarmos os moldes de Deus para o Culto Divino, Acaz teve o privilégio de chegar a rei de Judá. Tribo da qual descenderia Jesus. V. 1-2.
2. Segundo consta, seu nome era Joacaz que tem a ver com Jeová; a omissão do início que denota Jeová, foi devido a tanta abominação por ele praticada...
3. Ao invés de preservar os marcos, andou segundo aos reis corruptos de outras nações: Jeorão ( 8:18 ) Acazias ( 8:27 ) Joás ( II Cr. 24:18 ).
4. Chegou ao absurdo de queimar seu filho vivo em holocausto, ato abominável aos olhos do Senhor. Lv. 18:21 - II Cr. 28:3 - Jr.19:5.
5. Entrou em aperto com as nações vizinhas V 5-6. Sentiu-se impotente...
6. Foi pedir socorro exatamente onde não devia, à Tiglate-Pileser, rei da Assíria, ao invés de restaurar o culto à Deus. V. 7.
7. Tiglate-Pileser o ajudaria, desde que todos os símbolos políticos e religiosos fosse mudados. V. 18.
8. Mesmo assim Deus fala com ele através de Is. 7:3-4 - Amós 9:7.
9. O pior, presenteou ao rei da Assíria com a prata e o ouro do Templo do Senhor e do palácio. V. 8-9. Agora Acaz vai a Damasco, encontrar-se com Tiglate-Pileser. Viu um altar... V. 10. Viu e agradou...
10. Arquitetou o altar pagão, passou a semelhança, o desenhou para o sacerdote.
11. Desprezou o Altar do Senhor. Formou altos por todo estado...
12. Cortou as cintas da base... Pagou tributo a reis ímpios... Todos os que receberam, em um estado, em um país, ou no Templo, qualquer Obra de Deus para fazer e as fizeram relaxadamente, seus nomes ficaram na história. Davi, teve seu reinado marcado de sangue: Perdeu a visão das coisas e permitiu que Jonadabe aninhasse com seus filhos. Estupro e incesto entre Amom e sua irmã Tamar. Com isto Absalão assassina seu irmão Amom. Absalão entra em atrito com o pai ( Davi ) tenta tomar-lhe o lugar e morre na peleja. Ah! quem me dera asas como de pombas!Voaria e estaria em descanso.Sl. 55:6...
Por Pr. Jorge Albertacci
O Verdadeiro Sentido da Páscoa
SUA ORIGEMA palavra portuguesa "páscoa" é usada para designar a festa dos Judeus que, no hebraico é chamada pasach, que significa " saltar por cima " "passar por sobre". Pasach é a forma nominal da palavra. Esse nome surgiu em face da tradição de que o anjo da morte, o anjo destruidor, " passou por sobre ". As casas assinaladas com o sangue do cordeiro pascal, quando ele matou os primogênitos dos egípcios, conforme consta no livro de Êxodo 12: 21-36."21 Chamou, pois, Moisés a todos os anciãos de Israel e disse-lhes: Escolhei, e tomai vós cordeiros para vossas famílias, e sacrificai a Páscoa. 22 Então, tomai um molho de hissopo, e molhai-o no sangue que estiver na bacia, e lançai na verga da porta, e em ambas as ombreiras, do sangue que estiver na bacia; porém nenhum de vós saia da porta da sua casa até à manhã.23 Porque o SENHOR passará para ferir aos egípcios, porém, quando vir o sangue na verga da porta e em ambas as ombreiras, o SENHOR passará aquela porta e não deixará ao destruidor entrar em vossas casas para vos ferir.24 Portanto, guardai isto por estatuto para vós e para vossos filhos, para sempre.25 E acontecerá que, quando entrardes na terra que o SENHOR vos dará, como tem dito, guardareis este culto. 26 E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este vosso?27 Então, direis: Este é o sacrifício da Páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios e livrou as nossas casas. Então, o povo inclinou-se e adorou. 28 E foram os filhos de Israel e fizeram isso; como o SENHOR ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram. 29 E aconteceu, à meia-noite, que o SENHOR feriu todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se sentava em seu trono, até ao primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais. 30 E Faraó levantou-se de noite, ele, e todos os seus servos, e todos os egípcios; e havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. 31 Então, chamou a Moisés e a Arão de noite e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; e ide, servi ao SENHOR, como tendes dito. 32 Levai também convosco vossas ovelhas e vossas vacas, como tendes dito; e ide e abençoai-me também a mim.33 E os egípcios apertavam ao povo, apressando-se para lançá-los da terra; porque diziam: Todos seremos mortos. 34 E o povo tomou a sua massa, antes que levedasse, e as suas amassadeiras atadas em suas vestes, sobre seus ombros.35 Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme a palavra de Moisés e pediram aos egípcios vasos {ou jóias} de prata, e vasos {ou jóias} de ouro, e vestes. 36 E o SENHOR deu graça ao povo em os olhos dos egípcios, e estes emprestavam-lhes, {Heb. davam-lhes o que lhes pediam} e eles despojavam os egípcios".Essa foi a última das pragas que se tornaram necessárias para convencer ao faraó de permitir que Israel saísse do Egito, após séculos de escravidão naquele país. Portanto, a Páscoa assumiu o sentido de livramento, e o próprio êxodo foi a concretização desta libertação. Em face do cordeiro pascal, sacrificado na ocasião, o evento veio a ser integralmente associado à idéia de expiação, embora não fosse essa a intenção original. É provável que tal sacrifício já fosse de uso comum, mais foi então utilizado com esse significado especial. Às palavras associadas à páscoa são as seguintes: Pasach "passar por sobre", "saltar por cima". Uma possível alusão a uma antiga festa de origem pastoril além de ser uma referência direta ao anjo da morte , que passou por sobre os filhos de Israel, mas destruiu todos os primogênitos do Egito. Abibe ( vem de aviv = primavera ), uma referência a esta estação do ano, bem como o nome do mês em que este evento começava; mais tarde esse mês chamou-se Nisã. Esse tornou-se o primeiro dos meses do calendário judaico, em honra àquele momentoso acontecimento, o começo da nação de Israel. Matzoth, os pães sem fermento, ou pães asmos, associados à páscoa. O Novo Testamento combina as palavras distintas Pascha " páscoa" e ta adzuma, " pães asmos ", em uma única referência, Mateus 26:2; 7 "2 Bem sabeis que, daqui a dois dias, é a Páscoa, e o Filho do Homem será entregue para ser crucificado. 17 E, no primeiro dia da Festa dos Pães Asmos, chegaram os discípulos junto de Jesus, dizendo: Onde queres que preparemos a comida da Páscoa?" E bem como em Lucas 2:41; e 22:1. Entretanto, o evangelho de João emprega somente Pascha, João 2:13,23 "13 E estava próxima a Páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. 23 E, estando ele em Jerusalém pela Páscoa, durante a festa, muitos, vendo os sinais que fazia, creram no seu nome;", e bem como João 6:4 e 11:55. Seder, a ingestão de ervas amargas ( no hebraico, maror = amargo ), para que os israelitas se lembrassem de quão amargos tinham sido a escravidão e os sofrimentos no Egito.NO NOVO TESTAMENTO Um acontecimento tão importante como aquele que deu origem à nação de Israel, não poderia ser ignorado pelo Novo Testamento. Por exemplo: a morte de Cristo que ocorreu exatamente no período da Páscoa, foi sempre considerada um evento capital para os primeiros cristãos, e daí por diante durante todo o cristianismo, Jesus é chamado de nosso " Cordeiro Pascal " conforme I Co 5:7 "7 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós." Isso tem sido associado pelos cristãos à idéia de expiação e livramento, que nos liberta dos inimigos das nossas almas. A ordem de não ser partido nem um osso do cordeiro pascal foi aplicada por João às circunstâncias da morte de Jesus Cristo, Êxodo 12:46 "46 Numa casa se comerá; não levarás daquela carne fora da casa, nem dela quebrareis osso". João 9:36 "36 Porque isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: Nenhum dos seus ossos será quebrado", pelo que foi estabelecido um vínculo entre os dois eventos, fazendo o primeiro ser o símbolo do segundo. A idéia de expiação, como é patente, faz parte vital da questão. O cristão ( tal como os antigos israelitas ) deve pôr de lado o antigo fermento do pecado, da corrupção, da malícia e da desobediência, substituindo-o pelos asmos da sinceridade e da verdade. O êxodo cristão. Não nos deveríamos nos esquecer desse aspecto. A páscoa do Antigo Testamento marcava o começo de uma saída da escravidão; e, de fato era o poder por detrás desta libertação. Assim também, em Cristo, encontramos um êxodo que nos liberta da velha vida com sua escravidão ao pecado. No sentido teológico, algo foi realizado que não poderia ter sido realizado pela lei. Esse é o tema principal tanto de Paulo ( com sua doutrina da justificação pela fé ) quanto do tratado aos hebreus. O êxodo judaico libertou um povo inteiro da servidão física. O êxodo cristão oferece à todos os homens a libertação do pecado, bem como outorga do Reino da Luz, onde impera perfeita liberdade. Em Cristo, pois, os homens podem tornar-se filhos de Deus ( Gálatas 4:4-6 ) "4 mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, 5 para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. 6 E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai", Participantes da natureza divina ( II Pe 1:4 ) "4 pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo; ( Cl 2:10 ) "10 E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo principado e potestade"; e agora eles olham para sua Cidade Celeste como a sua pátria, da mesma maneira que Israel buscava uma nova pátria. ( Ver Hebreus 11:10 ) CRISTO COMO A PÁSCOA Cristo, nosso Cordeiro Pascal, foi imolado ( 1Co 5:7 ) "7 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós". No seu contexto, essa declaração tem um sentido moral. Deveríamos desvencilhar-nos de todos os elementos estranhos à espiritualidade, visto que Cristo fez o seu grande e eterno sacrifício, que é o nosso agente de nossa purificação moral. Cumpri-nos abandonar nossa velha maneira de viver PÁSCOA, OU A CEIA DO SENHOR?O próprio Senhor Jesus, quando instituiu a Santa Ceia, que se deu no dia da páscoa (Mateus 26:17-19; Marcos 14:12-16; Lucas 22:7-13), e não foi pela Sua ressurreição que Ele a instituiu, e sim, em memorial a Ele, e anunciando a Sua morte, até que Ele venha a nos buscar (I Coríntios 11:26). Isto é, a Ceia do Senhor se deu justamente na páscoa porque, a verdadeira páscoa era Ele (I Coríntios 5:7), que estava preparado para morrer pelos nossos pecados - a de ser crucificado. Por isso que foi chamado de Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:29), porque Ele é o Cordeiro a ser sacrificado, a páscoa, para derramar o Seu sangue pelos nossos pecados; pois, sem tal sacrifício, nenhum homem poderia aproximar de Deus, e entrar em comunhão com Ele, ganhando assim a vida eterna. Razão pelo qual, uma vez feito tal sacrifício, o único verdadeiro e perfeito, deixaria de ter sentido a páscoa, uma vez que o antigo pacto foi consumado. Foi por essa razão que o Senhor Jesus se reuniu com os seus discípulos, para realizar a última páscoa - a válida - e estabelecer o novo pacto, mais abrangente, e debaixo da graça: a Ceia do Senhor. Ora, se o irmão pretende celebrar a páscoa, ele deverá seguir à risca os mandamentos que Deus deu a Moisés! Terá de deixar de participar da Ceia do Senhor periodicamente (geralmente mês a mês), pois, a páscoa só se dá por volta dos meses de março/abril de cada ano. Visto que era celebrada no mês de abibe, no dia 14 por diante, e deverá imolar um cordeiro, e comer por sete dias, pães asmos e ervas amargas...(Êxodo 12:2-8-15). Não imolando o cordeiro, mesmo assim, teria de ser com pães asmos, e já terá transgredido a Lei de Deus! Mas acontece que a páscoa é um mandamento somente para o povo de Israel, e não para os outros povos, quanto mais para a Igreja de Cristo, pois senão teriam de seguir à risca, todos os preceitos que Deus deu a este povo. É uma celebração exclusiva do povo de Israel, pois nós temos em Êxodo 12:3 o seguinte: "Falai a toda a congregação de Israel..." É uma festa que deve ser guardada por todos os filhos de Israel (Êxodo 12:47). E mais, o estrangeiro não deve comer dela (Êxodo 12:43). Se por acaso, um estrangeiro, um gentio, quiser participar da páscoa, deve ser circuncidado (Êxodo 12:43). Circuncidará um salvo em Cristo Jesus para participar da páscoa? É estar debaixo da Lei, e não da graça! E tanto pelo fato de estar debaixo da Lei que, caso um homem, filho de Israel, se não comemorou a páscoa, deve ser extirpado do povo de Deus; em outras palavras, executado (Números 9:13). Era portanto, um mandamento severo, um pacto feito entre Deus e Israel, assim como o mandamento de guardar o sábado. ORIGEM PAGÃ DA PÁSCOA ATUALA páscoa que se comemora no dia de hoje, não se assemelha nem um pouco com a páscoa bíblica, e que faz parte da Lei que Deus ordenou a Moisés, e que era destinada a todo o Israel. Pelo contrário, essa páscoa que conhecemos é completamente estranha aos preceitos bíblicos, e que se reveste de outros valores sob o disfarce do cristianismo nominal. Acima de tudo, o seu paganismo que se demonstra em duas evidências: O ovo e o coelho, são símbolos que vieram dos antigos povos, como os egípcios e os persas, além de outros. Nesse caso, os ovos eram tingidos, e dados aos amigos, e os chineses as usavam nas festas de renovação da natureza. E como peças decorativas pagãs, chegaram a nós, proveniente de regiões como a Ucrânia, sob o nome de pessankas.É rica as simbologias pagãs relacionadas com os ovos. Segundo Cirlot, são emblemas da imortalidade, encontrados nos sepulcros pré-históricos da Rússia e da Suécia. E também é usado como escrita hieroglíficas dos egípcios, considerado como o que é potencial, o princípio da geração, o mistério da vida; sendo usado pelos alquimistas. Enfim, o ovo é o símbolo cósmico na maioria das tradições, desde a Índia até aos druidas celtas. Para os egípcios, o deus Re nasceu de um ovo; para os hindus, Brahma surgiu de um ovo de ouro - Hiranyagarbha - e que depois, com a casca, fez o Universo. Para os chineses, P'an Ku, nasceu de um ovo cósmico. Ele é o símbolo de fertilidade, usado como talismã pelos agricultores. E tem diversas superstições ligadas ao seu uso. Na mitologia grega, os gêmeos Castor e Pólux, nasceram de ovos "botados" (pasmem!) por uma mortal, Leda, quando fora seduzida por Zeus, que lhe apareceu sob a forma de um cisne! O ovo era, na verdade, considerado por diversos pagãos, como a origem dos seres humanos. Quanto ao coelho da páscoa, provém da lebre sagrada da deusa Eastra, uma deusa germânica da primavera.Era ela, a lebre, quem que trazia os ovos; e que em outras regiões, como na Westphalia (Alemanha), tal papel era exercido pela "raposa da páscoa"; ou, na Macedônia (Grécia), por "Paschalia" o espírito do dia. Porém, prevaleceu como símbolo da fertilidade, a lebre (ou o coelho), porque já era conhecida como tal durante muitos anos. E, em várias regiões, a lebre era considerada uma divindade. Ela está relacionada com a deusa lunar Hécate na Grécia; e, além da Eastra, tem-se o equivalente que é a deusa Harek dos germanos, que era acompanhada por lebres, consideradas como símbolos da fertilidade, devido à grande capacidade de se reproduzir, e, segundo os anglo-saxões, como também os chineses, associada à Primavera. É interessante notar que a lebre (ou o coelho) é considerado como um animal imundo (Deuteronômio 14:7). E que só recentemente é que a páscoa está sendo comemorada como uma festa em homenagem à primavera, em Israel, (ligada portanto, com os ritos da fertilidade). Isto é, já se tem uma contaminação pagã na páscoa judaica, e que outrora era considerada bíblica. E com muita razão: A páscoa judaica já há muito tempo deixou de ser bíblica visto que não tem mais eficácia, pois, a verdadeira páscoa - o Senhor Jesus - já foi consumado lá na cruz. Por esse motivo é que Deus permitiu a destruição do Templo de Salomão, cerca de 70 d.C., para que fosse impedido a comemoração da páscoa. Pois, tal comemoração, juntamente com outros preceitos, prenderiam os judeus à Lei, ao antigo pacto, e que deixou de ser válido. Além disso, os sacrifícios de holocausto (que fazem parte da Lei), só poderiam ser realizados no Templo, e não em outro lugar. Tendo isso em conta: de que a própria páscoa, instituída por Deus, deixou de ser válida; quanto mais não seria anti-bíblica a comemoração da páscoa do mundo, cuja procedência é claramente pagã? PONTO DE VISTA DA IGREJA TRADICIONALPÁSCOA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS Páscoa, do latim paschalis, deriva da palavra hebraica Pessah, passagem. Com este nome designamos a festa judaica da saída do povo do Egito conduzido por