sábado, 20 de fevereiro de 2010

A ÉTICA CRISTÃ NO CULTO

INTRODUÇÃO

Guarda o teu pé, quando entrares na casa de Deus; e inclina-te mais em ouvir do que do que oferecer sacrifícios de tolos. (Eclesiastes 5:5).
Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. (João 4:24).


O ENCARREGADO DO SERVIÇO DO SOM

Se é costume da Igreja a execução de música gravada ou não, antes do culto começar, que isto seja sob as ordens do pastor da Igreja; que seja em tom suave, e música apropriada para coadjuvar os momentos devocionais dos fiéis que estão chegando para o culto.

A MÚSICA E OS CÂNTICOS DURANTE O CULTO

Deve haver um limite de números musicais a serem executados durante o culto pelos órgãos musicais da Igreja e pelos cantores. Deixar isso por conta deles, revela falta de sabedoria do dirigente do culto e Deus requererá conta desta irregularidade na Igreja.
Muita música hoje nas Igrejas não é sacra, não é espiritual, não arrebata a alma, não fala ao coração, não edifica, não inspira, nem nos move a adorar a Deus. Não é “música de Deus”, como está escrito em 1Crônicas 16:42. A música no culto deve ser um ministério para revelar e manifestar a Sua presença em nosso meio. Quando a música foi profanada nos primórdios da raça humana, como vemos em Gêneses 4:21-24, veio mais tarde o julgamento divino. A passagem acima está em forma de cântico, no original.
Também, enquanto a congregação canta, no máximo dois ou três hinos em todo o culto, solistas, conjuntos, corais e bandas cantam e tocam até 25 ou mais números (como este autor já presenciou). Isto é também desequilibro, mau gosto, falta de discernimento.
Segundo as Escrituras, o incenso sagrado, o qual simboliza a oração e adoração ao Senhor, era composta de vários ingredientes, mas todos de peso igual (Êxodo 30:34). O azeite vinha na frente, (Êxodo 30:22-32). Depois vinha o incenso (Êxodo 30:34-38). O azeite fala do Espírito Santo. A predominância do Espírito na vida do crente e no ambiente do culto, leva-nos a uma profunda e santa adoração ao Senhor.


OS DIÁCONOS DA IGREJA

O pastor ou o dirigente do culto jamais poderá fazer tudo sozinho. Nem eles (os diáconos) podem ver tudo sozinhos. No culto, os diáconos desempenham um mui importante papel. Uma de suas funções é acomodar o povo que vai adentrando o templo, e a seguir ajudar a manter a boa ordem durante todo o culto, circulando discretamente, aproximando-se sabiamente de locais onde notar movimento e comportamento anormais.
Os diáconos escalados para o culto não devem jamais ficar sentados. Seu trabalho é executado sempre em pé. Deve estar atento a qualquer sinal do púlpito, para ajudar. Mesmo o diácono que não está escalado para o culto deve estar sempre atento para ajudar a sanar qualquer dificuldade que venha a surgir.

BIBLIOGRAFIA
O Obreiro Aprovado – CPAD


Pastor Jorge Albertacci

4 comentários:

  1. parabéns, concordo com tudo q o amado pastor escreveu acima, realmente todo culto prestado ao Senhor tem q ter uma ética, pois o Senhor merece o melhor da igreja, a paz!

    ResponderExcluir
  2. gostei deste artigo querido pastor jorge infelizmente, as coisas estao indo para um la muito diferente parabens por este artigo.q muitos possam ler este artigo para voltar a verdadeira adoraçao nos cultos a Deus.

    ResponderExcluir
  3. Parabens Pr Jorge este artigo veio em boa hora, muitas igrejas tem deixado de lado a ética na liturgia e tem deixado muito a desejar quanto a verdadeira adoração ao Senhor

    ResponderExcluir
  4. Ev. Eliezer Damasceno16/1/12 12:53

    Parabens Mestre pela coragem em boa hora de escrever as verdades que nos cercam. continue a exercer este Dom que O Bom Deus lhe entregou.
    Seu conservo Eliezer

    ResponderExcluir