Moisés, celebrada anualmente na primeira lua cheia depois do outono, no hemisfério sul, com a ceia pascal e o cordeiro imolado, ervas e pão asmo. Simboliza também a festa cristã da Ressurreição de Jesus de Nazaré no ano 30 da era cristã, celebrada cada ano durante o tríduo pascal, da Quinta-feira ao Domingo da Semana Santa, sempre no Domingo após a lua cheia depois do início do outono no hemisfério sul, com a Festa Eucarística Solene durante a chamada Vigília Pascal, com inúmeras leituras bíblicas, celebração do fogo novo, velas e Círio Pascal, água e batismo de adultos, pão consagrado na missa solene e o canto do Hino em latim "Exultet". OVOS DE PÁSCOA Tradicionalmente, ovos coloridos são oferecidos como alimento no dia de Páscoa. Alguns destes ovos são artisticamente trabalhados e pintados. De maneira particular lembramos a beleza dos ovos de Páscoa dos ucranianos e poloneses. Ovos são símbolos da vida em germe, que está a ponto de eclodir. Tomava-se os ovos que foram postos durante a Semana Santa, especialmente os que foram botados na Sexta-feira Santa por considerá-los detentores de virtudes especiais na prevenção de febres malignas ou de pestes mortíferas. A tradição medieval na Quaresma interditava ao povo de comer "carne vermelha, doces e ovos". Os ovos de Páscoa são portanto um símbolo festivo do final da quarentena em que ficamos de regime. Lembram simbolicamente o ovo primitivo do qual nasceu e surgiu o universo vivo. É sinônimo do Cristo que ressurge das trevas da morte como o grande vencedor do mal e da finitude mortal dos humanos. CHOCOLATE O cacau tem como nome científico, em grego, de Teobroma Cacau, que traduzido quer dizer, o néctar dos deuses, ou seja, alimento divino. Seu paladar e sua força energética sempre foram reconhecidos em toda a Europa desde sua exportação das terras latino-americanas. Ao ser mesclado com leite e tomar o formato de um ovo representou novamente a força rejuvenescedora da vida que está latente no ovo e que possui agora a energia do chocolate. O ovo de chocolate é portanto o símbolo da vida que se multiplica e alimenta nossa fragilidade. COELHOS Mamíferos da família dos leporídeos, vindos da Europa foram introduzidos em todos os continentes. Cavam tocas onde parem seus filhos em grandes ninhadas. Representam a fecundidade e a reprodução constante da vida. Vinculou-se a este animal a idéia maior da festa da Páscoa que é a vitória e a exuberância da vida. Entretanto, é uma pena que um mamífero seja confundido com um ovíparo, pois ainda hoje a natureza não fez que nenhum coelho parisse ovos, mesmo os de chocolate. COLOMBA OU POMBA DE PÁSCOA Esta guloseima, de origem italiana, está ligada ao simbolismo da pomba, que representa a vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos quando Cristo ressuscita e para não nos deixar órfãos envia o Defensor dos pobres. A terceira pessoa da Santíssima Trindade é a garantia de que o amor de Deus permanece em nossa casa, em nossa vida e nossa Igreja. Daí o formato de uma pomba dado ao panetone natalino. CONCLUSÃOA Páscoa como se comemora hoje não tem nada a ver com o que preceitua a Santa Palavra de Deus, nem no Antigo e nem no Novo Testamento, tendo em vista, no decorrer dos séculos, a igreja Tradicional, haver conseguido introduzir seus dogmas pagãos tal qual acontece com o dia do nascimento do Filho de Deus (natal). O crente ao lidar com as festividades alusivas à páscoa conforme é celebrado atualmente, deve ter o conhecimento de que está se envolvendo com paganismo, com deuses da mitologia grega e romana, o que não é recomendável a uma pessoa que já fora tirada do Egito (mundo) e que já removeu de sua vida todo o fermento velho. BIBLIOGRAFIA R. N. Champlin, Ph.D. / J. M. Bentes ENCICLOPÉDIA DA BÍBLIA TEOLOGIA E FILOSOFIA Walter A Elwell ENCICLOPÉDIA HISTÓRICO-TEOLÓGICA DA IGREJA CRISTÃ Jean ChevalierAlain GheerbrantDICIONÁRIOS DE SÍMBOLOSAs referência bíblicas foram da versão Revista e Corrigida - SBB
Pastor Jorge Albertacci
Batismo nas águas, ou por aspersão?
1. IntroduçãoComo é a Ceia do Senhor, assim é também o batismo uma ordenança do Senhor Jesus para a Sua Igreja. O assunto batismo, muitos o considera polêmico, tendo em vista os mais diferentes pontos de vista e idéias esposadas a respeito, mas à luz da Bíblia Sagrada, e principalmente do Novo Testamento, indubitavelmente a forma de batismo indicada no Novo Testamento está bem esclarecida. 2. O batismo de João Batista Alguns supõem que João Batista fazia parte do grupo dos essênios. Sabe-se que os essênios consideravam apóstata o resto do judaísmo. João Batista apareceu em cena como o novo Elias, para chamar um remanescente fiel. Ele os chamava para o arrependimento e à renovação espiritual. Pregava que em breve viria o Reino de Deus e a necessidade dos homens prepararem-se para o mesmo, Mt 3:1-11:
"E, naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizendo:Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos céus. Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. E este João tinha a sua veste de pêlos de camelo e um cinto de couro em torno de seus lombos e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre. Então, ia ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão; e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não presumais de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão. E também, agora, está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo. E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; {ou calçado} ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo".João Batista, também surgiu em cena como o precursor do Messias, ele tinha a consciência de que teria de haver um novo movimento religioso através do Messias que havia de vir, e que o arrependimento era atitude necessária, e era simbolizado pelo batismo em água.
Não há de que duvidar, que João Batista imitava o batismo judaico de prosélitos, que requeria a imersão em água, representando a purificação da anterior vida pecaminosa. Enquanto a pessoa se imergia na água, trechos da lei eram lidos, dando a entender que ele tencionava fazer da lei o guia da nova vida na qual a pessoa estava entrando.
O batismo de João, estritamente falando, não era cristão. O batismo cristão simboliza principalmente a nossa união com Cristo, em sua morte e ressurreição, conforme Romanos 6:3-4:
" Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida".Os motivos pelos quais João batizava, nada tinha a ver com as razões dos judeus, porque ele estava iniciando um novo movimento religioso, que eventualmente proveu o núcleo para a emergente Igreja Cristã. João tratava os judeus como pagãos, requerendo um batismo condicionado à conversão, a um novo caminho. João impunha esse tipo de batismo para reforçar sua mensagem de que a verdadeira espiritualidade não depende do legalismo e nem da identificação com alguma nacionalidade. João censurava os farizeus por dependerem de sua nacionalidade, como garantia de salvação. Mateus 3:8-9:
"E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não presumais de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão".
Por igual modo, o batismo cristão, sem importar o grupo cristão que o esteja administrando, se for considerado como institucional, não se revestirá de qualquer valor, pois esse valor depende da espiritualidade autêntica.Contudo, o movimente de João Batista não era apenas o rompimento com o antigo sistema. Também era um palco onde teria início um novo sistema, fundamentado sobre o Senhor Jesus Cristo. Sem dúvida, João tinha consciência de que algo especial precisava ser preparado para isso. João predisse o aparecimento de alguém que viria após ele mesmo, que batizaria no fogo, e não na água; e assim antecipou um notável avanço no plano de Deus. Mateus 3:11:
" E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; {ou calçado} ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.
E João 1:26-27:
" João respondeu-lhes, dizendo: Eu batizo com água, mas, no meio de vós, está um a quem vós não conheceis. Este é aquele que vem após mim, que foi antes de mim, do qual eu não sou digno de desatar as correias das sandália".
Podemos estar certos de que a maioria dos discípulos de João não foi rebatizada quando começaram a seguir a Cristo. Mas aqueles que não tinham tomado conhecimento da vinda do Messias, e sua obra, foram rebatizados com uma instrução no verdadeiro discipulado cristão, conforme se vê em Atos 19:1-7:
" E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado por todas as regiões superiores, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo. Perguntou-lhes, então: Em que sois batizados, então? E eles disseram: No batismo de João. Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam. Estes eram, ao todo, uns doze varões". 3. O batismo nas águas é mandamento No Novo Testamento, aprendemos que o batismo nas águas é mandamento, não só para os que aceitam o Senhor Jesus como Salvador, mas também para os pregadores, para os que ensinam, conforme diz em Mateus 28:19-20:"
"Portanto, ide, ensinai {ou fazei discípulos} todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém"!
O batismo é portanto a primeira ordenança do Senhor Jesus para Sua Igreja. Em são Marcos 16:15-16 diz:
"E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado".
Está bem claro que o batismo nas águas não é para o crente algo facultativo, mas um mandamento do Senhor Jesus. Contudo, não é um mandamento inexorável, pois, se de fato amarmos a Jesus, com grande alegria entraremos nas águas do batismo, demonstrando pública e claramente a nossa fé nEle e bem como o nosso desejo de servi-lo para sempre.
Assim seguiremos a Jesus, que cumpriu toda a justiça, quando foi batizado no Jordão. Mateus 3:15:
"Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o permitiu".Como o batismo de Jesus no Jordão serviu para identificar Cristo com a humanidade, assim o batismo do crente o identifica com Cristo, por ser um ato pelo qual o crente exterioriza, em testemunho público, a obra que o Filho de Deus já efetuou no seu coração. Esta identificação divide-se em três partes:a) Na Sua morte: Pelo ato de descermos às águas do batismo, declaramos publicamente que Cristo morreu em nosso lugar e que nós merecíamos justamente o que Ele sofreu. Condenados estão, portanto, à morte a velha natureza, o velho "ego" e tudo quanto lhe pertence. Reconhecemos que somos "mortos com Cristo" como lemos em Romanos 6:3:
"Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? Os que fomos batizados em Cristo, fomos batizados na Sua morte;
Ainda em Romanos 6:6 lemos:
"sabendo isto: que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, a fim de que não sirvamos mais ao pecado".
Naturalmente, isso indica que já antes confessamos os nossos pecados a Jesus, pedindo-lhe perdão, tendo nos arrependido e crido com todo o coração, sem o que de nada valeria o batismo.b) No Seu sepultamento: Como o crente se identifica com a morte de Jesus ao ser descido às águas, assim ele se une ao sepultamento de Cristo ao ser momentaneamente sepultado nas águas. São Paulo diz em Romanos 6:4:
"De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida".
Assim como uma pessoa que morre fisicamente, precisa ser urgentemente sepultada, assim convém também sepultar o velho homem.
Mas o ato do sepultamento não pode ser efetuado somente com um pouquinho de terra, para que não aconteça dentro de poucas horas estar exalando mau cheiro.c) Na Sua ressurreição: O ato de sair das águas batismais é o magnífico símbolo que o Senhor Jesus escolheu para nos identificar com a Sua gloriosa ressurreição, como um memorial perpétuo daquela manhã esplêndida quando as barras da morte não mais puderam prender o Senhor Jesus. O crente exclama:
"Morri para o mundo, mas de Jesus, recebi uma nova vida, a vida da ressurreição, a vida eterna. Agora não mais sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim".
Oh! Que glorioso testemunho!
Fomos pois sepultados (imersos - mergulhados) com Ele na morte pelo batismo, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também nós andemos em novidade de vida. Se tivermos sidos unidos a Ele na semelhança da Sua morte, com certeza o seremos também na Sua ressurreição. Se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com Ele, sabendo que havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre mais. Aleluia!
A morte não terá domínio sobre Ele. Assim vós também, considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus, nosso Senhor, veja o que diz Romanos 6:4-11.
cada crente batizados nas águas deve conhecer mais e mais o poder da ressurreição e viver em tão estreita comunhão com o Cristo ressurreto.
"Tendo sido sepultado (imergido nas águas batismais) juntamente com Ele no batismo, no qual fostes também ressuscitados (como que pode imergir uma pessoa em um ou dez litros de água?) por meio da vossa fé na operação de Deus que o ressuscitou dentre os mortos."
Agora sobre o contexto.Mudando a figura um pouco: A Escritura também faz do batismo um símbolo da "R E G E R E R A Ç Ã O" ou do "N O V O N A S C I M E N T O" inteligível nas Sagradas Escrituras: Que se compara à lavagem do corpo pelo banho. O Sangue de Jesus, pelo Espírito Santo, nos lavou de todas as nossas imundícies, assim lemos em Tito 3:5:
"não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo." "Nos salvou pelo lavatório (grego - "loutron" - literalmente, banho ou batismo) da regeneração e renovação do Espírito Santo"
Comparemos também Efésios 5:26:
"para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra". (lavagem - "loutron" - grego). Como sinal dessa lavagem, Paulo recebeu o mandamento de Ananias na cidade de Damasco:
"E, agora, por que te deténs? Levanta-te, e batiza-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor. (Atos 22:16).
Consideremos ainda o que diz Gálatas 3:27:
"porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo".
Como a gente se reveste duma vestimenta, assim, pelo batismo (após uma conversão genuína) o crente se reveste de Cristo, de todo o Seu caráter, Sua vontade, Sua obra, Sua morte, Seu sepultamento e de Sua ressurreição. Aleluia!Portanto, o batismo que salva é o espiritual e não o literal. Vejamos em I Co 10:1-10:
"Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem; e todos passaram pelo mar, e todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar e todos comeram de um mesmo manjar espiritual, e beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo. Mas Deus não se agradou da maior parte deles, pelo que foram prostrados no deserto. E essas coisas foram-nos feitas em figura, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber e levantou-se para folgar. E não nos prostituamos, como alguns deles fizeram e caíram num dia vinte e três mil. E não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram e pereceram pelas serpentes. E não murmureis, como também alguns deles murmuraram e pereceram pelo destruidor."O povo de Israel esteve sob a nuvem protetora, atravessou o mar em seco e comeu de um alimento sobrenatural, também bebeu de uma rocha sobrenatural, a qual Paulo diz representar Cristo. Desse modo, os israelitas participaram do pacto mosaico, tornando-se o povo que Deus livrara da servidão ao qual concedera a vida.
Nós também participamos de todas as provisões que há em Cristo Jesus, e o batismo nas águas simboliza a passagem pelo mar, a fim de escaparmos da escravidão ao pecado; e assim chegarmos a desfrutar da nova vida, convertido e liberto. Mas o batismo nas águas não realiza realmente, tal coisa, como a passagem pelo mar não espiritualizou o povo de Israel.
O batismo nas águas proclama que houve arrependimento e perdão de pecados (ver Mt 3:6; Mc 1:4).
O batismo nas águas simboliza o poder purificador da Palavra de Deus, e, por conseqüência, da regeneração (ver Tt 3:5).
O batismo nas águas é o símbolo das operações do Espírito Santo (ver Jo 3:5).
Contudo o batismo nas águas não garante que todos que são batizados são possuidores das realidades por ele simbolizadas (ver I Co 10:1-10), onde se lê sobre a ilustração baseada em Israel, pois esse povo atravessou o mar, mas, depois caiu em idolatria;
Ver também (At 8:21-23; Jo 13:10-11 e 15:1-6). 4. Sobre o batismo por aspersão: Uma vez que se admita que o modo original de batismo recomendado para a igreja cristã foi a imersão conforme é deixado bem claro por Paulo em Romanos 6:3-4, com seu sentido de sepultamento-ressurreição.
Tentar mostrar conforme faz Unger em seu dicionário bíblico que:
a) mergulhar não é um sentido primário de baptizo, mas um sentido derivado;
b) que há outros simbolismos para o batismo, que não subentendem imersão, como a morte e a crucificação (ver Rm 6:3), o revestir-se de Cristo (ver Col 3:27) e a circuncisão (ver Col 2:11-14), conforme diz a Zondervan Pictorial Enciclopedya Of the Bible, é por demais ridículo para levar a sério.
Em primeiro lugar a observação de Unger é completamente infundada.Em segundo lugar, é óbvio que o batismo envolve muito simbolismo, a maioria dos quais nada diz sobre o modo se é por aspersão, imersão ou derramamento, porem, o próprio simbolismo que diz respeito ao modo é aquele que projeta a idéia de imersão.
Os escritos patrísticos divergem em muitos sentidos sobre o batismo, mas não são estes que vão resolver a nossa fé e prática ainda que sejam, às vezes interessantes. Para nós, a palavra do Novo Testamento deve ser a única regra para dirimir qualquer questão sobre este assunto.
O historiador Andrew Miller "Fé só se firma na palavra de Deus. Não seguimos os pais da igreja, mas à Cristo" (The First 1000 Years of Church History).
Um exemplo: O primeiro dos pais da igreja que mencionou o batismo infantil foi Irineu, que morreu cerca do ano 200 d.C. Seus escritos pertencem ao segundo século. Mas ele não era firme nos seus ensinos apostólicos, pois iguala em igual valor o batismo à regeneração, dizendo:
"Cristo veio para salvar todas as pessoas, isto é, aquelas que por Ele são regeneradas - batizadas".
Faz deste modo, o batismo não só um ato de fé e obediência ao mandamento de Jesus, mas também uma graça e ação regeneradora. Torna o ato exterior um meio transformador. Irineu é, neste sentido, acompanhado por muitos Pais da Igreja que, pretendendo basear-se em João 3:5 interpretam que a água ali significa o batismo em lugar de simbolizar a palavra (João 15:3; 17:17; Ef 5:16).
Os teólogos católicos-romanos, luteranos e anglicanos, tem seguido o mesmo caminho. Essa infeliz interpretação tem iludido a muitos, levando-os a confiar numa salvação que receberia consciente ou inconscientemente pela graça divina do batismo. Embora na idade média essa prática do batismo por aspersão ter sido difundida por alguns teólogos, jamais encontraremos qualquer amparo à esta idéia no Novo Testamento. 5. Sobre o termo batismo O termo grego bapto, "mergulhar", deu origem à sua forma intensiva, baptizo, usada no Novo Testamento, onde alude ao ato de "mergulhar", "afundar", "imergir". Pode exprimir a idéia de lavar, como se vê Mc 7:4 :
"e, quando voltam do mercado, se não se lavarem, não comem. E muitas outras coisas há que receberam para observar, como lavar os copos, e os jarros, e os vasos de metal, e as camas".
Qualquer pessoa interessada e que se de ao trabalho de examinar cuidadosamente este assunto nas escrituras sagradas, descobrirá que esta palavra denota imersão, ou, pelo menos, o uso de grandes quantidades de água do que obtemos outros sentidos como "avassalar", "ensopar", etc. Tentar furtar a palavra baptizo de seu sentido básico, "imergir", é ridículo, é uma violência à língua e a história do termo. A maioria dos eruditos admite isso, mesmo quando não são membros de denominações evangélicas que imergem.
Mas então, alguns encontram outras justificativas para não imergirem usando de argumentos como:
a) O modo do batismo não é importante;
b) A Igreja primitiva praticava vários modos de batismos;
c) As condições de clima exercem influência sobre o modo de batizar,
d) Havia antecedente judaico para a aspersão, como as cerimônias em que o sangue era aspergido.
Mas, contra tais argumentos podemos observar que todo batismo judaico dava-se por imersão. Somente a imersão total pode simbolizar devidamente a purificação de uma pessoa de sua antiga vida, por estar em foco uma lavagem. Ninguém pode lavar uma pessoa salpicando-lhe algumas gotas sobre a cabeça; João batizava onde havia "muita água" (Jo 3:23).
Podemos estar certo de que ele usava o modo judaico padrão de imersão. Não fazia somente suas cabeças ficarem molhadas.
Os pecadores precisam ser lavados de seus pecados, e o batismo por imersão é o modo que representa corretamente esta lavagem, segundo preceitua a santa palavra de Deus. 6. Conclusão Segundo as recomendações bíblicas para o batismo, o mesmo deve ser sempre por imersão. Outras formas de batismo tais como: batismo por aspersão, batismo de recém-nascidos, batismo como sacramento, e outros, estão todos explicitamente refutados pelas Sagradas Escrituras. Bibliografia ENCICLOPÉDIA DE BÍBLIA TEOLOGIA E FILOSOFIA - VOL. 1 R. N. Champlin, Ph.D. J.M. Bentes ENCICLOPÉDIA HISTÓRICO -TEOLÓGICA DA IGREJA CRISTÃ Editor Walter A. Elwell O BATISMO BÍBLICO E A TRINDADE N. Lawrence Olson Editora: CPAD BRASILEITURA DICIONÁRIO Alfredo Scottini As citações bíblicas foram da Edição Revista e Corrigida da SBB - Sociedade Bíblica do Brasil
Por: Pastor Jorge Albertacci
Ainda que a terra se mude
Salmo 46Ainda que os montes se transportem para o meio dos mares Sl. 46:2Ainda que as águas rujam Sl. 46:3
Paira uma perplexidade entre as nações do mundo, pelo motivos abaixo:Falta de segurança: - violência generalizada - falta de respeito entre familiares - banalização aos bons princípios.
Falta de recurso: - saúde - alimentação - iluminação - água - luz - moradia - educação.
Corrupção: - nas mais altas camadas da sociedade - roubos - desvio dos recursos públicos são as principais manchetes dos Jornais falados - televisivos - escritos - falta de decoro onde não se pode faltar.
Fracasso: - Gideão clamou: "ai Senhor meu, com que livrarei a Israel" Jz 6:15. As nações com todo aparato de segurança se sentem vulneráveis aos atentados.
A FÚRIA DAS TSUNAMIS QUE ASSOLARAM A ÁSIA EM 26/12/2004Nasa detalha efeitos de tsunamis: O terremoto de 26 de dezembro - que provocou as ondas gigantes no Oceano Índico - afetou a rotação da Terra, reduziu a duração do dia, mudou suavemente o formato do planeta e alterou em centímetros a posição do Pólo Norte, informou a Nasa em seu site, com base em análises de cientistas da própria agência espacial americana. Os cientistas Richard Gross e... O Globo de 13/01/2005
Ondas revolveram solo e criaram risco de contaminação que pode levar a doença letal LONDRES. Uma infecção causada por fungos é a mais nova ameaça aos sobreviventes das tsunamis do Oceano Índico. Um estudo publicado na edição de hoje da revista médica britânica "The Lancet" alerta para o risco de casos de mucormicose, uma infecção normalmente muito rara, mas que mata até 80% das vítimas. ... O Globo de 28/01/05TISUNAMIS NACIONAIS - O GLOBO DE 05/01/2001Com todo o respeito às quase 200 mil vítimas fatais do terremoto no Oceano Índico, defendo que a magnanimidade do governo brasileiro deveria ser menos demagógica e mais efetiva em relação às tsunamis que nos acometem todos os anos de forma crescente: no Brasil, mais de 60 mil pessoas morrem, anualmente, devido à violência. Balas perdidas, seqüestros, roubos a pessoas e a casas, tráfico de ...
A FÚRIA DAS TSUNAMIS: CIENTISTA QUESTIONA NECESSIDADE DE UM SISTEMA DE ALERTA NA ÁREA DA TRAGÉDIA DE DEZEMBRO - O GLOBO 05/01/2005
... da Johns Hopkins registros mostram que evento ocorre na região a cada duas gerações Um novo maremoto de proporções catastróficas similares às do último dia 26 só deverá voltar a ocorrer no Oceano Índico dentro de 50 anos. A análise é de Robert Dalrymple, especialista em tsunamis da Universidade Johns Hopkins, nos EUA. - Claro que poderia acontecer novamente antes disso, mas não ach ...
Medo: O medo de as montanhas ou as cidades serem subitamente lançadas ao mar como resultado de um terremoto, ou desintegrarem-se devido a uma explosão nuclear assombra muitas pessoas hoje. Mas o Salmista diz que, ainda que o mundo venha a ser abalado, não precisamos temer. Diante da mudança absoluta, o escritor expressou sua calma confiança na habilidade e na capacidade de Deus para salvar. Talvez pareça impossível considerar o fim do mundo sem ser consumido pelo medo, mas a Palavra é clara: Deus é o nosso refúgio mesmo em meio a destruição total. Ele não é somente um abrigo temporário; é o nosso refúgio eterno e pode dar-nos forças sob quaisquer circunstâncias.
Ainda que todas estas coisas aconteçamHá um rio: cujas correntes alegram a cidade de Deus - Sl. 46:4Esse rio é o fluxo contínuo: da graça - glória - poder de Deus no meio do povo salvo - Muitas cidades grandes são atravessadas por rios, que cooperam com o sustento das pessoas, tornando possível a agricultura e facilitando o comércio com as outras cidades. Jerusalém não possuía um rio, mas tinha a Deus, que como um rio sustentava seu povo. Enquanto Ele vivesse entre o povo, a cidade seria invencível. Mas quando o abandonaram, Deus não o protegeu, e Jerusalém caiu nas mãos do exército babilônico. A antiga cidade de Jerusalém realmente caiu diante dos babilônicos, em 586 a. C. mas a nova Jerusalém permanecerá "pelos séculos dos séculos" (Ap 22:5).Esse rio flui de Deus Pai: Ez. 2:13 - Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas rotas que não retêm as águas.Esse rio flui do Deus Filho: Zc. 13:1- naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi e para os habitantes de Jerusalém contra o pecado e contra a impureza.Jo. 4:14: - Mas aquele que beber da água que Eu lhe der nunca terá sede, porque a água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna.Esse rio flui do Espírito Santo: Jo. 7:37-39 - e no último dia o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou dizendo: Se alguém tem sede quem venha a mim e beba. Quem crê em mim como diz a Escrituras, rios de água viva correrão do seu ventre. E isso disse Ele do Espírito Santo.
A terra se derreteu - Sl 46:6 - Isto quer dizer que diante da vós de Deus, o tumulto da rebeldia, se cala para sempre!Aquietai-vos - Sl. 46:10: - do original gr. admite-se a tradução "soltem-se" quer dizer larguem as coisas que impedem.
Mais à frente, Gideão com autoridade grita: Olhai para mim e fazei como eu fizer - Jz 7:17Levantai-vos porque o Senhor tem dado o arraial dos midianitas nas vossas mãos - Jz 7:15Paulo disse: sede meus imitadores, assim como eu sou de Cristo: 1ª Co 11:1.Pedro, antes fracassado disse ao homem da porta formosa: olhai para nós. At 3.
Salmos 65:9-10 - "Tu visitas a terra e a refrescas; tu a enriqueces grandemente com o rio de Deus, que está cheio de água; tu lhe dás o trigo, quando assim a tens preparada; tu enches de água os seus sulcos, regulando a sua altura; tu a amoleces com a muita chuva; tu abençoas as suas novidades."Além dos benefícios acima mencionados, os rios lavam as cidades por onde passam, levando consigo os resíduos industrias, hospitalares, bem como todo o esgoto produzido pela população, além de abastecerem as cidades com água para o consumo. Uma forte referência para isto é o Rio Paraíba do Sul que abastece de água para o consumo e lava grande parte das cidades dos Estado de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
Apocalipse 22:1- E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.Apocalipse 22:2 - No meio da sua praça e de uma e da outra banda do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a saúde das nações.
Assim como as árvores, os crentes necessitam do rio de Deus para permanecer vivos; "Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cujas folhas não caem, e tudo quanto fizer prosperará." (Sl 1:3).
CONCLUSÃOEm todos os sentidos os rios são fontes de vida para a humanidade, bem como para a fauna e para a flora e para a própria terra, no sentido de regar e promover a vida. Incólume, os rios após levarem todos os detritos de uma cidade e percorrerem alguns Quilômetros, novamente suas águas se tornam próprias para o uso doméstico.
Pr. Jorge Albertacci
Andar no mesmo Espírito2 Coríntios 12:18
18. Roguei a Tito, e enviei com ele um irmão. Porventura Tito se aproveitou de vós? Não andamos porventura no mesmo espírito, sobre as mesmas pisadas?"Quando agradamos a todos, dificilmente agradamos a Deus. E quando agradamos a Deus, dificilmente agradamos a todos, mas devemos andar no mesmo espírito"
2 Coríntios 10:1 - Eu, Paulo, vos rogo:
1. ALÉM disto, eu, Paulo, vos rogo, pela mansidão e benignidade de Cristo, eu que, na verdade, quando presente entre vós, sou humilde, mas ausente, ousado para convosco;
Reflectir: A maioria dos crentes de Coríntios aceitou a autoridade de Paulo e se submeteu aos seus ensinos e apostolado (7:8-16). Havia, no entanto, uma minoria, orientada por falsos obreiros, que subvertia o evangelho, fazendo o trabalho de satanás (11:13-14), e que continuava a resistir a Paulo e a caluniar sua pessoa e seu caracter. Nos capítulos 10-13, Paulo se dirige a esses falsos crentes e ensinadores.
2 Coríntios 10:5 - Levando cativo todo entendimento:
5. Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;
Reflectir: Obreiro, e crentes em Cristo, seja resoluto ao concentrar a sua mente em Cristo e nas coisas celestiais, e não nas coisas terrenas;Filipenses 3:9 - E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;e Colossenses 3:2 - Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra. Compreenda que a mente firmada no espírito é vida e paz, ao passo que a mente firmada na carne é morte; Romanos 8:6-7 - Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz; Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Tenha cuidado com aquilo que seus olhos vêem e seus ouvidos ouvem. Recuse-se terminantemente (a) a deixar seus olhos serem um instrumento concupiscência, a colocar diante dos seus olhos qualquer má ou vil, quer livros, revistas, quadros, televisão, filmes ou cenas da vida real; Romanos 13:14 - Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.
2 Coríntios 11:1-2 -
1. QUISERA eu me suportásseis um pouco na minha loucura! Suportai-me, porém, ainda;2. Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo.
Resumo: Alguns de Corinto enfrentava grave perigo de serem enganados por falsos pregadores e de aceitarem um Evangelho distorcido (v.4).
Ao acolherem os ensinos desses "obreiros fraudulentos" (v.13);
Afastavam-se da sua devoção sincera a Cristo. Nas igrejas dos nossos dias, também há os que apresentam como ministros da justiça (v.15);
Mas cujos ensinamentos contradizem a Palavra de Deus e levam os seus seguidores ao naufrágio espiritual. Precisamos precaver-nos contra estes, infelizmente existem obreiros assim, Paulo sofreu muito, quando pregava o verdadeiro ensino, e por de trás obreiros infiéis com seu veneno e inveja, despregava tudo que Paulo dizia, a Igreja de Corinto sofreu muitos ataques e a fé do povo estava como um pote de gelo, mas Paulo teve autoridade de Deus para voltar a Corinto e ser usado por Deus contra os falsos ensinadores.Obreiros, devemos andar num mesmo espírito, e acima de tudo sempre respeitar o líder da Igreja, todo o obreiro deve se julgado segundo a sua atitude, fidelidade e maturidade, com a liderança da Igreja, onde estão hoje os obreiros que querem pagar o preço em pleno século XXI?
2 Coríntios 12:15 - Gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas:
15. Eu de muito boa vontade gastarei, e me deixarei gastar pelas vossas almas, ainda que, amando-vos cada vez mais, seja menos amado.
Resumo: O espírito de Paulo, de amor devotado àqueles a quem ele procura ajudar, é um exemplo para todos os pastores, professores, missionários e obreiros em geral. Suas palavras retratam o seu amor devotado, como o de um pai por seus filhos. É um amor que o levava a gastar-se até o fim, para o bem dos outros; um amor que não pensa em si, mas que demonstra genuína solicitude àqueles que estão sob os seus cuidados. Paulo não quer nada em troca, contando que seus corações estejam voltados para Cristo. Todo fiel ministro do evangelho deve possuir esse tipo de amor e cuidado, o que Paulo também mais desejava era a unidade da Igreja e dos fiéis obreiros.
2 Coríntios 12:20 - Detracções, Mexericos:
20. Porque receio que, quando chegar, não vos ache como eu quereria, e eu seja achado de vós como não quereríeis; que de alguma maneira haja pendências, invejas, iras, porfias, detracções, mexericos, orgulhos, tumultos;Resumo: A Bíblia condena os pecados da língua que prejudiquem o próximo, como sendo ofensas graves contra a lei cristã do amor. Qualquer tipo de conversa que rebaixa o próximo ou que difama seu caracter deve ser reprovada.
A conversa ou menção de delitos do próximo devem ser feitos somente com um motivo sincero de ajudar tal pessoa, ou de proteger os outros e o reino de Deus;Romanos 1-29:30 - 29. Estando cheios de toda a iniquidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;30. Sendo murmuradores, detractores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Efésios 4:31 - 31. Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfémia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós;
2 Timóteo 4:10-15 - 10. Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessalônica, Crescente para Galácia, Tito para Dalmácia. 11. Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério. 12. Também enviei Tíquico a Éfeso. 13. Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. 14. Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. 15. Tu, guarda-te também dele, porque resistiu muito às nossas palavras.1 Pedro 2:1 - 1. DEIXANDO, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações,
2 Coríntios 12:21 - Chore por muitos daqueles que pecaram:
21. Que, quando for outra vez, o meu Deus me humilhe para convosco, e chore por muitos daqueles que dantes pecaram, e não se arrependeram da imundícia, e prostituição, e desonestidade que cometeram.
Resumo: Os ministros cristãos e não só como os fieis obreiros devem chorar por aqueles na Igreja que se recusam a arrepender-se do seu pecado e murmurações e abandoná-los, pois estão espiritualmente mortos. A mensagem trágica para eles é a palavra que Paulo dirige aos Coríntios;1 Coríntios 6:9,10 - 9. Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas;10. nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus, aos Gálatas; Gálatas 5:21 -21. Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Palavra essa que declara a sua exclusão do reino de Deus. Não devemos brincar com Deus, se Paulo viesse hoje em Caldas ou a terra novamente, trazia as mesmas mensagens ou será que seria mais duro ainda?
2 Coríntios 13:2 - Não lhes perdoarei:
2. Já anteriormente o disse, e segunda vez o digo como quando estava presente; mas agora, estando ausente, o escrevo aos que antes pecaram e a todos os mais, que, se outra vez for, não lhes perdoarei;
Resumo: O amor do pastor aos membros da sua Igreja (ver 12.15), requer austeridade e não somente afeição. Chega a hora em que a paciência termina a sua caminhada e, para o bem da Igreja, os transgressores não devem ser mais tolerados. É caso então de santa justiça, e não de indulgência. Muitos abusam da paciência do pastor, e da liberdade que ele tem dado a Igreja, Paulo aqui foi firme, ele disse que para os transgressores ele não perdoaria, a Palavra de Deus nos diz que tem hora para tudo, e é a hora de nós os obreiros, a Igreja, unirmos no mesmo espírito, ou será que vamos abusar tanto da paciência de Deus? Muitos perguntam e até mesmo criticam, porque a Igreja não cresce? Claro a culpa sempre cairá na liderança da Igreja, mas será que o líder trabalha sozinho? Deus está contemplando tudo lá de cima, está chegando o momento de Deus honra os ministros fiéis que estão na batalha como foi Paulo, esteve sempre na peleja.
2 Coríntios 13:5 - Examinai-vos... Se permaneceis na Fé:
5. Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.
Resumo: Nenhum conhecimento é tão importante para os crentes como a certeza de que têm a vida eterna;João 17:3 - 3. E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Todos os obreiros, cristãos, professores devem examinar a si mesmos para ver a se sua salvação é uma realidade presente. Penso que examinado a sua salvação, tenho a certeza que a sua consciência examinará como está a sua vida na obra de Deus. Eu convido a você querido irmão(a), obreiros a mudar de atitude, todos nós, falta hoje é maturidade, vontade, coragem, união, olhos espirituais, Fé, antigamente quando a palavra era dura, o povo glorificavam a Deus e dizia manda mais Jesus... Hoje se Deus usa seus profetas na palavra, alguns não vê a hora de terminar o culto para irem embora da Igreja. Vamos permanecer naquilo que aprendemos, ou vamos entrar na galeria da apostasia da Fé?.Hoje posso sentir o que Paulo, Moisés, Jesus, Jeremias, passaram e sentiram, mas o que nos deixa mais alegre que os mesmos não desanimaram e nem desistiram da fé e muitos menos mudaram de igreja, por verem defeitos na liderança. Precisamos mesmo é de fazer a obra de Deus com mais vigor e coragem. "Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo"(Ef 4:15).
Jeremias 9-1:26 - Os meus olhos, em uma fonte de lágrimas:
1. OH! se a minha cabeça se tornasse em águas, e os meus olhos numa fonte de lágrimas! Então choraria de dia e de noite os mortos da filha do meu povo. 2. Oh! se tivesse no deserto uma estalagem de caminhantes! Então deixaria o meu povo, e me apartaria dele, porque todos eles são adúlteros, um bando de aleivosos. 3. E encurvam a língua como se fosse o seu arco, para a mentira; fortalecem-se na terra, mas não para a verdade; porque avançam de malícia em malícia, e a mim não me conhecem, diz o SENHOR.4. Guardai-vos cada um do seu próximo, e de irmão nenhum vos fieis; porque todo o irmão não faz mais do que enganar, e todo o próximo anda caluniando. 5. E zombará cada um do seu próximo, e não falam a verdade; ensinam a sua língua a falar a mentira, andam-se cansando em proceder perversamente. 6. A tua habitação está no meio do engano; pelo engano recusam conhecer-me, diz o SENHOR. 7. Portanto assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eis que eu os fundirei e os provarei; pois, de que outra maneira procederia com a filha do meu povo? 8. Uma flecha mortífera é a língua deles; fala engano; com a sua boca fala cada um de paz com o seu próximo mas no seu coração arma-lhe ciladas. 9. Porventura por estas coisas não os castigaria? diz o SENHOR; ou não se vingaria a minha alma de nação tal como esta?10. Pelos montes levantarei choro e pranto, e pelas pastagens do deserto lamentação; porque já estão queimadas, e ninguém passa por elas; nem se ouve mugido de gado; desde as aves dos céus, até os animais, andaram vagueando, e fugiram. 11. E farei de Jerusalém montões de pedras, morada de chacais, e das cidades de Judá farei assolação, de sorte que não haja habitante. 12. Quem é o homem sábio, que entenda isto? e a quem falou a boca do SENHOR, para que o possa anunciar? Por que razão pereceu a terra, e se queimou como deserto, sem que ninguém passa por ela? 13. E disse o SENHOR: Porque deixaram a minha lei, que pus perante eles, e não deram ouvidos à minha voz, nem andaram nela.14. Antes andaram após o propósito do seu próprio coração, e após os baalins, como lhes ensinaram os seus pais.15. Portanto assim diz o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel: Eis que darei de comer losna a este povo, e lhe darei a beber água de fel. 16. E os espalharei entre gentios, que não conheceram, nem eles nem seus pais, e mandarei a espada após eles, até que venha a consumi-los. 17. Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Considerai, e chamai carpideiras que venham; e mandai procurar mulheres hábeis, para que venham. 18. E se apressem, e levantem o seu lamento sobre nós; e desfaçam-se em lágrimas os nossos olhos, e as nossas pálpebras destilem águas. 19. Porque uma voz de pranto se ouviu de Sião: Como estamos arruinados! Estamos mui envergonhados, porque deixamos a terra, e por terem eles lançado fora as nossas moradas. 20. Ouvi, pois, vós, mulheres, a palavra do SENHOR, e os vossos ouvidos recebam a palavra da sua boca; e ensinai o pranto a vossas filhas, e cada uma à sua vizinha a lamentação;21. Porque a morte subiu pelas nossas janelas, e entrou em nossos palácios, para exterminar as crianças das ruas e os jovens das praças.22. Fala: Assim diz o SENHOR: Até os cadáveres dos homens jazerão como esterco sobre a face do campo, e como gavela atrás do segador, e não há quem a recolha. 23. Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas.24. Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.25. Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que castigarei a todo o circuncidado com o incircunciso.26. Ao Egito, e a Judá, e a Edom, e aos filhos de Amom, e a Moabe, e a todos os que cortam os cantos do seu cabelo, que habitam no deserto; porque todas as nações são incircuncisas, e toda a casa de Israel é incircuncisa de coração.
Resumo: Jeremias continua a expressar a sua angustia por causa do povo rebelde de Deus e da sua recusa em arrepender-se e assim escapar da destruição que se aproxima. Queria chorar, mas sua dor era profunda demais para ele verter lágrimas. Exclamações de angustia, declarações de culpa e advertências sobre o castigo inevitável do povo estão por todo esse capítulo, Jeremias é comumente chamado "o profeta das lágrimas" (ver 14:17), que chora de dia e de noite por um povo de coração extremamente endurecido para perceber a ruína que se avizinhava. Jeremias, é tradicionalmente considerado o autor do livro de Lamentações, devido o seu imenso quebrantamento. Ninguém dava ouvido as mensagens de Jeremias, o que chamamos hoje a falta de respeito, será que hoje é diferente? Não! Estamos num grande desafio. Quanta rebeldia dentro da Igreja, os líderes vem sofrendo por causa da desobediência de muitos, inclusive de obreiros com interesse pessoal na obra de Deus, mas não querem pagar o preço e muito menos obedecer o Anjo da Igreja, jovens, adolescentes, obreiros que abusam do equilíbrio que o pastor tem, pois não criticando nossos pastores do passado, pois foram e são homens de Deus, mas o radicalismo e fanatismo talvez fosse além daquilo que a Palavra de Deus nos ensina, hoje mal o pastor flexibiliza algumas coisas desde que não choque com a doutrina bíblica, muitos são os que praticam aberrações que chocam com a Palavra de Deus, com isso o pastor da Igreja sofre pela falta de respeito que muitos tem hoje até mesmo com a sua família, vem os ataques dos obreiros fanáticos e extremistas usando seus venenos de murmurações contra o pastor presidente ou pastor local da Igreja, infelizmente existe ainda isso no nosso meio.
Então perguntamos, o que esses obreiros aprenderam nos cursos Teológicos?Nos Cultos de Ensinos? Nas reuniões de Obreiros? Será que podemos responder? Ou nunca foram à essas reuniões, e se vão perdem o tempo de irem, pois a mensagem não entra no coração devido o muro de murmuração que há, simplesmente vão para preencher a cadeira. Infelizmente é duro de dizer isso, mas em pleno século XXI, os pastores presidentes de grandes Igrejas ou pastores locais, perdem mais tempo em resolver problemas com obreiros e irmãos, de domingo à domingo, do que até mesmo em se dedicarem mais a sua família, e de se orientarem melhor na direcção da Igreja e na Obra de Deus, às vezes o pastor antes de chegar na Igreja já se depara com problemas absurdos e sem sentido, em casa já preparou uma mensagem, quando chega ao púlpito da Igreja, sua cabeça já está precisando mais da graça de Deus. Devemos respeitar, amar, ajudar, orar, pelos nossos pastores e não podemos esquecer o exemplo do rei Davi, respeitou e amou Saul, quando esse queria matá-lo, mas Davi aprendeu esperar e respeitar, Deus o honrou em seu reinado, porque o fruto da obediência traz-nos alegria.
Jeremias 9:24 - O que se gloriar glorie-se nisto:
24. Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.
Resumo: O obreiro, o crente, não deve jactar-se no conhecimento secular, no talento humano, ou nas riquezas terrenas (v.23); pelo contrário, ele deve exultar e regozijar-se somente no seu relacionamento pessoal com o Senhor e na sua graça, que nos capacita a viver em rectidão. Todos os valores terrenos tornam-se eclipsados ante a alegria de conhecer a Deus. O verdadeiro valor consiste em nos dedicarmos a Deus e aos seus ensinos, e fazer a nossa parte para que Ele nos encha do Espírito Santo. Muitos querem pregar só para mostrar as suas técnicas, ou a sua voz, não, não, não aceitamos isso, queres ser um grande pregador, considere então um menos pregador.Há uma frase que diz: "Para ser um pregador, você precisa de um sermão, para ser um Homem de Deus, você precisa de um altar". A glória pertence ao nosso Deus. Amado obreiro e irmão em Cristo, esvazie hoje de si, ajude a liderança da Igreja, muitos obreiros com todo respeito, são uma bênção antes de serem consagrados, mas depois que foram separados, já acham que são donos da Igreja. Nem o pastor e nem ninguém manda na Igreja, quem manda é o Espírito Santo.É hora de mudarmos ou estamos perdendo tempo na igreja. Vamos andar no mesmo espírito, vivermos na mesma comunhão, a obra do Senhor não pode sofrer. Ajude a liderança de sua Igreja. Infelizmente o pecado tem matado muitos na vida espiritual no seio da Igreja e no meio do ministério.Queres ter um ministério lindo?, e a cada dia ser abençoado por Deus?Então entre na galeria da obediência e da união e veja o que diz em 1Co. 13:1-13.1. AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. 2. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 3. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. 4. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. 5. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6. Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;7. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8. O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 9. Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; 10. Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. 11. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.12. Porque agora vemos por espelho em enígma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.13. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor". Infelizmente até mesmo no seio da Igreja, existe o que existe hoje nos campos de futebol, o povo quando vê os jogadores entrarem no campo, eles gritam pelo jogador que é mais falado no meio da comunicação, por exemplo aqui em Portugal, quando o Figo entra no campo, muitos choram, gritam, as vezes são sessenta mil homens gritando, pelo Figo, assim vejo quando alguns pregadores quando vão pregar, alguns dentro da Igreja vibram pelo pregador, numa certa Igreja vi quando um pregador estava pregando uma irmã saiu de seu lugar quando o mesmo ainda falava a Palavra de Deus, foi até ao púlpito abraçou o pregador e até mesmo o beijou em sua face e dizia bem forte "esse pastor é demais" sim, devemos respeitar e honrar aqueles que pagam o preço e que Deus usa, mas acima de tudo não devemos esquecer que somos vaso de barro, às vezes a mensagem não está falando muito ao seu coração mas ele (a) está vibrando por causa do homem, ou as vezes as lágrimas que desce do rosto não são lágrimas pelo poder da Palavra, mas sim são lágrimas de emoção por causa do homem. O homem é apenas um vaso frágil, ele pode ser quebrado a hora que o Oleiro desejar. Outros não tomam essa atitude, mas quando não vão com a simpatia do pregador, não para de falar amém, mas o amém é para o pregador acabar logo com a mensagem. Deus precisa de adorador na sua Casa. Seja um. A Igreja do século XXI, tem muita teoria, precisamos colocar a prática em prática. Termino deixando um conselho à todos os obreiros e pastores e porque não dizer a todos os cristãos da Igreja presente:
"E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo". (Mt 3:10)
"Você só descobrirá que Deus tem o melhor para você, quando você der o melhor para Ele".
Colaboração: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério de Volta Redonda Pastor: Mário Luiz Gomes NóbregaCaldas da Rainha - PortugalAutor: O Espírito Santo
Pastor Jorge Albertacci
O que tens feito com tua mão para o Senhor ?At 5:1-16
BUSCANDO A MALDIÇÃO COM SUAS PRÓPRIAS MÃOS"Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, pois, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma, e viva eternamente." (Gn 3:22).
Com suas mãos, Adão e Eva lavraram sua sentença à condenação, o que foi implementado quando foram expulsos do Jardim, o lugar da sua comunhão singular com Deus."O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra, de que fora tomado. E, havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida." (Gn 3:23-24)
O Senhor pôs querubins e ainda mais: - uma espada que se movia para lá e para cá, pronta para atacar e matar, a fim de impedir a volta do primeiro casal para o Jardim.
MÃO MALDITA"E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue do teu irmão". (Gn 4:11)
Assim como Abel, Caim com sua mão podia fazer muitas coisas que agradassem a Deus, mas preferiu com sua mão derramar o sangue de seu irmão, buscando de Deus, ao invés da bênção, a maldição. E a bíblia é enfática quando menciona sobre a condenação dos homicidas:
DEUS NÃO TRATA COM OS HOMICIDAS"Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte". (Ap 21:8). " Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira". (Ap 22:15).
NA NOVA PODE HAVER HOMICIDAS QUE NÃO DERRAMA SANGUE NEM USA ARMAS"Qualquer que aborrece a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanente nele a vida eterna." (1Jo 3:15).
Podemos usar nossas mãos para fazer muitas coisas promoverão alegria nos nossos irmãos, podemos matar sem arma, e estarmos inseridos no mesmo rol dos assassinos.
"E será o vosso temor e o vosso pavor sobre todo animal da terra e sobre toda ave dos céus; tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar na vossa mão são entregues." (Gn 9:2)
Deus entrega tudo na mão de Noé. Um homem que tem a credencial de Deus, é honrado, e foi assim que Deus procedeu com Noé, honrou-o, Noé deu atenção a recomendação divina.
OS OLHOS DO SENHOR ESTÃO SOBRE OS FIÉIS"Ele, porém, demorava-se, e aqueles varões lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher, e pela mão de suas duas filhas, sendo-lhe o Senhor misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade." (Gn 19:16)
DEUS CONTEMPLAVA O PECADO DOS SODOMITAS, MAS CONTEMPLAVA TAMBÉM A FIDELIDADE DE LÓ"Eis que os olhos do SENHOR estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia." (Sl 33:18)"Os olhos do SENHOR estão sobre os justos; e os seus ouvidos, atentos ao seu clamor." (Sl 34:15)"Porque os caminhos do homem estão perante os olhos do SENHOR, e ele aplana todas as suas carreiras." (Pv 5:21) "Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons." (Pv 15:3)"Os olhos do SENHOR conservam o que tem conhecimento, mas as palavras do iníquo ele transtornará." (Pv 22:12)"Eis que os olhos do Senhor JEOVÁ estão contra este reino pecador, e eu o destruirei de sobre a face da terra; mas não destruirei de todo a casa de Jacó, diz o SENHOR." (Am 9:8) "Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males." (1 Pedro 3:12) Deus viu Ló; sobre a cidade seria derramado fogo e enxofre, mas, Ló não sofreria em detrimento a culpa dos outros, Deus o tomou pela mão. Este foi o meio pelo qual Deus tirou Ló da destruição.
MÃO RESPONSÁVEL"E disse Abraão ao seu servo, o mais velho da casa, que tinha o governo sobre tudo o que possuía: Põe agora a tua mão debaixo da minha coxa." (Gn 24:2).
Para um tratado sério, assim era o procedimento, a coxa representava a privacidade, estava associada à procriação. A mão do servo, sob a coxa de Abraão."Então, pôs o servo a sua mão debaixo da coxa de Abraão, seu senhor, e jurou-lhe sobre este negócio." (Gn 24:9) Eliezer, esse era o servo maior de Abrão, cuja mão estava apta para tão relevante tratado.
JOSÉ, UM GOVERNADOR ELEITO SEM FAZER CAMPANHA POLÍTICA "E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pôs na mão de José, e o fez vestir de vestes de linho fino, e pôs um colar de ouro no seu pescoço." (Gn 41:42)E o elegeu governador do Egito. José chegou a governador do Egito, por sua fidelidade a Deus. Faraó o grande, ele mesmo colocou o anel mão de José."E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito." (Gn 41:44).Eu sou Faraó, quer dizer: "o grande - grande casa" delega autoridade ao desprezado, vendido, tentado, ultrajado: "sem ti, ninguém levantará a sua mão."
DEUS COM MÃO FORTE DESCE"Portanto, desci para livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do ferezeu, e do heveu, e do jebuseu." (Êx 3:8) Deus mesmo fala à Moisés: portanto desci... agora o povo não estaria mais na mão de Faraó, mas de Deus.
ATRAVÉS DA MÃO DE MOISÉS DEUS ABRE O MAR"E tu, levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco." (Êx 14:16)Estende a tua mão, que poder! Mas, o poder não estava na mão e nem na vara de Moisés, mas na Palavra: estende a tua mão, através da mão de Moisés Deus operava, assim como ainda hoje opera pelas mãos daqueles que o temem.
MÃOS LEVANTADAS"E acontecia que, quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas, quando ele abaixava a sua mão, Amaleque prevalecia." (Êx 17:11)Em Refidim Amaleque guerreia contra Israel, Moisés manda Josué à peleja enquanto estaria no outeiro, Arão e Hur sustenta o braço de Moisés. No Reino de Deus, tudo acontece através da cooperação, Deus requer de nós, cooperação."Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda." (1 Tm 2:8) Mãos levantadas, esse era um costume entre os judeus e mesmo entre os pagãos, levantar as mãos abertas em direção ao céu como se a pessoa estivesse se rendendo. Levantemos nossas mãos e redamos ao Senhor.
MÃOS PRECIPITADAS "Então, se acendeu a ira do SENHOR contra Uzá e o feriu, por ter estendido a mão à arca; e morreu ali perante Deus." (1 Cr 13:10)Em Uzá temos o exemplo do obreiro precipitado, que dexa de cumprir a sua escala, para fazer o que não é de sua competência, Uzá colocou a mão onde não devia.
MÃOS QUE NÃO DESCUIDAM "Os que edificavam o muro, e os que traziam as cargas, e os que carregavam, cada um com uma mão fazia a obra e na outra tinha as armas." (Ne 4:17).A pessoa que trabalha para o Senhor não pode estar com a mão desocupada, deve estar sempre pronta para:"Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra, nem indústria, nem ciência, nem sabedoria alguma." (Ec 9:10) Fazer enquanto há tempo."E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que todo o teu corpo seja lançado no inferno." (Mt 5:30) O escândalo somente é promovido por mão desocupada.
MÃO QUE TRAI "Mas eis que a mão do que me trai está comigo à mesa." (Lc 22:21)
Era um momento memorável, era celebrada a última páscoa, e instituída a Santa Ceia do Senhor, a Judas competia a responsabilidade de prover os elementos, por ser ele o tesoureiro do colégio apostólico, mas, ele estava ocupado com outras coisas. Mas, eis que a mão... em que traímos o Mestre hoje?
Pastor Jorge Albertacci
Meditação Transcendental e a prática de IogaComo os Evangélicos devem ver isto.
Introdução Meditação Transcendental, é a prática oriental popularizada no Ocidente por Maharish Mahesh Yogi.
Maharish (que significa "grande sábio") nasceu na Índia em 1918, e foi discípulo de Swami Brahmananda Saraswati (ou "guru Dev"), antes de começar a ensinar no Ocidente como um santo hindu.
Como parte de uma série de viagens pelo mundo, Maharish chegou pela primeira vez nos Estados Unidos em 1959. O Movimento de Meditação Transcendental tornou-se o maior e mais crescente das várias disciplinas espirituais orientais que se arraigaram no Ocidente. O conjunto simplificado e ocidentalizado de técnicas de Ioga que Maharish introduziu no Ocidente e comercializou ali é apresentado ao público como uma prática não-religiosa que visa capacitar a pessoa a fazer pleno uso do seu potencial mental e, ao mesmo tempo, obter profundo repouso e relaxamento.
A Meditação Transcendental alega oferecer às pessoas a felicidade total, a bem-aventurança perfeita, e o "estado alerta em repouso", através de uma técnica que requer um mínimo de meditação - vinte minutos, duas vezes por dia.Esta alegação de que a Meditação Transcendental não é religiosa, que se trata simplesmente de uma técnica científica, tem sido com muita razão questionada por observadores cristãos e seculares e há uma conformação de que essa prática não passa de um sistema religioso hindu, disfarçado desmerecedor dos méritos do Cristianismo. Natureza Religiosa Uma cerimônia de iniciação, é exigida de todos os novatos na meditação. Os instrutores da Meditação Transcendental argumentam que se trata simplesmente de uma cerimônia comum, ou seja secular de gratidão, no entanto, a natureza religiosa dessa cerimônia (chamada de puja) fica bem clara. Pede-se ao participante que traga flores, frutas e um pano branco, e que se curve diante da imagem do falecido Maharish, Guru Dev. A puja é um hino em sâncrico de adoração e culto, embora seu significado não seja revelado aos novatos. A cerimônia de iniciação, portanto, é, segundo a definição cristã, indubitavelmente a adoração à falsos deuses.Na ocasião da iniciação, o candidato recebe um mantra supostamente secreto, e uma palavra ou sílaba em sâncrico que, segundo afirma, possui qualidades vibratórias especiais e que a partir de então, passa a ser usado nominalmente pela pessoa que medita. Os instrutores da Meditação Transcendental declaram que os mantras são meros "sons sem sentido". Apesar disso, um exame da fonte dos mantras, a religião hindu, revela que esses sons são nomes de deidades em código. Por isso, a repetição de um mantra constitui um ato de adoração.A Meditação Transcendental é, na realidade, uma forma de panteísmo. Não ensina a existência do único Deus eterno e pessoal, o Criador do Universo.A Meditação Transcendental, faz parte da tradição monista, por ensinar a unidade essencial de toda a realidade e portanto a possibilidade de união entre o humano e o divino. A Prática da Meditação Transcendental, em si só, leva a pessoa à idolatria da auto-adoração, devido à identificação do eu como o "EU" superior da criação. Resumindo: A Meditação Transcendental promove uma experiência que envolve a perda da identidade distintiva da pessoa sob o disfarce de uma técnica científica. A Ioga A Ioga está se tornando uma prática de grande interesse na moderna sociedade Ocidental. "acredita-se que cerca de 15 milhões de pessoas acatam de certa forma a Ioga em seus exercícios físicos, isto, só nos Estados Unidos".No Brasil ela está inserida em muitas universidades e tem sido tema de cursos de extensão e de pós-graduação (Como por exemplo, no Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo - CEPEUSP e nas Faculdades Metropolitanas Unidas de São Paulo). A Ioga no Brasil é muito bem aceita por muitos, como a solução para a mente e para o espírito humano em um sistema criado pelo racionalismo, pelo materialismo e pelo ateísmo, mas, a Ioga tem sua origem na Índia e fundamentada sob o hinduísmo. Não se trata, portanto, de uma idéia isolada e invariável; pode-se mesmo dizer que suas manifestações apresentam-se de muitas formas de exercícios e disciplinas. Inclui, também, objetos psico-religiosos.Os que praticam a Ioga formam um grupo igualmente distinto, tais como: médicos, advogados, vendedores, artistas e muitos outros. Vale ressaltar, que na Índia, país onde originou tal prática, atualmente a Ioga não tem tanta aceitação, chegaram à uma conclusão de que a Ioga não pode dar-lhes o que buscam em seus anseios. E os cristãos indianos rejeitam, a mistura de Ioga e cristianismo. Entretanto o ensino da Ioga cresce a cada dia aqui, nas nações cristãs do Ocidente, onde a apostasia e a rebelião contra Jesus Cristo estão disseminadas, evidencia de forma bastante clara, como seu ensino é anticristão. A Ioga, como se vê o hinduísmo, são muitas formas de métodos destinados a libertar a alma humana de tudo o que é terreno com o auxílio do ascetismo, exercícios físicos, técnicas respiratórias e meditações. A pretendida libertação tem duplo significado e envolve mais que a vida presente do indivíduo que a Ioga. O ciclo do renascimento é que recebe a ênfase principal nesse contexto, também chamado de transmigração da alma. As antigas doutrinas do hindu afirmam que, a alma não purificada do homem é forçada, por causa de suas ações passadas (carma), a retornar ao ventre materno e nascer outra vez. Somente a purificação por esforços próprios é que concede a libertação para o indivíduo, ficando, assim, livre para posteriores reencarnações. Ao mesmo tempo, esta libertação implica na verificação de que a alma individual, o ego real do homem (atmã), é, basicamente, idêntico ao espírito universal (brama). Conseqüentemente, a Ioga na Índia, tem suas bases na teoria de que cada alma, em sua natureza e substância, é essencialmente unida com o divino. A Ioga ensina que cada homem é um deus; segundo a Ioga, o homem não é um ser decaído, uma distorção da imagem de Deus. Ao contrário disto, a Ioga afirma que o homem é o próprio Deus. São muitíssimas as escolas de Ioga, mas em muitos sentidos elas se divergem, principalmente nas escolhas dos exercícios. "A hatha ioga, por exemplo, dá grande importância às técnicas físicas", ou seja, purificação dos intestinos, certas posturas (asanas) e o controle da respiração (pranaiama). "Enquanto que outras escolas dão maior ênfase às técnicas medievais, como, por exemplo o mantra ioga, com sua alta, branda ou silenciosa repetição de mantras". Em muitos casos, os mantras são fórmulas mágicas sem significado lingüístico ou gramatical, como por exemplo o mantra Om..Para os praticantes da Ioga, essas fórmulas representam forças divinas ou cósmicas: como os deuses vishnu e siva ou o espírito universal Brama.Objetivos Principais da Ioga:a) Levar o homem a descobrir o seu ego, ou seja: redescobrir sua natureza pura e divina. b) Introduzir na mente humana que a natureza do homem é boa e digna. c) Levar seus adeptos a considerarem os gurus desse movimento como divindades.d) Levar a pessoa a crer que ela será capaz de unir-se com a força viva do universo que a tudo permeia - presente, por exemplo, no ar, na água e no alimento.e)Levar o individuo a estar convicto de que ele pode transformar-se em um "deus", isto é, com capacidade para elevar-se até alcançar de novo o estado original, perfeito, inocente - uma pessoa sobre- humana.f) Que o individuo, uma vez alcançando a condição de um "deus", uma pessoa sobre-humana, está apto a atingir a meta deseja: alegria, harmonia completa, paz, e consciência absoluta. Dessa forma a Ioga em sua própria natureza, é auto-redenção.Conclusão Indubitavelmente, não há quem não possa entender, que a Meditação Transcendental e a Ioga estão intimamente ligadas ao Esoterismo, à Nova Era, ao Panteísmo, ao Hinduismo, ao Ocultismo, ao Misticismo, ao Budismo e a muitas outras seitas orientais, que negam o sacrifício vicário de Jesus Cristo Nosso Senhor. Que são movimentos que vilipendiam, ultrajam e pisoteiam as doutrinas emanadas das Sagradas Escrituras, pregadas por Jesus e pelos apóstolos. Que são movimentos inventados por pessoas que nunca se interessaram pelos atos de Deus. Que são pregadores do egoísmo, prática inaceitável nas Sagradas Escrituras.Mas, o mais triste é saber que existem muitas pessoas que se dizem evangélicas e que estão de uma forma ou de outra, laçadas por esses movimentos anticristãos. E acabam ficando mesmo anticristão. Começando pelos pais, que ao invés de aos domingos levarem seus filhos para a Escola Dominical, os levam, para aprender certos tipos de lutas, artes marciais, e com isso as crianças já crescem com a mente toda deturpada, e por fim não acham mais graça nas coisas de Deus. Uma vez, afastadas dos caminhos de Deus, logo aparecem os vícios, vícios que os induzem à violência, e por fim, em uma porcentagem elevada, à morte precoce. Não há motivo que possa levar um crente em Cristo, lavado e remido pelo Sangue do Cordeiro aderir a essas práticas, que em nada coadunam com o que preceitua a Palavra de Deus. O Crente deve meditar dia e noite, mas, na Palavra de Deus. Abaixo, alguns textos da Bíblia, alusivos à meditação: Salmos 19:14 - "Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, SENHOR, rocha minha e libertador meu"! Salmos 1:1-2 - "Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite". A Meditação Cristã, é sempre direcionada por Deus, a Suas obras maravilhosas, a Seus sábios preceitos e à Sua Palavra Sagrada, jamais direcionada à nossa própria intuição, pois o coração do homem enganoso é.Jeremias 17:9 - "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá"? Salmos 63:6 - "quando me lembrar de ti na minha cama e meditar em ti nas vigílias da noite."Salmos 119:99 - "Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos". Salmos 143:5 - "Lembro-me dos dias antigos; considero todos os teus feitos; medito na obra das tuas mãos". Josué 1:8 - "Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás".Outras Referências: Sl. 33:9 - 1ª Tm 4:15 - Jó 5:27 - Sl 119:48, 78. Confusão Hoje no Brasil, há uma corrida em busca de pessoas "pastores" que ministram a "bênção e maldição" "quebra de maldição" e "quebra de maldição hereditária". Paira aí aquela expectação: Há porventura crentes que ainda carregam nas costas maldições oriundas de pai, mãe, avô, avó, ou de qualquer outro? Mesmo que nem tenha conhecido? Aí você vai para a Bíblia, e não encontra amparo nenhum para essa prática.
Você só encontra que: "Portanto agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo porque não andam segundo a carne, mas segundo o espírito" (Rm. 8:1).
Que "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura {Gr. criação} é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo". (2 Co 5:17) "Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura". (Gl 6:15)."E, quando vós estáveis mortos nos pecados e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas, havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz". Cl 2:13-14). "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós, porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro" (Gl 3:13).Apresento aqui outras referências Bíblicas que dão ênfase à bênção de Deus na vida dos Seus santos, e não a maldição, por exemplo: Deus frustra, pela bênção, uma maldição já profetizada (Dt 23:6; Neemias 13:2; Sl 109:28). Deus livra da maldição o Seu protegido ( 2 Sm 16:12) e o justo que não merece (Pv 16:2). Deus imuniza o humilde contra a maldição (2 Sm 16:12). Deus muda em maldição a bênção de um sacerdote indigno (Ml 2:2). Sobre o ímpio vem a maldição de Deus, sobre o piedoso, a Sua bênção (Pv 3:33).Mas aí, se você for fazer uma análise, você vai encontrar "crentes" que praticam Ioga, que fazem a Meditação Transcendental, e com isso, ficam oprimidos, tornando um campo fértil tanto para satanás quanto para os ministrantes da Quebra de Maldição, dessas práticas antibíblicas.Há um grupo de "pastores" e "leigos incautos" que vem transformando o mundo numa guerra espiritual, onde as forças invisíveis do bem e do mal se digladiam todo o tempo, só que entre eles o batalhão do bem nunca vence, só o do mal! Criou-se uma neurose coletiva, onde indefesos cristãos vem se transformando em "caça-fantasmas" ambulantes, afastando maus presságios, tais como mandinga, bruxaria, macumba. São pessoas que tem medo de um pé de arruda, corre de um vaso com um raminho de comigo-ninguém-pode (dieffenbachia picta). Estou me referindo à "crentes". Aí você entende pela palavra de Deus que essas pessoas na verdade ainda não se entregaram à Jesus, e que estão mesmo é precisando de Deus. Pessoas que estão atribuindo mais poder ao diabo do que a Jesus. Porque estão sendo induzidas por "pastores" propagadores de um misticismo. Esses "pastores", deveriam estudar mais a doutrina da soberania de Deus na Bíblia para descobrir que Deus é quem manda. Eu já vi um desses correr de algumas poucas penas de Galinha! Eu, presenciei! O Vale de Ossos Secos Aqueles ossos que estavam no vale, conforme Ezequiel 37:11-14, eram ossos dos filhos de Israel, ossos do povo de Deus.Apresento abaixo; Cinco Elementos Que Causaram a Morte de Israel:Ezequiel 37:11-14 Nível Baixíssimo de Fé: - Sem fé é impossível agradar a Deus. Hb 11:6- Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo, e esta é a vitória que vence o mundo.
1ª João 5:4. - Vencer o mundo, não é ficar rico da noite para o dia, mas é estar com Cristo e qualquer circunstância.Insensibilidade: - (secularismo) - Eles ouviam o Profeta como se fosse um show de artista: Ez. 33:31-33 - Tg. 1:22. Formalismo: - Perda da transcendência de Deus: Formalismo é o novo sistema das coisas, é aquilo que procura adequar a Igreja em um contexto mundano.O crente passa a não ter mais o sotaque do Céu. Mistura com o mundo. Veja o testemunho de Neemias: Nee.13:23-25. Precisamos preservar as doutrinas emanadas das Sagradas Escrituras e a fé que uma vez foi entregue aos santos.Descrença nos Méritos Divinos: - Enxovalham e vilipendiam o nome do Senhor... não mais criam no poder de Deus por não ver operação de milagres... tão desviados que não tinham mais motivos para crer em nada. Ausência de Santidade na Vida: - Corrupção generalizada - Hoje, na política - cantores - pregadores - pastores - sacerdotes e reis - Ez. 34:2.E Conseqüentemente Um Vale de Ossos Secos - Ez. 37:11 Eu mesmo buscarei as minhas ovelhas - Ez. 34:11.- Deus coloca o profeta no meio do vale de ossos secos - Ez. 37:1. ¨ Deus pergunta ao profeta: poderão viver esses ossos? Ezequiel responde: Tu sabes Senhor... Ez. 37:3. ¨ E disse o Senhor a Ezequiel: profetiza sobre esses ossos, e dizei-lhes: ossos secos ouvi a palavra do Senhor - Ez. 37:4. ¨ A influência de Ezequiel naquele vale de ossos secos... sal da terra... luz do mundo - Não podemos ser influenciados pelo mundo. Bibliografia Aurélio Buarque de Holanda Ferreira - DICIONÁRIO AURÉRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA Walter A. Elwell - ENCICLOPÉDIA HISTÓRICO-TEOLÓGICA DA IGREJA CRSITÃ VOL. II Paulo César Lima - QUEBRA DE MALDIÇÃO - CPAD Defesa da Fé - ICP - nº 37 - ano 2001 Paulo Romeiro - em ESSÊNCIA - Ano I - nº 2 Bíblia - SBB - Sociedade Bíblica do Brasil - Corrigida - OnLine 2.1
Pastor Jorge Albertacci
Nova Era e Seus Símbolos
IntroduçãoO movimento Nova Era, que é também conhecido por Era Aquariana, é uma filosofia que absolve todas as seitas que adotam princípios de ocultismo, bem como práticas ideológicas, que negam os princípios Bíblicos, na intenção de desmerecer os valores espirituais do Cristianismo. Uma pesquisa acurada desse movimento é o suficiente para nos mostrar que nada há de novo, exceto o nome, mas são velhas crenças ocultistas do Hindus cultivadas atualmente no Ocidente.OrigemApesar de o movimento Nova Era, haver surgido na década de 60, na forma que o conhecemos hoje, sua origem se remonta do início da criação, ainda no Éden quando satanás se incorporou na serpente, convencendo Eva à uma Era Melhor após desobedecerem as ordens de Deus -
Gn 3:1-9 "Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, mas, do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. E, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Então, foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. {ou cintas} E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim. E chamou o SENHOR Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás"? Satanás, desde o princípio nunca cessou de apresentar principalmente para o povo de Deus, algo Novo, algo atraente e agora nestes últimos dias, sua pressa ainda é maior, ele tem pressa, e muitos são os seus adeptos.A origem da Nova Era, está intimamente ligada à Sociedade Teosófica, fundada pela médium Helena Petrovna Blavastky em 1895. Cuja Sociedade foi o caminho pelo qual a filosofia hindu chegou ao Ocidente.
A Sra. Blavastky, nasceu na Rússia em 1831, descendente de uma família nobre alemã; aos 17 anos casou-se com um general czarista (Blavastky) e o abandonou três meses após o casamento. Os estudiosos de sua vida dizem que Helena era médium espírita e esteve durante cerca de dez anos possuída por um demônio que dizia chamar-se "João King".
Perturbada por tal possessão, Helena começou a viajar consultando médiuns famosos em busca de libertação. Em suas viagens foi parar em Tibete na Índia e no Egito onde se interessou pelo misticismo oriental. Conheceu ainda outros países na busca de respostas ao seu problema e acabou por vis a residir em Nova Iorque, nos Estados Unidos.De posse dos "conhecimentos" adquiridos em suas viagens e em incessantes estudos esotéricos, filosóficos e espiritualistas, não foi difícil a Sra. Blavastky reunir em torno de si adeptos e admiradores das suas doutrinas. Ajudada pelo coronel H. S. Olcott e W. O. Judge, que se impressionaram com a sua doutrina, fundou ali, em 1875, a Sociedade Teosófica, que se destinava ao estudo de Deus e da sua ligação com os homens. O termo "teosofia" foi usado inicialmente por um filósofo chamado Antonio Saccas, que foi mestre de Plotino, e indicava uma filosofia pagã que procurava explicar Deus através de todos os fenônimos observáveis ou não, existentes nas religiões e na natureza. Com o evoluir dos tempos, o que passou a se chamar de "teosófico", foi a tentativa de reunir todas as crenças e todos os fenômenos em torno de uma só filosofia.
O termo teosofia quer dizer: "sabedoria de Deus", ou "sabedoria acerca de Deus".Quatro anos após ter fundado a Sociedade Teosófica, a Sra. Blavastky foi para a Índia onde residiu por algum tempo, mudando-se depois para Londres, onde um dos fundadores, W. O. Judge, dividiu a Sociedade em 1885. Tal divisão não logrou muito êxito e a Sra. Blavastky, com sua autoridade e inteligência, dirigiu a Sociedade com mão firme até a sua morte em 1891.Dentre suas obras pode-se destacar "Ises Revelada" e "A Doutrina Secreta", sendo esta última considerada como divinamente inspirada pelos teosofistas.Com a morte da fundadora, quem assumiu a presidência da Sociedade foi a admiradora e fiel discípula da Sra. Blavastky: Annie Besant, que foi muito dedicada e era muito religiosa e mística. Annie Besant, estabeleceu-se na Índia de onde dirigia os destinos da organização. Politicamente foi muito influente naquele país, chegando a ser presidente do Congresso indiano. Em 1898 fundou o Colégio Central Hindu, em Benares, e em 1916, a Liga Indiana. Sua eleição para o Congresso se deu em 1917.Em 1925, Annie Besant, afirmou que seu filho adotivo, chamado Krishnamurti, era o Messias mais recente encarnado. Seu filho a decepcionou. Ao voltar dos estudos em Londres já não mais aceitava a doutrina teosófica, desligando-se da organização; a partir daí pregando uma filosofia naturalista cheia de conceitos indianos, budistas e cristãos. Annie Besant, não se esmoreceu, permaneceu firme na sua administração e fez com que a Sociedade Teosófica fosse respeitada e divulgada em vários países. Após a sua morte, George Arundale e C. Jinara assumiram a direção. Principais Doutrinas da Sociedade TeosóficaPanteísmo Seus adeptos têm o mesmo pensamento da Ciência Cristã e do Rosacrucianismo. Dizem que Deus é tudo e tudo é Deus, e que o homem é uma partícula da divindade embutida na matéria. Como o movimento Nova Era é um sistema eclético e sinclético, há espaço para muitos conceitos sobre a divindade. São Praticamente as mesmas do Hinduísmo, que é uma religião inclusivista e que não exige de seus adeptos romper com a antiga religião. É possível seguir o Hinduísmo e ao mesmo tempo continuar na religião em que a pessoa se encontra. Por isto que há no Hinduísmo e na Nova Era um panteão de deuses. Sendo que a Nova Era nega o Deus revelado nas Escrituras Sagradas. Eles são panteítas, inspirados no Hinduísmo. (do grego, pan "tudo" e theos, que quer dizer "Deus."Monismo Monismo é a teoria que ensina que tudo no universo é feito da mesma matéria - tudo é bom. Do grego monos, que significa "único."Reencarnação Da mesma forma, como os rosacruzes, acreditam que o homem através de reencarnações sucessivas volverá à imagem divina. Também não crêem que Deus é criador pessoal do homem, nem que seja uma pessoa. Dizem que tal crença seria limitar muito a Deus. Mas, quanto a Deus, são várias as concepções esposadas pela Nova Era, mas, só que todas contrárias as Sagradas Escrituras.A doutrina de que o homem é Deus é muito antiga, conforme já mencionei acima, é da religião da serpente, conforme (Gn 1:26).O Homem Para os teosofistas, o homem é essencialmente uma alma, um ser divino; e que os poderes divino estão latentes no homem que a cada renascimento evolui espiritualmente. Em cada período da evolução, certo número de almas atinge a perfeição.Os Espíritos Os espíritos são as almas dos homens que apesar de terem atingido a perfeição desde os renascimento, preferem ficar em contacto com os homens sobre a terra para os ensinar e para os guiar. Velam pela humanidade, e são os seus tutores e guias.A Salvação Segundo os expoentes da teosofia, o homem tende a voltar à ordem divina de onde saiu; para conseguir isto precisa livrar-se gradativamente dos grilhões da matéria, através do conhecimento e do domínio da ordem natural, assim como de uma intuição ou iluminação que o leva a conhecer a divindade. "Enquanto que o Gnoticismo Moderno (A Nova Era) nega o pecado, afirma que o problema da humanidade é ignorância, o homem, portanto, não precisa de perdão. O homem precisa se descobrir e conhecer-se a si mesmo para chegar à felicidade e, portanto, à divindade. (nada diferente do episódio do Éden em Gn 3:1-9). A Ioga é o meio do homem unir a sua alma ao universo. Crer na transmigração da alma e na reencarnação, como meio de purificação do carma até chegar ao nirvana. Doutrina defendida pelos espíritas, e condenada pela Bíblia. A Salvação é pela fé em Jesus" (At 16:31; Ef 2:8-9; Tt 3:5).A Doutrina Secreta Crêem que tem a verdadeira doutrina, ou seja, a chave para interpretar o verdadeiro cristianismo. Tal "chave" teria sido perdida pelas igrejas cristãs que não sabem explicar o verdadeiro sentido oculto e profundo de certas passagens aparentemente contraditórias ou obscuras, mas na realidade concordantes com a sabedoria divina (teosofia).Jesus Cristo Ensinam, os expoentes da doutrina da Sociedade Teosófica que Jesus Cristo, foi um grande mestre que recebeu ensinamentso secretos dos essênios e os teria transmitido também em caráter esotérico aos seus apóstolos. Somente um " iniciado" nos mistérios esotéricos pode compreender realmente o significado dos ensinos de Cristo.A Trindade Dizem que Deus é a força, sabedoria, atividade e matéria. A matéria é a quarta pessoa da "quaternidade" divina, e é a mão de tudo. As três pessoas da Trindade, no sentido materiam se acrescenta à Matéria. Maria é o símbolo da matéria e usa uma expressão esotérica entendida pelos iniciados quando diz: "Eu sou a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a Tua palavra!" (Lucas 1:38). O Mal Ensinam os teosofistas que o mal está na matéria e ao mesmo tempo, ensinam que a matéria emana de Deus Os Anjos Ensina também a doutrina dos teosofistas que tanto os anjos como os espíritos são a mesma coisa e evoluíram do estado natural até alcançar a perfeição. São benfeitores da humanidade que ensinam e guiam os homens.A Bíblia Segundo os teosofistas, a Bíblia não é um livro todo inspirado por Deus. tem partes inspiradas e tem partes produzidas pela mentalidade do escritor ou pela fantasia de interpretação das pessoas que escreveram.O Devachan É uma espécie de purgatório. Ensinam que após a morte os homens vão para esse lugar onde habitam por um período longo ou curto, de acordo com a suas necessidades para descanso dos seus trabalhos, até que, mais cedo ou mais tarde, tem o desejo de regressar à terra afim de consseguir mais experiência e dar cumprimento à lei do carma.A Verdadeira Sabedoria Ensinam também, que a verdadeira sabedoria se adquire sem nenhum esforço pessoal. É uma iluminação especial dada aos merecedores, para as pessoas que possuam excelente capacidade mental e espiritual.O Corpo do Homem Que o corpo do homem é constituído de um corpo natural e de um corpo espiritual. O corpo natural é composto do corpo físico, duplamente constituído (movimento e ação); corpo astral (emoções e desejos); e corpo mental (pensamento). O corpo espiritual é constituído das mesmas pessoas como a Trindade (For, Sabedoria e Atividade).Aqui o teosofismo não consegue disfarçar sua tendência e sua origem espírita. Dizem que o homem pode deixar o corpo físico e penetrar no mundo astral, que é o mundo invisível ao nosso redor onde habitam os espíritos desencarnados. Nessa situação, qualquer espírito pode habitar o seu corpo físico.Certamente foi essa a explicação que a Sra. Blavatsky ouviu dos seus gurus quanto à sua possessão, quando o demônio que se denominava "João King" se apoderava dela.Objetivo Principal da Nova Era A Nova Era, tem como objetivo principal, assumir a liderança da humanidade abrangendo a política, economia, saúde, educação e religião. Estabelecer um governo internacional e implantar uma só religião. Através de seus gurus, a Nova Era vai adquirindo espaço, através da Televisão, da Internet, das literaturas, das inscrições em camisas e roupas de modo geral, exemplo: Fido dido, até mesmo o desenho em si é tão simples e novo, mas de um grande significado, nasceu em 1985, em um guardanapo de papel, em Nova Iorque e já se espalhou para uma grande parte do mundo, tem a preferência dos jovens, exatamente à quem foi destinado. Isto não falando de outros milhares.O Hinduísmo é uma religião que absolve todos os sistemas religiosos, ao passo que o Cristianismo exclui os demais sistemas. O Cristianismo e o Hinduismo são dois extremos religiosos. Mas, de absolver todos os sistemas religiosos, Hinduísmo tem encontrado adeptos em várias partes do mundo. Contribuindo assim para o desempenho do objetivo da Nova Era.Cronologia da Nova Era O padre Lauro Trevisan, de Santa Maria - RS, um dos gurus da Nova Era no Brasil, classifica a história da humanidade em quatro Eras, a saber: infantil, adolescência, mocidade e maturidade. A primeira ele chama de Era de Touro, da força bruta (4304 - 2154 a.C); segunda, de Carneiro, surgimento dos hebreus e da Bíblia (2154 - 4 a.C); terceira, de Peixes, Era Cristã, surgimento do Cristianismo (4 a.C - 4296) Em 4296 terá início a Era de Capricórnio.''Abrangência Social A Nova Era tem um poder de influência na sociedade, pelo seu sincretismo religioso, além de político-filosófico. A abrangência deste movimento no mundo é algo espantoso, visto que, a Nova Era está presente na religião, na política, na imprensa, nos meios de comunicação, na indústria, no comércio, no esporte, na arte, na literatura, e está inserida também na educação. Professores, políticos, cientistas, empresários, financistas, artistas, atores, religiosos, em toda parte da terra estão se tornando adeptos da Nova Era. Há um elenco muito grande de gurus propagadores da Nova Era. Eles se encarregam de difundir suas idéias.A Abrangência da Nova Era no Mundo São inúmeras as instituições no mundo que já aderiram ou são influenciadas pela Nova Era, tais como: o Clube de Roma, o Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Organização das Nações Unidas (ONU), através da Unesco, Maçonaria, instituições ecológicas e feministas, além de muitas outras. Na ECO 92, no Rio de Janeiro, compareceram muitos adeptos da Nova Era, entre eles: Shirley McLane, atriz americana, e Dalai Lama, do Tibete, um dos maiores gurus da época, segundo eles a décima sétima encarnação de Buda.A Era Aquariana Muitos adeptos da Nova Era vêem na virada do milênio o início da Era Aquariana, o surgimento do super-homem, seja ele o Lord Maitréia, seja Saint German, ou outro qualquer esperado pela Nova Era. Walter Martin, diz que esses adeptos trabalham, incansavelmente para antecipar essa era esperada por eles.Admite ainda, que há uma conspiração aquariana que, aliás, é o título de uma obra da socióloga, guru da Nova Era, Micilyn Ferguson, best seller, lançamento em 1980.Sincretismo Religioso As mais variadas práticas ocultistas são praticadas pelos adeptos da Nova Era. O termo ocultismo vem do latim, occultos e significa "encoberto, mistério, segredo". Esta prática é condenada pela Palavra de Deus (Dt. 18:9-14). inclui: reencarnação, esoterismo, ufologia, ioga, meditação transcendental, hipnose, clarividência, artes mágicas, todos os ramos da adivinhação. Incorpora todo o sistema espírita englobando também além das doutrinas já mencionadas acima, da Sra. Blavatsky, e de sua sucessora Annie Besant, também as de A. C. Bhactivedanta Swami Prabhupada, profeta da Hare Krishna; e de Masaharu Taniguchi, o profeta da seita japonesa: Seicho-no-iê.Deus na Concepção da Nova Era São várias as concepções da divindade de Nova Era. São praticamente as mesmas do hinduismo. Todas contrárias à Bíblia. Há grupos panteístas, há grupos monistas. Monismo, é a teoria que ensina (conforme já mencionado acima) que tudo no universo é feito da mesma matéria. Tudo é bom.a) O politeísmo pagão. A Nova Era nega o Deus revelado nas Escrituras. Eles são panteístas, inspirados no hinduísmo, ao passo que o Deus revelado na Bíblia é pessoal. O panteísmo é a doutrina de que Deus é tudo e tudo é Deus. assim não separa a criatura do Criador, e nisso engloba o próprio satanás, que para eles é também deus. a Trindade é constituída de inteligência, força e amor. Com isso prega a deidade do homem. Diz que Deus está no âmago do ser humano. E que isso será descoberto na Era Aquariana.b) A deificação do homem. A doutrina de que o homem é deus é muito antiga, é da religião da serpente (Gn 3:1-9). depois de pregada pelo hinduísmo, foi transportada para o Ocidente pelos gurus da Nova Era. Hoje é também defendida pelos profetas da Confissão Positiva, pela Igreja Local de Witness Lee, e pelo mormonismo. O Deus da Bíblia transcende à criação, é um ser espiritual e pessoal que governa o universo.Jesus Cristo na Concepção da Nova Era Entendemos que o Cristo das seitas não é o mesmo da revelação bíblica. O apóstolo Paulo faz menção de um "outro Cristo" (2 Co 11:4).a) O Cristo da Nova Era: Os adeptos da Nova Era inventaram um novo Cristo, separando Jesus de Cristo, dizendo que Jesus é o homem nascido em Belém, mas o Cristo é apenas a percepção interior dele, Cristo é meramente a percepção humana. O Cristo que estava em Jesus, está também nos demais homens. Como as Testemunhas de Jeová, pregam que Jesus se tornou Cristo só depois do seu batismo, no rio Jordão. Além disso reduzem Jesus à categoria de mero avatar. Apenas um grande iniciado e colocado lado a lado com Buda, Confúcio, Maomé e outros.b) O Cristo do Novo Testamento: Nascido de mulher (Gl. 4:4) e nasceu Cristo (Lc. 2:11) sendo verdadeiro Deus (Jo. 1:1; Cl. 2:9; I Jo. 5:20) é verdadeiro homem (I Tm. 2:5; I Jo. 1:1-4). Criador de todas as coisas no céu e na terra (Jo 1:3; Cl. 1:15-16) portanto, ser à parte de sua criação (Cl. 1:17-18) morreu por nossos pecados (I Co. 15:1-4) e ressuscitou corporalmente para nossa justificação (Lc. 24:39-40; Rm. 4:25). Está vivo no seio do Pai (Jo 1:18; Hb. 1:1-3) acima de todo o nome que se nomeia (Ef. 1:20-21) em cuja presença se dobrarão todos os joelhos dos que estão no céu, na terra e debaixo dela (Fp. 2:8-11). Há uma diferença abismal entre o cristo da Nova Era e o cristianismo histórico-ortodoxo. Salvação segundo o conceito da Nova Era O hinduismo ensina a salvação através de três caminhos: das obras, do conhecimento e da devoção. a) Gnosticismo moderno: A Nova Era nega o pecado, afirma que o problema da humanidade é ignorância, o homem, portanto, não precisa de perdão, o homem precisa se descobrir e conhecer-se a si mesmo para chegar à felicidade, e, portanto à divindade. A ioga é o meio de o homem unir a sua alma ao universo. Crer na transmigração da alma e na reencarnação, como meio de purificação do carma até chegar ao nirvana. Doutrina defendida pelos espíritas, e condenada pela bíblia. A salvação é pela fé em Jesus ( At. 16:31; Ef. 2:8-9; Tt. 3:45).b) Doutrina da Serpente: (Gn. 3:5) A crença de que o homem é Deus foi inspirada em satanás. A Nova Era afirma que a humanidade é a manifestação da essência divina. O problema do homem consiste no fato de não saber que Ele é Deus e por isso, a humanidade precisa ser transformada isto é, quando tornar realidade à natureza divina. Essa transformação pode ser feita através de técnicas como a prática da ioga, da recitação do mantra. Isto é uma tentativa diabólica para oferecer ao homem a salvação sem o sangue purificador de Jesus Cristo. Não há salvação sem Jesus (Jo. 14:16; At. 4:12).Duendes e Gnomos Ensinam os adeptos da Nova Era que os duendes são os protetores do reino, presentes nas florestas, jardins e nas plantas. Têm aspecto jovens e são travessos. Os gnomos são os protetores do reino mineral, presentes nas pedras e rochas. Têm aspecto de velhinhos. A crença é que eles inspiram sabedoria e amor. Daí a grande procura de pedras preciosas, principalmente dos cristais. Trocar Jesus Cristo pela suporta energia dos cristais, só mesmo que prefere trevas à luz.A Delineação da Sociedade Moderna O Homem atual está à deriva. A insegurança, a apreensão, a super população da terra, as questões do meio ambiente, a automação das grandes empresas, a injustiça social nos países pobres, pobreza, desemprego, violência, colapso na saúde pública e na educação e outras crises mundiais, somando-se a isso o indiferentismo religioso e a cegueira espiritual (2 Co 4:4), são os fatores que levam as massas humanas em busca de segurança e felicidade, mas, sem Deus, sem princípios na Sua santa Palavra. Diante deste caos que já se encontra estabelecido no mundo, o diabo se aproveita da situação, para oferecer meios para facilitar a vida do homem através de sus agentes.As nações vivem na expectativa de dias melhores. Os mentores humanos, dirigidos por satanás, se aproveitam da miséria do povo, de toda crise social, para oferecer um mundo perfeito de paz. Preiteando pelo controle mundial, segundo sua própria justiça, oferecendo um mundo justo e de paz, mas, sem Deus.Essa tentativa de governar a terra, não é nova. Alexandre, o Grande, filho de Filipe II, rei da Macedônia, já lutava para conseguir o controle mundial, e estabelecer uma só lei e uma só moeda. Hitler queria fundar o Terceiro Reich, fazendo da Alemanha o centro da terra. Agora a Nova Era vem com propostas tentadoras. Eis aí a necessidade de os crentes em Cristo estarem apercebidos, embasados na Sua Palavra, para não ceder à essas tentações.A Bíblia fala de uma nova era (Is 2:2-4; 10:1-10) e muitas outras passagens Bíblicas alude à esse palpitante assunto que é o Milênio que Jesus estabelecerá ( Ap 20:4). Será um período de mil anos, que o Senhor Jesus reinará na terra, juntamente com sua Igreja. A Palavra de Deus nos revela que nossa dispensação terminará quando Cristo aparecer para arrebatar os Seus. Quando terá início neste mundo, a grande tribulação, tempo de angústia, tal qual nunca houve (Mt 24:21) esse tempo de angústia, denominado de grande tribulação terminará com a manifestação do Senhor Jesus (Mt 24:29-31). Todas as nossas expectativas serão sanadas sim, mas somente através da manifestação de Cristo Jesus, Nosso Senhor e Rei. O Uso da Iconografia e a Proteção do Demônio Segundo o grande Mago da Nova Era no Brasil, e escritor Paulo Coelho, existe necessidade de se lançar mãos dos ícones, das imagens ou representações, para se aperceber da presença de Deus e senti-Lo. O ícone era a manifestação de vida, da presença e da beleza de Deus. ou seja: o sujeito ia para ali, pintava aquela imagem, e ao pintar aquela imagem não era simplesmente o ato de passar um pincel. Ele procurava manifestar a beleza que estava vendo e considerá-la no sentido de mostrar como ele a percebia. Por outro lado, como nós somos seres humanos que não atingimos a perfeição,nós precisamos de um elemento catalisador" (Vinde, Maio/97, pg 19). Prossegue o Mago Paulo Coelho: "Eu, por exemplo, me ajoelho diante de São José, que é meu santo padroeiro. Ao contemplar a visão que alguém teve de São José, eu consigo usar aquela imagem para me catapultar para uma energia maior" - Paulo Coelho (Revista Vinde, nº 18, maio/97 pg. 19). "Todos olavam para a Virgem do outro lado do rio, parecendo estar em transe" - Paulo Coelho, referindo-se à Virgem Maria (Na Margem do Rio Piedra..., Pg. 136). "Aliás, a cada 19 de Março, dia de São José, seu santo padroeiro, o escritor reúne amigos em seu apartamento e comemora a data com paella e rezas."Tudo isso convive pacificamente com os Símbolos de sua adesão à magia - o anel de prata em forma de cobra; a capa de lã preta; o cajado do Caminho de Santiago; e a espada de aço. "Não raramente tais quinquilharias tem sido ofertadas como presentes e oferendas místicas com as quais se identifica afetivamente"."Abri na mesma hora (O embrulho de presente). Dentro, uma medalha velha e enferrujada - com Nossa Senhora das Graças de um lado, e o Sagrado Coração de Jesus do outro" (Na Margem do Rio Piedra..., pg 43)". "Na concepção de Paulo Coelho e, como de regra, na visão esotérica mundial, o demônio ou diabo, não é tão feio com se pintam. Bem ao contrário, chega a ser neutro (nem é bom e nem mau) e, até certo, guardião da humanidade". (O Diário de um Mago, Ed. Rocco, RJ, 111ª edição, pg 32). "Sugere o escritor que cada ser humano possui seu "demônio pessoal", à semelhança do anjo-da-guarda, e deve-se buscar conhece-lo. "Quando não se conhece o demônio pessoal, ele costuma manifestar-se na pessoa mais próxima" (O Diário de um Mago, pg 73). "Afirma Paulo Coelho, o próprio Jesus tinha seu "demônio pessoal", aquele com o qual se encontrou no deserto e aprendeu com ele acerca do homem. "Antes de sir pelo mundo, Cristo foi conversar com seu demônio pessoal no deserto (...) Aprendeu o que precisava saber sobre o homem" (idem, pg 76)."O diabo também é um anjo "o principal ele entre você e o mundo. Ao expulsa-lo de sua vida, o homem perde tudo de bom que ele sempre tem para nos ensinar, pois conhece muito do mundo e dos homens. Assim aconselha Paulo Coelho que aceitemos o demônio como amigo, ouvindo seus conselhos, pedindo sua ajuda quando necessária" (ob. Cit., pg 76)
OS SÍMBOLOS DA NOVA ERASímbolo oficial da sociedade Teosófica
No alto, a cruz suástica, que simboliza o movimento cósmico; no centro a estrela de Davi, que representa os processos de involução e evolução; dentro da estrela a cruz com laço, símbolo de perversão sexual, contra a pureza sexual criada por Deus. E, em volta a serpente que representa Satanás.
Símbolo da Besta
O número 666 é conhecido pelos cristãos como o número de um homem perverso e anti-Deus que levantará na terra para governar o mundo, conforme encontramos em Apocalipse 13:8. Como grupos da Nova Era usam esse número para representa-lo? Isso é no mínimo muito estranho, pois eles conhecem o significado desse número. Alice Bailey, suma-sacerdotiza da Sociedade Teosófica, assim se expressa: Este número tem qualidades sagradas e por isso, deveria ser usado com maior freqüência possível para representar a Nova era.

Arco-íris
O Arco-Iris é um dos mais usados símbolos da Nova Era, é considerado o símbolo principal da Nova Era, mas, apresentado só a metade! Ele representa a ponte entre a alma humana individual e a "Grande Mente Universal" ou "Alma Universal", que é Lúcifer. Também é considerado como "Ponte Mental" entre o homem e as energias cósmicas e a cidade de Shambala, governada por Lúcifer. Na Bíblia, o arco-íris é o símbolo da Aliança entre Deus e o Seu povo. As instituições de ensino, o comércio indústria ligadas a esse movimento, utilizam muito o Arco-Iris em seus impressos e material publicitário.
Yin Yang
Representa o equilíbrio entre as forças contrárias: negativo e positivo, bem e mal, preto e branco. O bem e o mal é a mesma coisa, apenas são vibrações altas ou baixas. Assim, a Nova Era afirma que Deus e Lúcifer se completam, pois as forças opostas são parte da mesma perspectiva divina. O Yin Yang é o símbolo do Taonismo, religião da China. As forças opostas do Yin e do Yang são interdependentes e cada uma contém a semente ou potencial da outra. O Yin está associada à escuridão, à água e ao feminino. O Yang à luz, à atividade, ao ar e ao masculino. Os chineses dizem que a totalidade da natureza, dos seres humanos e dos eventos, essas forças, usam esse símbolo para práticas adivinhatórias.
Fita entrelaçada - Sem Fim
Significa a vida entrelaçada, onde há sempre uma continuidade em outras encarnações. Também representa o pacto de sangue entre os novaerinos, envolvendo pessoas ou organizações. É usado para uma melhor obediência entre os aliados do movimento Nova Era
Borboleta
A borboleta é o símbolo próprio dos adeptos da nova era ou dos "aquarianos". Como a lagarta entra no casulo, transforma-se e sai em forma de borboleta, assim a humanidade passa de uma era antiga, transforma-se em todos os sentidos e entra na nova era.
Circulo com um Ponto no Centro
Este sinal é o símbolo da bandeira de Lúcifer. O círculo representa o planeta Terra como reino de satanás. O ponto são os homens e sua deificação, instrumentos a serviço deste reino; o símbolo da energia, que segundo eles, emana para todo o ser.
Estrela de Davi em círculo
É usada pelo movimento Nova Era como símbolo da unificação da humanidade com as forças cósmicas.
Estrela de Davi com seis pontas
Simboliza os processos de involução e evolução. Com efeito; o triângulo que aponta para baixo, apresenta a involução da energia divina que desce às formas mais boçais, ao passo que o triângulo voltado para cima indica a ascensão dos seres quer entendem a se divinizar cada vez mais. Esta é a estrela de seis pontas, dois triângulos entrelaçados, que o rei Davi mandou fazer quando conquistou a fortaleza de Jebus para ser usada como símbolo nacional, esse símbolo está vivo ainda hoje. Consiste no entrelaçamento da letra Daleth, que corresponde a letra grega Delta e a nossa letra Dê. O nome hebraico David, começa e termina com "D". essa letra no hebraico da época de Davi era muito parecida com a letra Delta, de forma triangular. Hoje identificamos essa letra com o Senhor Jesus (Apocalipse 22:16). Infelizmente a Nova Era dá à estrela de Davi o mesmo significado ocultista dos alquimistas e esotéricos. Aplica o mesmo principio do Yin Yang . convém salientar que o cristão não se identifica como a Nova Era aos usar bottons da estrela de Davi. Alguns preferem usar com a palavra hebraica Tson, "Sião", para distinguir da Nova Era.
Estrela de cinco pontas
As duas pontas para cima, significam Lúcifer e seu reino; duas pontas para baixo, significa o homem como deus, no lugar de Deus. e símbolo da adoração a Satanás já estabelecida em, várias partes do mundo. Alguns conjuntos musicais de "Rock" adoram este símbolo para garantir sucesso.
Chifre
Usado em colares, pulseiras, brincos, etc. Simboliza o afastamento de fluídos negativos (mal olhado, olho gordo...).
Mão chifrada
Usado por artistas ligados à música (principalmente Rock) e seus fãs. Simboliza o louvor em rituais satânicos.
Cruz virada para baixo
Usado por grupos de Rock e adeptos da Nova Era. Simboliza zombaria da cruz de Jesus. Usado também em rituais satânicos.
SS
Usado por grupos nazistas e grupos de Rock também em roupas, broches, tatuagens, etc. Simboliza o louvor e invocação de satanás.

Raio
É o reconhecimento do poderio de satanás, senhor, Satã, e a disposição de estar a seu serviço

Besouro
Símbolo que mostra que a pessoa que usa tem poder dentro do satanismo.
Lua-estrela
Usados em roupas, endereços, artes e também em centros espíritas. Simboliza poder para transportar através do cosmos.
Pirâmide
É tida como elemento que capta a energia cósmica e beneficia as pessoas dando sorte nos negócios.
Olho de Lúcifer
Simboliza o olhar de satanás sobre as finanças do mundo. ( ver nota de um dólar).
Cruz suástica
Para o Movimento Nova Era simboliza o movimento cósmico. É bem conhecida sua conotação com a pessoa de Adolf Hitler e seu movimento nazista que dizimou milhões de seres humanos na Segunda guerra mundial. É conhecido, também no Brasil e em outras partes do mundo, o renascimento deste movimento nazista. A cruz suástica é inspiração de chamberlain, um vidente satânico e conselheiro de Hitler. Foi ele que inspirou a Hitler as idéias de um reino de terror e poder. A Palavra vem do sâncrico svasti "boa fortuna" ou seja: "está tudo bem". Usado desde a antiguidade pelos hindus e budistas para representar felicidade e salvação. É um símbolo ocultista que foi usado na Teosofia desde a época da sua fundadora Helena Petrovana Bbravastky, e pelos satanistas. Foi adotada por Adolf Hitler, em 1920, como símbolo do nazismo. O presidente Itamar Franco, em 1994, proibiu o uso da suástica em virtude da crescente onda neo-nazista que se alastrava no Brasil.
Anarquia
O movimento prega a destruição de toda e qualquer organização que não queira se integrar ao novo sistema. Declara a anarquia do inferno a essas organizações que resistem à adesão universal. Usado inicialmente pelos grupos "punk". Atualmente usado pelos grupos heavy metal. É o símbolo da anarquia, contra tudo o que é lei. O nome já diz tudo: Anarquia
Cruz Satânica ou Cruz da confusão
O nome por si já diz o que significa, qual o seu uso, e o objetivo do porque usa.
Cruz de Nero
É uma cruz de cabeça para baixo, também chamada de "pé-de-galinha". Simboliza a "verdadeira" paz sem Cristo. O pé-de-galinha é uma cruz com os braços quebrados e caídos. O círculo representa o inferno. Na década de 60 foi usada pelos hippies; também foi símbolo de ecologia no mundo, pois representa uma árvore de cabeça para baixo. É um símbolo usado também pelos satanistas. Afirmam que a haste quebrada para baixo representava a princípio a derrota do Cristianismo. Foi na idade média que esse símbolo passou a ter vínculo com satanás. O ateu britânico, Bertrand Russell, usou como símbolo da Paz no final da década de 50 e os movimento hipies também usavam na década de 60. hoje é usado pelos grupos de rock, hevy metal e black metal.
Urano
Amor à natureza que se expressa através dos movimentos ecológicos. Urano simboliza a harmonia com o cosmo, adoração à deusa Gaia, o que eles chamam de "Lado feminino de Deus". "Gaia, ou m (G.). A personificação da Terra como elemento gerador das raças divinas. Nascida imediatamente após o Caos primordial, ela organizou sozinha Urano (O Céu). Depois, unindo-se a Urano, Gaia gerou inicialmente os deuses propriamente ditos: os Titãs, Oceano, Hiperíon, Crio, Coió, Jápeto e Cronos (o deus mais jovem dessa geração e as Titanides meg, Tetis, Têmis, Rea, Febe e Mnemosine. Em seguida nasceram dessa união os Ciclopes, chamados de Arges, Brontés e Esteropés, divindade dos relâmpagos dos trovões e dos raios. Finalmente, nasceram o casal divino os Hecatônqueires, gigantes violentos dotados de cem braços: Briareu, Coto e Gies, e muitos outros, mas, num segundo estágio das crenças gregas, gaia perdeu sua condição primitiva de geradora de monstros". (Dicionário de Mitologia Grega e Romana).
Unicórnio
É o símbolo da liberdade e promiscuidade sexual: homossexualismo, lesbianismo, heterossexualismo, fornicacionismo, sexo grupal, etc. "O Unicórnio medieval é um símbolo de poder, o que o chifre essencialmente expressa, mas também de luxo e de pureza - A dança do Unicórnio é um divertimento estimado no extremos oriente, na festa no meio do outono - O Unicórnio também simboliza com seu chifre único no meio da fronte, a fecha espiritual, o raio solar, a espada de Deus, a revelação divina, a penetração do divino na criatura - O chifre único foi comparado a um pênis frontal - Ele é também o símbolo da virgindade psíquica. Alquimistas viam no Unicórnio uma imagem do hermafrodita, o que parece ser um contra senso: ao invés de reunir adupla sexualidade, o Unicórnio transcende a sexualidade. Tornara-se na Idade Média o símbolo da encarnação do Verbo de Deus no seio da Virgem Maria" (Dicionário de Símbolos) (verdadeira aberração!).
Cruz com laço
Simboliza o desprezo da virgindade, troca da parceiros conforme a escolha pessoal. O movimento Nova Era ensina que a sexualidade é a parte que purifica o ser humano, eleva o espírito e embeleza o corpo. É a volta ao paganismo antigo, cujos "deuses" promoviam as danças com barulho excessivo, as orgias, a prostituição ritual, etc.
Casal Transpessoal
Símbolo do fim do casamento representado pela letra mega, última letra do alfabeto grego. Os adeptos da Nova Era dizem que o ser humano não deve pertencer a nenhuma família possessiva, mas deve ficar sempre livre para buscar outros parceiros. "É satanás procurando desvalorizar a Família que é a Célula Mater da Sociedade, instituída por Deus ainda no Éden".
Pomba com Ramo
Simboliza a paz à qual tendem os aquarianos, na esperança de que as águas de Peixes sequem para dar lugar à Nova Era.
Cabeça de bode
É um símbolo de zombaria ao contrário ao cordeiro de Deus "Jesus".
Mancha
Usada principalmente em automóveis. É uma gota de sangue em zombaria ao sangue redentor de Jesus.
Netuno
Simboliza a transformação das crenças. A cruz para baixo significa que todas as crenças serão destruídas para que o planeta Terra seja governado por Maitreya o "Novo Messias"

Plutão
Simboliza a união planetária, construção da Aldeia Global, é o novo nascimento do planeta Terra com a união sem fronteiras, acima de credos, cor e raça. Simboliza também a "paz universal "dentro da nova era.
Olho de Lúcifer
Usado em roupas e outros meios. Simboliza o olho de satanás vendo tudo e chorando por aqueles que estão fora do seu alcance (judeus e cristãos principalmente).
Conclusão
É preocupante o avanço do ocultismo oriental no Ocidente. Um escritor do século XX afirma: "Oriente é Oriente, e Ocidente é Ocidente", tal era o abismo entre essas duas culturas. Lamentavelmente, hoje assistimos mais gente no Ocidente se voltando para a religiosidade hindu do que gente na Índia se convertendo à fé cristã. O Cristianismo tem a melhor mensagem, pois entre os profetas de todas as religiões do mundo, o único que ressuscitou dos mortos foi Jesus Cristo Nosso Senhor. A mensagem do Cristo que ressuscitou está nos nossos lábios. Somente nós temos a mensagem que transforma vidas, que preenche o vazio, a lacuna da alma do pecador. Todos os profetas das demais religiões do mundo, tais como: Maomé, Buda, Confúcio etc. morreram e não ressuscitaram. Somente Jesus ressuscitou, fiquemos com Ele. Preguemos a mensagem dele. Há qualquer momento Ele Aparecerá nas nuvens para tirar Sua Igreja deste mundo para estar com Ele para Sempre. Como propagador da mensagem daquEle que ressuscitou, você não deve carregar em seu corpo que é templo do Espírito Santo inscrições que divulgam a Nova Era, o reino das trevas, mensagens do inferno nas blusas dos nossos jovens, vista "Jesus é o Senhor" "Salvação, só em Jesus" O Senhor é meu Pastor, nada me faltará."
Bibliografia Jean Chevalier - Alain Gheerbrant - DICIONÁRIO DE SÍMBOLOS. Arlindo Alves - O MAGO DA NOVA ERA. S. V. Milton - SÍMBOLOS DA NOVA ERA - Vol I e II. José Vasconcelos - GUIA BÁSICO DO OBREIRO - CPAD. Esequias Soares - MANUAL DE APOLOGÉTICA - CPAD. Mário da Gama Kuri - DICIONÁRIO DE MITOLOGIA GREGA E ROMANA. ICP Editora - SÉRIE APOLOGÉTICA VOL. VI. R. R. Soares - OS PROFETAS DAS GRANDES RELIGÕES. Sociedade Bíblica do Brasil - BÍBLIA ONLINE - REVISTA E CORRIGIDA 2.1.
Pr. Jorge Albertacci

2 comentários:

  1. OLÁ ME CHAMO NORMA .
    TENHO UMA DUVIDA A RESPEITO DO DÍZIMO.
    SEI QUAL O SIGNIFICADO DO DÍZIMO E SEI TAMBEM QUEM OS FAZIAM NO ANTIGO TESTAMENTO. MAIS NÃO HÁ PASSAGEM NAS ESCRITURAS DO NOVO TESTAMENTO QUE NOS DIGA A IMPORTANCIA DO DÍZIMO. SE DESDE QUANDO JESUS DISSE. DE A CEZAR O QUE É DE CEZAR E DE A DEUS O QUE É DE DEUS . PARA A FRAZE DE CEZAR ELE USOU UMA MOEDA QUE TINHA A CARA DO CEZAR E A DE DEUS ELE NÃO MOSTROU COISA ALGUMA. PORQUE SERÁ? SE JESUS VEIU CUMPRIR A LEI PORQUE TEMOS QUE CONTINUAR DIZIMANDO SE O DIZIMO É PARTE DA LEI E VIVEMOS NA GRAÇA?
    É PARA NOVOS TEMPLOS SEREM CONTRUIDOS COM BELEZAS EXTERNAS.E MILHARES DE PESSOAS NAS RUAS SEM TER QUE COMER NEM VESTIR E MORREM POR FALTA DE AMOR . QUE É O PAPEL FUNDAMENTAL DA IGREJA NA TERRA.? O DIZIMO SÓ É DIZIMO QUANDO DADO NÁ IGREJA? PARA PAGAR CONTAS ALTAS DE AR CONDICIONADO E REFORMAS LUXUOSAS DE TEMPLOS?
    JESUS VEM E ACHARÁ FÉ NÁ TERRA SE NÃO HÁ AMOR COM O PRÓXIMO ? QUEM VAI SUBIR? QUEM DEU ABRIGO A UM POBRE OU QUEM DEU MAIOR PARTE DO DIZIMO PARA TER O CONFORTO DE UM AR CONDICIONADO NA (IGREJA) QUE AO QUE AS ESCRITURAS ME DIZ SOMOS NÓS. ELE DISSE: O MEU MANDAMENTO É ESSE : AMAI UNS AOS OUTROS ASSIM COMO EU VOS AMEI. MAIS PARECE FACIL PARA UM (PASTOR) O MEU É CRISTO. ARRECARDAR QUATROCENTOS MIL REAIS DOS SEUS FIEIS MEMBROS PARA UMA FAIXADA DO TEMPLO? DO QUE FAZER COM QUE ESSE DINHEIRO SE REVERTA A PESSOAS CARENTES E POBRES DO SEU BAIRRO.



    AQUI FICA O MEU COMENTÁRIO!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MINHA ESTIMADA IRMÃ NORMA, COM TODO RESPEITO, A IRMÃ SE EQUIVOCA QUANDO AFIRMA QUE O DÍZIMO É DO TEMPO DA LEI. NÃO É, ELE PRECEDE À LEI, ESTA O NORMATIZOU COMO ACEITO E LEGAL PORQUE SERIA O CORRETO, ASSIM COMO CORRETO É SE NÓS DA NOVA ALIANÇA O ACEITARMOS TAMBÉM. IMAGINE SE JESUS NÃO FOSSE DIZIMISTA! POR MUITO MENOS ELES O CONDERAM VÁRIAS OUTRAS VEZES. E AQUELE MOÇO RICO? FIQUE SEMPRE COM JESUS IRMÃ NORMA...

      Excluir